Raspberry Pi

30 07 2013

O Raspberry Pi (RPi) é um micro-computador de baixo custo, do tamanho de um cartão de crédito, que tem vindo a ganhar muita notoriedade ao longo da sua curta existência. É um projecto que conseguiu sair da fase de protótipo, alcançar a produção em larga escala e neste momento é extremamente fácil encontrar este equipamento no mercado.

 

Desenvolvido e produzido no Reino Unido pela Raspberry Pi Foundation, da qual faz parte a Universidade de Cambridge,  o RPi tem como principal objectivo principal despertar e estimular o interesse pela programação e electrónica, nomeadamente ao nível do ensino escolar. Actualmente existem muitos  projectos à volta desta plataforma, mesmo a nível empresarial, tal é o seu potencial. Inclusive empresas nacionais têm demonstrado o seu interesse em implementar soluções sobre esta plataforma. O GrupoPIE que desenvolve o PingWin e a XDpeople são algumas das empresas que têm demonstrado interesse no desenvolvimento de produtos baseados neste micro-computador.

 

image

 

 

 

O Ziphius é um outro projecto português, de referencia, que faz parte da lista de “case studies” da Raspberry Pi Foundation.

Ziphius: Aquatic Drone

 

 

As possibilidades são infinitas com esta plataforma. Desde construir um media center para a sala de estar, baseado em XBMC até projectos mais complexos que permitem controlar robots, lâmpadas, sensores, etc. Os pinos (GPIO: general purpose input/output) podem ser programados para interagir com outros módulos e componentes electrónicos, permitindo um sem numero de possibilidades.

 

 

 

Neste momento existem 2 modelos do Raspberry Pi, o modelo A e o B. A grande diferença reside no facto de, este último ter mais uma porta USB, totalizando duas,  uma porta Ethernet para ligar um cabo de rede (100 Mbps), para além de ter 512 MB de memória RAM, o dobro do modelo A. Ambos os modelos têm um consumo energético muito reduzido.

 

image

image

Características do RPi (Modelo B)

  • Chip: Broadcom BCM2835 SoC full HD processador de aplicações multimédia
  • CPU: 700 MHz ARM1176JZF-S core (ARM11 family)
  • GPU: Dual Core VideoCore IV® Multimedia Co-Processor, 1080p30 decodificador h.264/MPEG-4 AVC
  • Memória (SDRAM): 512MB RAM
  • Portas USB 2.0: 2 portas USB
  • Saídas de vídeo: HDMI (rev 1.3 & 1.4) Composite RCA (PAL e NTSC)
  • Saídas de áudio: Conector de 3.5 mm, HDMI
  • Armazenamento onboard: SD / MMC / slot para cartão SDIO
  • Rede onboard: 1 porta ethernet
  • Power ratings: 500 mA (2.5 W)
  • Fonte de energia: 5 volt via MicroUSB ou header GPI
  • Tamanho: 85.60 mm × 53.98 mm
  • Sistema Operativo: Linux

 

 

O Raspberry Pi é constituído apenas pela motherboard,  em que o coração é um CPU ARM (ARM1176JZFS) que funciona à velocidade de 700Mhz. A sua capacidade de processamento permite executar aplicações de processamento de texto, cálculo, jogos, assim como vídeo de alta definição. Para colocar o Raspberry Pi em funcionamento é necessário um cartão SD, de 4GB Classe 4 ou superior, uma fonte de energia, e logicamente um teclado e um rato. Existem uma série de outros acessórios como caixas, conversores HDMI para DVI e VGA, adaptador WiFi, câmara, etc que podem ser facilmente encontrados no mercado.

 

 

A InMotion é uma das empresas portuguesas que vendem o RPi, para além de todos os acessórios e periféricos relacionados. Neste momento o valor do RPi, modelo B ronda os 45 Euros, a caixa transparente tem um custo de 10 Euros, assim como o transformador (o conector é mico USB, sendo um vulgar carregador de telemóvel, com pelo menos 700mA/5V serve para o efeito) e o adaptador wireless USB. Adicionalmente um conversor HDMI para VGA  custa cerca de 25 Euros. Quanto ao cartão SD, pode ser encontrado em qualquer loja de electrónica e informática pelo valor de 5 a 15 Euros, dependendo logicamente da marca (é recomendada a utilização de marcas reconhecidas, por, à partida, serem mais fiáveis), tamanho e classe (a classe indica quão rápido o cartão é). Adicionalmente poderá ser ligado um hub USB, com alimentação dedicada por forma a aumentar o numero de portas USB disponíveis.

 

 

O Raspberry Pi assenta sobre a plataforma ARM, o que significa que apenas suporta sistemas operativos baseados em Linux. Tem disponível uma loja de aplicações “Pi Store” onde poderá descarregar aplicações, como o LibreOffice, jogos, aplicações didáticas, etc. Como referido anteriormente, este projecto visa estimular a aprendizagem e o interesse pela tecnologia em geral e pela programação em especifico. A linguagem “oficial” do RPi é o Python, que tem uma curva de aprendizagem baixa.

 

 

 

 

Algumas imagens do RPi

RPi a correr Raspbian (sistema operativo “oficial”, baseado em Debian)

image

Este é um sistema operativo apenas com o essencial para uma primeira experiencia.

 

 

 

RPi a correr Media Center RaspBMC, baseado em XBMC

image

Este sistema permite ouvir música, ver filmes, consultar o estado do tempo e previsões meteorológicas, assistir a TV e rádio online, entre outras funcionalidades.

 

 

 

Processo de instalação do Arch Linux ARM através do assistente NOOBS (New Out Of Box Software-assistente de instalação do sistema operativo)

image

A qualquer momento é possível voltar a aceder ao NOOBS, carregando na tecla SHIFT no arranque do RPi, por forma a instalar novamente o sistema operativo.

 

 

 

O RPi não tem relógio interno (RTC-real time clock), e esta é uma das limitações mais notórias. Segundo as FAQ’s do projecto o custo de implementação era demasiado alto, o que faria com que o objectivo inicial de manter os custos controlados (25 dólares para o Modelo A  e 35para o modelo B) iniciais fosse um entrave. A actualização do relógio poderá ser efectuada manualmente, ou através da internet, recorrendo a um servidor NTP. Outra característica é não existir um botão ON/OFF

 

 

 

Para os interessados em adquirir o Raspberry Pi, ou qualquer outro produto da loja InMotion, podem utilizar um dos seguintes cupões que conferem 10% de desconto, para uma compra de valor igual ou superior a 45 Euros + IVA, assim como a oferta dos portes de envio. Estes códigos têm a validade de 30 dias. Para que possa marcar os códigos como utilizados, os visitantes devem deixar um comentário a informar o código utilizado.

 

H9J2TW28
QYQ2YJYL
SGSUXCYV
Z9QWKURY
K8V5TE4C
ZMBREN45
VAEXNRVF
EFK8HRHH
AYZU9GVW
WVDWLLMY

http://www.inmotion.pt/store

 

 

Rob Bishop um dos elementos da Raspberry Pi Foundation, esteve em Portugal em 2012 no Sapo Codebits, e respondeu a uma entrevista do Sapo Tek.

Já foi apelidado de estrela de rock do mundo tecnológico. Rob Bishop é neste momento o único empregado a tempo inteiro da Raspberry Pi Foundation. O jovem evangelista do projeto conhecido como o computador de 25 dólares passou por Portugal durante os três dias da sexta edição do Sapo Codebits e esteve à conversa com o TeK.

Durante a entrevista explicou qual o conceito do Raspberry Pi e qual a importância deste projeto para alguns segmentos da sociedade: para o ensino e para os programadores tecnológicos. Os tempos são diferentes e o Raspberry Pi promete acelerar essa mudança, ao dotar todos os interessados que queiram gastar cerca de 40 euros na compra de um dispositivo que tanto pode ser um centro multimédia lá em casa como pode ser usada para projetos de robótica amadora.

TeK: Qual é o conceito do Raspberry Pi e da Raspberry PI Foundation?
Rob Bishop:
A Raspberry Pi Foundation é neste momento composta por um conjunto de administradores (trustees) e de engenheiros, e todos eles trabalham num regime de voluntariado, fundado por Eben Upton, que trabalhava na Universidade de Cambridge e era professor de ciências da computação. Um dia ele descobriu que os novos estudantes na universidade estavam a ter dificuldades e as notas estavam a cair, e isto é mau porque se tiveres cerca de 40 alunos a entrarem por ano e os licenciados forem cada vez piores, é mau para a indústria e é mau para a economia.

Então ele quis encontrar uma maneira de re-inspirar os miúdos a manterem-se no curso de ciências e de aprender novas habilidades. E o que ele se apercebeu é que na geração anterior à deles havia dispositivos como os Spectrum e aqueles computadores “do it yourself”, e foi então que percebeu como é que iria ser o futuro e como é este iria funcionar. Enquanto a nossa geração está agarrada à Xbox e iPad e a outros dispositivos, ele decidiu desenvolver o Raspberry Pi, uma plataforma computacional de 35 dólares do tamanho de um cartão de crédito que e é desenhada para ser um instrumento que permita aos jovens aprenderem, criarem e fazerem projetos computacionais ou trabalharem conceitos relacionados com as ciências da computação. O Raspberry Pi é como uma versão digital do Lego.

E a ideia é que isto consiga chegar até às escolas e as escolas possam apostar em áreas como a eletrónica apenas gastando poucos dólares em vez de gastarem centenas de dólares, e ainda estamos a trabalhar nesse sentido. Já vendemos meio milhão de unidades e ainda nem completamos o nosso primeiro ano de negócios. Agora estamos a trabalhar num desenvolvimento de recursos educacionais para que possamos usar um “pacote para escolas”, preparado para os professores, mesmo para aqueles sem grandes conhecimentos tecnológicos, para que possam ensinar através do Raspberry Pi.

TeK: Como é que o Raspberry Pi pode mudar o sistema de ensino e as formas de aprender?
RB:
Não se trata tanto de o Raspberry Pi mudar o sistema, é mais na perspetiva de as pessoas que mudem o sistema o façam usando o Raspberry Pi. Antigamente a educação de TI no Reino Unido era basicamente baseada nos produtos de software da Microsoft: como é que se utiliza o Word, como é que se cria uma folha de cálculo. E nós queremos ver mais programação, queremos ver os miúdos a construírem algoritmos e a pensarem nos termos de como os computadores funcionam, e esta é uma excelente plataforma para aprender isso.

O que nós queremos é que os miúdos em vez de serem apenas consumidores de conteúdos, possam ser criadores de conteúdo. Em vez de ligarem a Xbox à televisão através do HDMI para jogar, agora podem ligar o Raspberry Pi à televisão e fazer robôs, escrever os seus próprios jogos ou fazer websites. É tudo acerca de fazer coisas, em vez de apenas consumir, e ao fazer isto aprender com o processo.

TeK: Que exemplos a Raspberry Pi Foundation tem de jovens que estejam a fazer este tipo de atividades?
RB:
Fizemos uma competição de programação no verão para jovens, em duas categorias: até aos treze anos e dos catorze aos dezoito anos, e foi muito bom aquilo que foi conseguido. Eles fizeram programas eletrónicos educativos, fizeram jogos, fizeram servidores Web…E é incrível ver o que os miúdos conseguem fazer quando lhes são dadas as ferramentas. Esta é uma maneira pouco cara de fazer coisas incríveis e é por isso que todos os que aqui estão (no Codebits VI), estão aqui, para criarem coisas espantosas, e esta é também uma maneira acessível de os estudantes desenvolverem projetos.

TeK: E o que é que o Raspberry Pi pode fazer pela comunidade de programadores?
RB:
Esse é um aspecto interessante. Todo este conceito de inspirar e criar, e de aprender e fazer coisas, isso prolonga-se por toda a nossa vida e não apenas quando somos jovens. Temos assistido a muitos adultos que já tinham alguns conhecimentos de computação, muitos Web developers, pessoas que costumavam desenvolver aplicações. Mas ainda existem muitas pessoas que que não têm necessariamente os skills de computação, e estão a usar o Raspberry Pi como um brinquedo para, por exemplo, fazer arcadas e lançar servidores Web, entre outros tipos de projetos. Consegues fazer coisas de baixo nível o suficiente e até criar um sistema operativo que corram nestes computadores. Nem todas as pessoas conseguem escrever um sistema operativo complexo para usar num Macbook, mas neste podes até criar o teu próprio sistema operativo para o Raspberry Pi. E isso é muito fixe.

TeK: Quais foram os principais desafios em construir um computador tão pequeno?
RB:
Este produto é mais uma inovação de negócio do que uma inovação de engenharia. A engenharia não é nada de estrondoso. Mas o que foi engenhoso foi gerar o lucro suficiente, através das 500 mil unidades vendidas, e através dos fundos externos. O Raspberry Pi é inteiramente autossustentado e isso foi engenhoso.

Tivemos que trabalhar com distribuidores e certificarmo-nos de que produziriam o volume suficiente para vender em redor do mundo. Ainda existem problemas e existem pessoas que têm tido dificuldades em conseguir comprar o Raspberry Pi, mas vejamos, quando consideramos que eramos apenas uma empresa de apenas cinco ou seis pessoas e de termos conseguido vender meio milhão de unidades é espantoso.

Eu entendo que seja chato para as pessoas terem que esperar pela encomenda, mas essa parte está a melhorar agora, e acredito que até meio de dezembro todas as encomendas terão sido despachadas. A Farnell tem stocks em Portugal, e os nossos amigos da Inmotion têm vendido todo o fim de semana, por isso sim, estamos numa posição boa.

TeK: Como é que foram os workshops aqui no Sapo Codebits?
RB:
Foram excelentes. Tivemos 120 pessoas inscritas para seis workshops de uma hora, divididos por dois dias, e tivemos uma grande adesão porque havia muitas mais pessoas que queriam vir. E ainda ontem tivemos uma fila de pessoas para comprarem o Raspberry Pi e tivemos que os racionar a um por pessoa, mas mesmo assim venderam-se todos. Acho que podíamos ter duplicado o número de Raspberry Pi e ainda assim teríamos vendido tudo.

E isso acontece provavelmente porque eu consigo ver que existe muitas pessoas em Portugal interessadas em hacking, existem muitas pessoas criativas em Portugal, e essa combinação de tecnologia e de ser criativo parece ser muito engraçada. E estou desejoso de voltar no próximo ano.

TeK: E como tem sido o Sapo Codebits até ao momento?
RB:
Tem sido fantástico. Tem sido um evento muito fixe. Está muito bem organizado, gosto muito de trabalhar com o Celso, estivemos a trabalhar nas arcadas juntos, e mal consigo esperar para ver os projetos nos quais as pessoas têm trabalhado e que vão ser apresentados, aposto que vão aparecer alguns fantásticos. Existem até alguns projetos que estão a utilizador os Raspberry Pi como componente. Demos alguns Raspberry Pi para alguns projetos para ver o que eles conseguiam fazer e sim, tem sido um tempo bem passado.

TeK: Que tipo de projetos estão a usar o Raspberry Pi?
RB:
Eu acho que um grupo está a trabalhar numa espécie de máquina de fotografias que vai permitir que as pessoas interajam com o processo de captura de fotografias, através do Raspberry Pi. Apesar de o conceito ainda ser um bocado vago, parece-me muito porreiro e espero que possamos ver mais projetos como este.

TeK: O que diria a um português que não sabe nada sobre o Raspberry Pi?
RB:
Diria que o dispositivo apela a dois tipos de pessoas. Para as pessoas que percebem de computadores, e provavelmente estes já conhecem o Raspberry Pi como uma excelente plataforma para fazer coisas e as 120 pessoas que estiveram aqui provam-no. E também é bom para aquele tipo de pessoas que podem até nem saber nada sobre computadores mas que querem aprender um pouco de programação, que queiram construir um centro multimédia ou uma plataforma barata para os miúdos. Por poucos euros podes apenas comprar e experimentar coisas com o Raspberry Pi, não é um investimento assim tão grande e as pessoas podem simplesmente ver o que acontece.

TeK: Quais são os próximos passos do projeto?
RB:
Neste momento estamos a comercializar o modelo B, e vamos vender um modelo A nos próximos meses, que vai estar à venda em todo o mundo. O novo modelo parece-se exatamente como o modelo B, mas não tem a conexão de Internet nem o chip de network. Esse modelo vai ter um menor consumo de energia e vai custar 25 dólares. Vai ser ideal para a área da robótica ou para as escolas, ou até mesmo para aqueles que usem o Wi-Fi como ligação principal. Vão sair ainda modelos com câmara integrada, que vão gravar em Full HD e vão captar imagens de cinco megapixéis: estes também vão custar 25 dólares e vão chegar nos próximos meses.

 

 

 

 

 

Páginas relacionadas:

http://www.inmotion.pt/store

http://www.themagpi.com

http://www.google.pt/cse?cx=partner-pub-8215204087600323%3A5764433565&ie=UTF-8&q=raspberry+pi&sa=Search&siteurl=abertoatedemadrugada.com%2F&ref=abertoatedemadrugada.com%2F2012%2F12%2Fodroid-u2-apresenta-quad-core-arm-de.html&ss=2551j1077573j12#gsc.tab=0&gsc.q=raspberry%20pi&gsc.page=1

http://raspberrycolocation.com

http://www.portugal-a-programar.pt/blog/8/entry-401-revista-programar-edicao-40-abril-de-2013/

http://www.techrepublic.com/pictures/raspberry-pi-inside-the-pi-factory/

http://teoriadobitbang.blogspot.pt/search/label/Raspberry%20Pi

http://pt.wikipedia.org/wiki/Raspberry_Pi

http://pplware.sapo.pt/resultados-da-pesquisa/?cx=partner-pub-1446920356351445%3Apqahidy83wu&cof=FORID%3A11&ie=UTF-8&q=raspberry&x=0&y=0

http://tek.sapo.pt/multimedia/ziphius_drone_portugues_na_linha_da_frente_em_1305497.html

http://www.raspedu.com/

http://www.onesmallstep.pt/blog/126/raspberry-pi-um-pequeno-computador-com-grande-potencial.html

https://www.modmypi.com/sd-cards-and-adaptors/raspberry-pi-micro-sd-card-adaptor


Ações

Information

4 responses

1 08 2013
PD

Olá, antes de mais parabens pelo excelente blog.
Utilizei o cupão H9J2TW28

3 08 2013
Edgar Costa

Desenvolvi um trabalho académico sobre o Raspberry Pi. Quem desejar saber mais em português sobre este microcomputador está convidado a uma visita ao RaspEdu. Um site dedicado ao Raspberry Pi na Educação.

12 08 2013
XpecialGUEST

Muito bom. O link para o site já consta do artigo.

6 08 2013
PingWin FO | ..::invisible flame light::..

[…] e ARM, o que significa que o PingWin está preparado para correr em plataformas alternativas como Raspberry Pi e Android, para além de Linux e iOS e […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: