BQ Witbox Go!–Análise

13 02 2018

A BQ, experiente na área de impressão 3D, anunciou há alguns meses a nova impressora Witbox Go!. Esta impressora, que chegou recentemente ao mercado, promete simplificar esta tecnologia elevando a experiencia de utilização a outro patamar. A BQ enviou-me uma Witbox Go!, completamente nova, para ser analisada no Blog. Agradeço à BQ e à Sandra Coelho do departamento de Marketing.

 

IMG_8924

 

O que acrescenta esta nova impressora ao mercado? Bem, muitas coisas. A começar pelo seu design extremamente apelativo com traços minimalistas. Nada de cabos à vista, ventoinhas, parafusos, transformadores, motores e correias. Esta impressora é muito atraente. Apenas tem um botão e um led que muda de cor conforme a operação que está em curso. Encaixa bem em qualquer sala de estar ou escritório transmitindo uma imagem moderna e inovadora. Prova do seu design é o premio internacional de design Red Dot, que lhe foi atribuído.

 

IMG_8925

 

Facilmente se perceberá, até porque a BQ tem outras impressoras disponíveis no mercado, que a Witbox Go! é uma impressora focada num determinado segmento de mercado e não entra em guerra direta com outros modelos orientados para outro tipo de utilizadores. A BQ Witbox Go! não é de todo focada no universo de makers. Esta impressora é fechada a modificações e por isso foca-se essencialmente a quem privilegia o design, a simplicidade de utilização e não se incomoda com as suas características e limitações.

 

Esta impressora provavelmente será uma das impressoras mais simples que atualmente existirá no mercado. Vem completamente montada e o objetivo é que em poucos minutos o utilizador possa começar a imprimir sem grandes complicações.

 

IMG_8954

 

A Witbox Go! é pequena e leve, pesando apenas 5 Kg. Incorpora Android como sistema operativo/firmware, o que permitiu à BQ melhorar e simplificar a experiencia de utilização. As novidades não se ficam por aqui. A impressora liga-se à rede domestica, via WiFi e possui tecnologia NFC para identificar as bobinas que são colocadas na impressora e a quantidade de filamento disponível. Tudo, claro está, para facilitar a sua utilização. Apesar de não encontrar evidenciado no site da BQ, a impressora também tem um interface Bluetooth que, pelo que pude perceber, é utilizado apenas para a configuração inicial da impressora, através de um smartphone ou tablet com Android, quando esta ainda não está ligada à rede Wi-Fi.

 

IMG_8966

 

 

 

Embalamento e conteúdo da caixa

O embalamento da impressora é exemplar sendo notória a atenção que a BQ dedica a esta questão. É fácil retirar a impressora e os acessórios da caixa. A impressora vem devidamente protegida, com o modo de transporte ativado, para evitar problemas durante o transporte. Na caixa tudo está no no seu devido lugar. Juntamente com a máquina e plataforma de impressão vem um cabo USB para ligar a impressora ao computador, uma bobina de filamento, um modelo 3D exemplo (um barco que é utilizado como benchmark), um guia de iniciação, documentação sobre a garantia, uma espátula e um adaptador para tomadas dos EUA. O processo inverso, de colocar a impressora e todos os restantes itens dentro da caixa, também é muito simples e rápido, sendo necessário previamente voltar a colocar a impressora no modo de transporte. Neste modo a plataforma sobe totalmente e por baixo dela é colocada a caixa que contém tudo o resto.

 

 

 

Software – Instalação, inicialização da impressora e utilização

A BQ produziu internamente uma aplicação, denominada de Zetup, para Windows, Linux e Android. Não existe, pelo menos por agora, aplicação para iOS, o que dificulta a vida a quem utilizar equipamentos Apple, que é o meu caso. Como não tenho nenhum equipamento com Android, comecei inicialmente por utilizar o Windows. A experiencia com o software não foi das melhores, principalmente em Windows e Linux. Isso explica o porquê de ter imprimido vários barquinhos iguais, que é possível ver nas várias imagens deste artigo. Nas primeiras horas, sem ter a possibilidade de enviar para a impressora novos modelos, apenas conseguia imprimir o barco, já que este é o único modelo que vem na memória da impressora.

 

Após descarregar o Zetup do site da BQ, o processo de instalação não foi pacifico já que o instalador não passava dos 88%, mesmo após aguardar bastante tempo. Repeti o processo mais de uma vez e, por mais tempo que esperasse, não era concluído. Para tentar ultrapassar, tentei alguns procedimentos como executar o instalador com outro utilizador do Windows, renomear a pasta criada pelo instalador, executar o instalador “como Administrador”, alterar permissões na pasta. Não sei exatamente qual era o problema, mas após tentar novamente, o instalador acabou por avançar até aos 100%. Problemas resolvidos … pensava eu :) Posteriormente, após executar a aplicação foi mostrado o assistente que permite configurar a impressora para posteriormente adicionar a mesma à rede WiFi. Este assistente necessita que exista uma conexão por cabo USB, com a impressora. Aqui também não correu muito bem. A impressora não era detetada no Windows. O gestor de dispositivos mostrava um dispositivo com problemas. Não culpando o software da BQ, até porque muitas das vezes o problema está na instabilidade e especificações do sistema do utilizador (no meu caso utilizo Windows 7 que para além de não estar inicialmente atualizado ao máximo estava algo instável derivado da instalação ter vários anos), a impressora acabou de ser detetada após instalar os drivers ADB (que também estão disponíveis no site da BQ) e o “habitual“ ligar e desligar o equipamento, trocar de porta USB, etc.. Não sei se era obrigatório instalar os drivers ou se era suposto o software Zetup tratar deste passo. O que é certo é que mais este problema foi ultrapassado. A impressora passou a ser detetada via cabo USB.

 

IMG_9340

 

Depois de detetar a impressora, o software mostra as redes WiFi disponíveis e o utilizador tem que escolher uma rede e colocar a password se a mesma estiver protegida. Pelo que percebi o interface WiFi da impressora não é dual-band porque só detetou a minha rede a 2.4GHz. Se o utilizador apenas tiver uma rede a operar na banda de 5GHZ, esta não irá aparecer. O meu router, e muitos dos routers mais recentes, permitem criar redes Wireless nas bandas 2.4GHz e 5.0GHz. Já a prever que determinados equipamentos (mesmo sendo recentes) não operam a 5.0GHz, deixei redes configuradas nas duas bandas. No meu caso a rede a 2.4GHz está a servir uma lâmpada inteligente da Xiaomi, Apple Watch e agora a BQ Witbox Go!. Por este motivo acho que é boa prática ter redes a operar nas 2 bandas. O problema no software Zetup é que na fase final do assistente, após a impressora se ligar à rede, fechava-se ao mesmo tempo que o Windows mostrava um erro.

 

Recentemente a Exame Informática, num live video disponibilizado no Facebook evidenciava este problema de instabilidade do Zetup, assim como vários utilizadores do fórum oficial de suporte relatam que o Zetup é instável. Resultado? Embora a impressora já tivesse estabelecido conexão com a rede (validei no router e através de um ping ao IP que lhe foi atribuído), sem concluir o assistente, a impressora não era adicionada ao software e por conseguinte não conseguia utilizar a mesma. O simples mover a aplicação entre 2 ecrãs, ou redimensionar a janela do Zetup fazia com que a aplicação parasse de funcionar. Solução? Após instalar a App num smartphone Android (que pedi emprestado), o mesmo assistente foi mostrado, sendo que neste caso, como a impressora já estava ligada à rede WiFi, apenas foi necessário selecionar a impressora que que estava disponível.

 

image

 

Através do Zetup para Android segui todos os passos mostrados pelo assistente, para colocar o filamento e deixar a impressora operacional. Inicialmente não percebi o porquê de não conseguir terminar o assistente com sucesso. Depois de explorar a App reparei que era necessário alterar uma opção na aplicação para retirar a impressora do modo de transporte. Senti falta de um guia passo-a-passo, em papel, para colocar a impressora operacional e sem margem para dúvidas.

 

Mais tarde, já num outro computador que pedi emprestado, com Windows 10, após instalar o Zetup consegui também selecionar a impressora na rede e utilizar o software normalmente.

 

IMG_8940IMG_8960IMG_8942IMG_8972

 

Porque necessitava de ter o Zetup operacional num dos meus computadores, tentei novamente utilizar a aplicação num outro sistema com Windows 7 a correr num Apple MacBook Pro em modo Boot Camp. Também aqui tive problemas, não com a instalação em si, nem com o processo de escolha da impressora na rede WiFi, mas sim ao abrir a aplicação. Sempre que executava a primeira vez era mostrado um erro relacionado com um ficheiro dll que supostamente estaria em falta. Na segunda tentativa o Zetup era executado corretamente, sem erro! Ainda assim a aplicação revelou-se instável ao utilizar várias funcionalidades como por exemplo importar um modelo STL para o ambiente de trabalho. A aplicação ficava inoperacional e era mostrado um erro do Windows.

 

Por fim, descarreguei o Ubuntu 16.04.3 LTS e um trial do Windows 10 e criei 2 maquinas virtuais com o VMware Workstation 12 Player. Uma com Linux e outra com Windows 10. Em Linux descarreguei o instalador do Zetup 1.4.2 para Linux e, curiosamente, instalei sem qualquer erro. Uma vez que não conseguia encontrar a impressora na rede, configurei uma conexão com a impressora, via USB, com sucesso, sem ser necessário instalar qualquer driver. Na fase em que é necessário colocar a password da rede WiFi à qual pretendia que a impressora se ligasse, o assistente ficava eternamente a processar e não concluía com sucesso. Na máquina virtual com Windows 10, “limpo” e atualizado ao máximo, o Zetup não chegava sequer a abrir. Erro de Windows.

 

Após testar em vários sistemas diferentes, 2 em Windows 7, 1 em Windows 10 e um em Linux, ter efetuado atualizações aos sistemas operativos e drivers, restarts aos equipamentos de rede, impressora, computadores, reinstalação do Zetup, hard-resets à impressora entre outros procedimentos, não obtinha sucesso. Várias horas gastas em algo que deveria demorar poucos minutos. Durante toda esta saga estive várias vezes em contacto com o suporte da BQ que fez os possíveis para ajudar. Indicaram-me que o Zetup em Windows 7 tem sido problemático e recomendaram a atualização para Windows 10, o que no meu caso não era uma solução exequível. Enviaram um link para descarregar o ficheiro “Visual C++ Redistributable Packages for Visual Studio 2013” e instalar. Pediram também para enviar o conteúdo dos logs que são gerados numa determinada pasta do Windows, assim como outros detalhes. Apesar de todos os esforços não foi possível resolver em tempo útil os vários problemas existentes.

 

A BQ realmente tem que evoluir o software (Windows e Linux) para ser à prova de bala, caso contrário terá problemas com a satisfação dos utilizadores.

 

A aplicação para Windows e Linux mostra na parte inferior uma série de modelos disponíveis na plataforma MyMiniFactory. Inicialmente pensava que após pressionar num dos modelos visíveis este era automaticamente carregado para o software. Ao pressionar um modelo é aberto no navegador web a página do modelo, sendo necessário descarregar manualmente o modelo, descompactar e por fim arrastar ou importar através do menu File (é possível importar ficheiros STL e OBJ). A experiencia para o utilizador seria muito mais agradável e simplificada se fosse possível carregar num modelo e este passasse logo para a área de impressão, sem ser necessário visitar o site que disponibiliza o modelo em questão. Esta possibilidade poderia estender-se também à aplicação para Android. Porque não a BQ preparar ela própria modelos otimizados para a impressora, que poderia disponibilizar diretamente no Zetup para os vários sistemas operativos, em que o utilizador com 2 ou 3 cliques começava logo a imprimir um modelo que teria sido previamente testado pela BQ?

 

image

 

O Zetup para Windows e Linux, após importar um modelo, permite alterar a escala, duplicar e rodar os objetos. A funcionalidade de rodar um objeto deveria ser mais elaborada já que não existem ângulos pré-definidos, como 90º, 180º, 270º, nem é permitido escrever com o teclado. Além disso o Zetup demorou demasiado tempo a rodar o objeto, depois de dar essa instrução.

 

Tendo em conta o público alvo desta impressora, o Zetup deveria ter uma maior inteligência para posicionar automaticamente os modelos, ou pelo menos sugerir ao utilizador rodar o objeto para assim obter a melhor qualidade final possível. Existem determinados modelos que, quando importados para o software, estão posicionados em posições que não são as ideais. Exemplo disso é o réptil das imagens seguintes. Após a importação para o Zetup, o modelo fica numa posição “difícil” que em nada favorece o resultado final, muito pelo contrário. O Zetup não alerta sequer para ativar os suportes.

 

image

 

Após rodar o modelo para 270 graus no eixo do X, o mesmo ficou completamente assente na base.  De todas as posições possíveis, esta é a que potencia a melhor qualidade final, dispensando na totalidade suportes. Analisar e posicionar o objeto na plataforma de impressão é muito importante porque permite maximizar o resultado final e evitar o desperdício de tempo e filamento. Se existem utilizadores experientes com sensibilidade para analisar estas questões, os mais novos certamente não têm essa experiencia, e aqui o Zetup deveria dar uma ajuda.

 

image

 

Aconteceu também que ao importar determinados modelos mais complexos a aplicação mostrava um erro ao enviar o ficheiro para a impressora. Repeti o mesmo processo, com o mesmo modelo, e o mesmo erro era mostrado. Após terminar o processo do Zetup no computador e reabrir, a impressora ficou em modo Offline. Tive que reiniciar a impressora para esta ficar novamente preparada.

 

Pelo que pude entender, embora a BQ especifique que o Zetup é compatível com Windows 7 ou superior, não basta por si só cumprir com este requisito. O Zetup depende, e muito, de várias outras condicionantes, nomeadamente ao nível de drivers e controladores gráficos. Tal como outras impressoras existentes no mercado, não teria sido mais fácil esquecer o Zetup para Windows e Linux e em vez disso o utilizador aceder, via navegador, a uma página em que existiriam todas as funcionalidades necessárias? Evitar-se-iam problemas com a instalação de aplicações, estabilidade, etc..

 

A aplicação para Android, disponível na Play Store é muito intuitiva. Numa das primeiras utilizações, mostrou uma mensagem a informar que existia um update ao firmware. O processo de atualização foi muito simples e demorou alguns minutos, sendo totalmente automatizado, sem necessidade de ligar qualquer cabo ou efetuar qualquer procedimento adicional a não ser confirmar que pretendemos atualizar. Atualizei da versão 1.2.1 para a 1.3.0. Seria interessante ter um change log para o utilizador saber o que foi melhorado ou conhecer eventuais novas funcionalidades.

 

Embora ainda se note que está ainda numa fase inicial, por exemplo na falta de tradução de algumas funcionalidades, a aplicação é muito intuitiva e fácil de usar. Testei num smartphone e num tablet as várias funcionalidades, desde inicializar a impressora após ligar a primeira vez, assim como dar ordens de impressão de modelos que já estão na memória do equipamento e não encontrei nenhum problema. Achei que aqui muita coisa podia ser melhorada, para dispensar por completo o PC. Neste momento apenas através da aplicação Zetup, para Windows e Linux, é possível preparar um modelo (ficheiro STL) para impressão, após definir parâmetros como a densidade (preenchimento de interiores), qualidade entre outros. Seria interessante ter todas as funcionalidades concentradas na aplicação para smartphone, dispensando por completo o computador (aplicações Windows e Linux). Atualmente a aplicação para Android apenas serve para inicializar a impressora, consultar estatísticas, dar ordem de impressão de modelos previamente preparados nas aplicações Windows e Linux e pouco mais.

 

Numa impressão em que a previsão era de 4:07 horas, o tempo exato que demorou foi de 4:08. Uma diferença mínima de apenas um minuto e poucos segundos. É notável este nível de precisão, que não é comum encontrar em outros sistemas de outros fabricantes.

 

É uma pena que não seja possível utilizar a aplicação quando estamos fora de casa. Embora não seja necessária uma conexão constante entre a impressora e o Zetup, para a impressora continuar a imprimir após dar ordem de impressão, seria muito interessante o utilizador estar fora de casa e ser alertado que terminada impressão terminou. Ainda assim é possível, enquanto a impressora imprime, preparar novos modelos e enviar os mesmos para a memória da impressora.

 

Não espere ver no Zetup configurações avançadas. Apenas poderá importar ficheiros STL, alterar a escala, qualidade e densidade de impressão e pouco mais. Uma percentagem de configurações extremamente reduzida para quem conhece as dezenas de possibilidades do Cura ou do Simplify3D por exemplo. O Zetup tem por missão ser simples e de facto isso é conseguido de forma impecável.

 

image

0015

 

O Zetup permite definir várias opções, antes da impressão, nomeadamente a qualidade. Maior qualidade significam mais camadas, e por conseguinte maior tempo de impressão. Dependendo do objeto, poderá fazer sentido, ou não, imprimir com a qualidade máxima (Normal).

 

0012

IMG_0495IMG_0496

IMG_0497IMG_0500

IMG_0498_1IMG_0499

  Screenshot_2018-01-20-18-56-13

 

Após concluir cada trabalho de impressão o utilizador fica sem saber se pode desligar logo a impressora da energia. Se não o fizer a impressora, após estar alguns minutos com as ventoinhas ligadas, acaba por ficar em silencio. Seria útil a BQ explicar se a impressora deve ficar ligada à energia após ficar em silencio, ou se pode ser logo desligada no final de cada impressão.

 

 

 

Filamento

A bobina de 300 gramas de filamento PLA com 1,75 mm de diâmetro que é fornecida, é produzida BQ. Conhecedora deste mercado, a BQ deverá ser um dos maiores fabricantes europeus de filamento. Qual é a novidade nestas bobinas especiais da BQ? Incorporam uma etiqueta (um chip muito fino) Near Field Communication ou NFC, quase invisível (está por baixo do QR Code), que permite passar informação para a impressora e para o software, relativamente à cor e quantidade do filamento disponível, mas também a temperatura de impressão.

 

Estas bobinas da BQ encaixam totalmente dentro de uma das laterais da impressora, de uma forma simples e discreta. O preço das bobinas ronda os 10 Euros.

 

IMG_9128

 

Neste momento presumo que não consiga encontrar bobinas de outros fabricantes, para esta impressora, o que poderá fazer que tenha que comprar “obrigatoriamente” filamento da BQ para não ficar com a bobina fora da impressora. Não vi informação relativamente ao facto de a impressora aceitar filamento standard de outros fabricantes, mas, bem vistas as coisas, creio que não faria sentido existir algum impedimento, a não ser que a impressora tivesse obrigatoriamente que ler uma etiqueta NFC para funcionar. A BQ poderia ser mais clara quanto a este ponto. Por curiosidade, ao executar o assistente de troca de filamento, ao colocar o novo, coloquei o mesmo filamento. Na parte em que o assistente pede para colocar a bobine dentro da impressora, não coloquei e avancei no assistente. Logo de seguida, como a impressora não detetou a etiqueta NFC o Zetup perguntou-me que temperatura deveria utilizar com aquele filamento.  Defini 210º e logo de seguida dei ordem de impressão de um modelo. A impressora avançou normalmente o que prova que aceita imprimir filamento de outros fabricantes, não obrigando a uma etiqueta NFC,  nem a ter a bobina dentro da impressora.

 

Seria interessante a BQ fornecer um suporte externo para bobinas, para o utilizador utilizar filamento standard, que até pode ser da BQ.

 

Screenshot_2018-01-20-16-54-37

 

Uma nota muito positiva para o enrolamento das bobinas, sem qualquer falha que possa levar a problemas de entrelaçamento. O enrolamento do filamento nas bobina é perfeito. Desta forma a probabilidade de o filamento ficar entrelaçado e impedir a impressão é quase nulo.  Nada pode ser mais frustrante e irritante do que ter uma bobina com problemas de entrelaçamento do filamento que possam levar a impressões terminadas a meio e muito desperdício de tempo e, claro está, filamento.

 

IMG_8926

 

Pelo que entendi, a impressora comunica constantemente à etiqueta NFC na bobina o filamento disponível. Digo isto porque mesmo após repor as definições de fabrica da impressora, todas as estatísticas foram perdidas (numero de impressões, horas de funcionamento, etc.), excepto a quantidade de filamento disponível na bobina.

 

Propositadamente tentei imprimir um modelo, em que sabia previamente que o filamento que a bobina tinha disponível não era suficiente. Ao dar ordem de impressão o software avisou-me que o filamento presente não seria suficiente para concluir a impressão. Ainda assim permitia continuar. Um ponto a favor para esta inteligência que o Zetup tem. A percentagem de filamento disponível é uma estimativa aproximada que tem um erro mínimo pelo que pude observar. A impressora logicamente não tem nenhuma balança para pesar o filamento disponível. Aconteceu uma das bobinas ter algum filamento e o software mostrar que tinha 0 gramas, tendo por isso 0% de filamento disponível.

 

É possível trocar de filamento a meio da impressão, por exemplo para imprimir com cores diferentes. O Zetup tem um assistente para o efeito. É aconselhável, aquando do inicio do processo em que a plataforma de impressão baixa, ter um alicate de corte e uma pinça para retirar filamento que poderá ficar em excesso na área em que o hot-end estava no momento da pausa.

 

Nesta impressão, com 2 cores, notei um pequeno deslocamento da impressão, quase imperceptível a olho nu. Nada de grave, mas não era suposto acontecer.

 

Carregue na imagem para a abrir em tamanho maior

IMG_9543

 

 

 

Plataforma de impressão, calibração e limpeza do hot-end

A calibração da plataforma de impressão (14x14x14 cm) é totalmente automática, através de um processo de contacto elétrico. Isto é um avanço enorme relativamente às impressoras em que a calibração é efetuada de forma manual através de um processo em que é utilizada uma folha de papel. Para se ter uma ideia, em determinadas impressoras, basta mudar a mesma de sitio para automaticamente ser necessária uma nova calibração, que nem sempre é rápida  nem simples.

 

O processo de impressão inicia com uma calibração automática da plataforma, que antecede a cada impressão. A cabeça de impressão percorre várias extremidades da plataforma de impressão e “mede” a distancia entre ambas. Simples e eficaz. O tempo gasto neste processo (talvez 1 minuto ou nem tanto) é muito bem empregue.

 

A cabeça de impressão, antes de começar a impressão propriamente dita, passa por uma área especifica para retirar eventuais restos de filamento. Muito útil, embora nem sempre o resultado seja o esperado. Ao passar num sentido limpa, mas ao voltar a passar no sentido inverso por vezes acontece que o filamento volta a ficar agarrado ao hot-end. Nada que retirar filamento em excesso com uma pinça não resolva.

 

A plataforma de impressão pode ser retirada e colocada de forma simples, graças a um sistema de ímanes. Esqueça as usuais molas que se colocam em outras impressoras para prender a plataforma de impressão à impressora. Se isso fosse utilizado aqui deitaria por terra a ideia de ter uma impressora bonita na sala de estar e seria uma verdadeira mancha no design desta máquina. Mais uma nota positiva para o facto de existir um sensor que permite à impressora saber quando a plataforma de impressão é retirada e colocada. Num dos testes, em que cancelei a impressão poucos segundos de ter começado, a aplicação mostrou uma mensagem para retirar a plataforma de impressão para remover o filamento. Só depois de ter efetuado este procedimento a aplicação avançou para o passo seguinte. Isto também acontece entre impressões. Não é possível iniciar uma impressão ser ter tirado e voltado a colocar a plataforma de impressão.

 

0014

 

Esqueça também a habitual laca, fita cola de pintor ou outros métodos normalmente utilizados em outras impressoras para agarrar o plástico à plataforma de impressão. A BQ Witbox Go! tal como outras impressoras (falando por exemplo da Blocks Zero), utilizam um acrílico com alguma rugosidade que faz com que o plástico adira e não levante da mesa. Eficaz até de mais. Nenhuma impressão teve problemas relacionados com calibração ou aderência do filamento à plataforma de impressão, à exceção de um modelo com dimensões que ocupavam quase toda a área de impressão em que as extremidades começaram a levantar. Este comportamento é relativamente normal na impressão 3D pode estar relacionado com uma série de factores, entre eles a temperatura ambiente.

 

Numa das impressões parti o objeto ao tentar remover o mesmo da mesa. A espátula que é fornecida pode ajudar em determinadas situações, mas em outras não. Quando o objeto está demasiado colado à plataforma de impressão ou quando é muito pequeno e com pouca altura, a espátula não tem como entrar entre o objeto e a mesa e poderá ser difícil descolar a impressão da mesa. Bater com a espátula no objeto também nem sempre funciona (mesmo que funcionasse poderia “danificar” ligeiramente a peça). Penso que isto teria uma solução muito simples tal como tem a Blocks Zero. Bastaria o acrílico ser mais fino para que pudesse ser ligeiramente flectido e a peça saltasse, literalmente, da plataforma (com a plataforma atual é possível flectir um pouco, mas nem sempre é o suficiente para ajudar a retirar a  peça). Funciona muito bem na Blocks Zero, sendo uma solução extremamente simples e eficaz.

 

IMG_9012

 

A impressão de um cubo de calibração, utilizado para aferir a precisão da impressora nos 3 eixos, X, Y e Z, demonstrou que a medição dos vários lados (vários eixos) é precisamente 20,0 mm, tal como esperado, ou estava muito próximo.

 

IMG_9235

 

 

 

Impressão

A qualidade de impressão da BQ Witbox Go! é muito satisfatória e consistente. Durante o teste imprimi à volta de 60 modelos sendo que apenas 1 ou 2 não foram bem sucedidos. A impressora imprimiu, no total, cerca de 70 horas. Ainda assim, existe muito espaço para melhorar, mais até do lado do software que terá um longo caminho a percorrer quer em estabilidade quer em funcionalidades. Durante todo o tempo que testei o Zetup observei situações que certamente são evitáveis com melhorias que a BQ poderá vir a implementar.

 

O mesmo modelo de impressão, um suporte para smartphone em formato de gato, foi impresso na Witbox Go! e numa Blocks Zero. Nesta última, utilizando uma camada de 0,2mm, 40 mm/s de velocidade e 15% de infill, demorou cerca de 2 horas. Na BQ utilizando a melhor qualidade (a aplicação não indica qual é a altura da camada) e um preenchimento (infill) intermédio, demorou cerca de 3 horas. A diferença entre as peças é visível. Se reparar-mos no resultado final da BQ, existem 5 áreas do modelo que não têm perfeição absoluta. No modelo da Blocks isto não aconteceu. Esta questão estará apenas relacionada com software, nomeadamente com os travel paths (caminhos percorridos pela cabeça de impressão) e com a retraction (retração utilizada para não deixar filamento indesejado quando a cabeça de impressão se está a mover). Sendo o Zetup “fechado” a este tipo de alterações, resta à BQ melhorar este aspeto em próximas versões.

 

IMG_9004

 

Claro está que com algum pós-processamento da impressão, retirando o filamento indesejado com uma lâmina de corte, o problema é resolvido e a peça fica quase perfeita. Digo “quase” porque comparando com o mesmo modelo que foi impresso na impressora Blocks Zero, onde não existe filamento indesejado, são notadas pequenas diferenças nas áreas que tinham filamento indesejado. À parte disso, a qualidade impressiona e é muito semelhante nomeadamente ao nível da homogeneidade e consistência das camadas e dimensão das peças.

 

 

Algumas das imagens abaixo permitem que carregue sobre elas para as abrir em tamanho maior

IMG_9010

IMG_9160

IMG_9105

IMG_9113

IMG_9108

 

Notei ainda que a(s) última(s) camada(s) das impressões deveriam ter mais qualidade. Em várias áreas notam-se espaços vazios que deveriam estar preenchidos. Mais uma vez penso que esta questão estará relacionada com o software. Uma velocidade inferior nas últimas camadas provavelmente resolveria o assunto.

 

IMG_9173

 

A impressão de modelos em que é necessário bastante rigor ao nível da calibração da impressora demonstrou que a BQ Witbox Go! é bastante fiável neste aspecto. No exemplo da imagem, uma mola de roupa,  é possível reparar que existe um pequeno espaço a separar as 2 partes da mola, e esse espaço foi respeitado pela impressora muito embora na impressão das primeiras camadas, as 2 partes tenham ficado unidas, dado que estavam muito próximas uma da outra. Isto é normal acontecer já que se trata das camadas iniciais e facilmente se resolve com uma lâmina de corte.

 

image

IMG_9157

IMG_9159

IMG_9165

 

Ainda assim, ao comparar as molas impressas na Witbox Go!, em que imprimi com preenchimento e qualidade máxima, com as molas que anteriormente tinha impresso na Blocks Zero (mola branca), noto que as brancas têm uma maior resistência, isto é, fazem mais força para fechar. Isto pode não ter propriamente a ver com a impressora em si, mas com o filamento ou com o software (por exemplo a orientação do filamento a cada camada, isto é, vertical e horizontal de forma alternada pode fazer a diferença ao nível da resistência) ou a combinação de ambos.

 

A utilização de suportes (o Zetup tem uma opção para o efeito), para imprimir objetos mais complexos, permite imprimir modelos que contêm áreas sem sustentação. Estes suportes são posteriormente removidos, normalmente com facilidade, já que não estão 100% “colados” ao modelo propriamente dito. No caso deste modelo, como se pode verificar, foram criados suportes para a área central (identificada a amarelo na segunda imagem), mas não para a área assinalada a vermelho. O Zetup inviabiliza desta forma a impressão deste modelo. Se existisse a possibilidade de o utilizador, antes de iniciar a impressão, conseguir pré-visualizar uma simulação da impressão, poderia constatar que algo não estaria correto e não avançava com a impressão propriamente dita.

66Screenshot_2018-01-20-16-55-52

IMG_9228

 

Já neste outro modelo, uma chávena, foram criados suportes em baixo e no meio da asa. Suspeito que mesmo sem os suportes a asa iria sair perfeita, mas optei por não arriscar. Os suportes são facilmente removidos com a mão ou com a ajuda de uma lâmina ou objecto pontiagudo, e pelo menos neste modelo, não deixaram marcas.

 

IMG_9245

IMG_9247

 

Neste outro exemplo, em que imprimi o Empire State Building na Blocks Zero (azul) e também na Witbox Go! (à direita) é possível verificar que a finalização da impressão, na parte da impressão da antena que está presente no topo do famoso edifício, a Witbox Go! não fez um bom trabalho já que deixou muito filamento no mesmo sitio.

 

IMG_9536

 

 

Estes são todos os objetos que imprimi com a Witbox Go!

IMG_9415

 

Num dos vários testes que fiz, durante a impressão de um parafuso mais porca, a partir de um certo momento a impressora começou a fazer um barulho mais intenso, dentro da própria impressora. Após analisar o que se passava verifiquei que a impressora estava a imprimir sem filamento. Poucos segundos depois o led passou para vermelho e a mesa de impressão baixou automaticamente. A parte boa de a impressora ter tido este problema é que foi possível comprovar que os sensores (filamento? bocal obstruído? detetaram um problema e pararam a impressão. Pensando que fosse o filamento encravado, iniciei o processo de troca de filamento, na App (Android). Começou bem mas o led passou para vermelho e o assistente mostrou um erro indeterminado. Após aceitar a mensagem, o led passou a verde e voltei a iniciar o assistente de troca de filamento. Desta vez tudo correu bem. Tirei o filamento, voltei a colocar, e voltei a imprimir novamente o parafuso.

 

IMG_9097

IMG_9104

 

 

 

Ruído

Estava expectante quanto ao ruído emitido pela impressora, já que a BQ evidencia que este modelo tem tecnologia que permite que a impressora opere de forma silenciosa, no que diz respeito aos motores. Sim, de facto os motores são silenciosos, o problema é o ruído originado pela ventoinha, ou pelas ventoinhas. Não sei exatamente quantas a impressora tem,mas suspeito que são 2. Não é nada que quem está habituado a lidar com impressoras 3D não esteja habituado, mas tendo em conta que a BQ anuncia que a impressora é silenciosa, pensava que de facto fosse diferente do habitual. Numa sala em silencio absoluto, causa algum impacto.

 

 

 

Apoio do fabricante

Como anteriormente indiquei, durante a instalação e utilização do Zetup tive alguns problemas que me levaram a procurar o apoio da BQ. Uma nota muito positiva para o contacto com o suporte. Após preencher um formulário de pedido de apoio, fui contactado pelo suporte para dar seguimento ao meu pedido. Durante vários dias recebi vários contactos telefónicos do suporte e forneci ficheiros de log, que o Zetup gera, para ajudar a identificar problemas. Apesar dos esforços, tal como referi acima, não foi possível resolver alguns problemas que enfrentei com alguns computadores, em tempo útil.

  

 

 

Especificações

PREÇO 699,90€
SISTEMA OPERATIVO Android M
PROCESSADOR Qualcomm® Snapdragon™ 410
MEMÓRIA 8 GB
RESOLUÇÃO Alta, média e baixa

DIMENSÕES

Dimensões do produto: (x)300 x (y)255 x (z)480mm
Dimensões da caixa: (x)405 x (y)350 x (z)540mm
Área de impressão: (x)140 x (y)140 x (z)140 mm

MECÁNICA EXTRUSOR

Totalmente metálico
Aquecedor axial
Isolamento térmico
Extrusor DDG com sistema bowden

MECÂNICA GERAL

Fixação da base de impressão por meio de ímanes
Não necessita de aderentes (laca, fita-cola, etc.)

ELECTRÓNICA

Sensor de fim de filamento
Sensor de bocal obstruído
Sensor da base de impressão
Autonivelamento por contacto elétrico
Redução de ruído – Controladores do motor Trinamic TMC5130
LED de notificações

SOFTWARE

Zetup
PC: Windows e Linux
App: Android

COMUNICAÇÕES

Wi-Fi® 802.11 b/g/n
NFC – Deteção automática do filamento
Micro-USB tipo B

CONTEÚDO DA CAIXA

Impressora 3D Witbox Go!
Bobina de PLA de 1,75 mm, 300 g
Base de impressão
Adaptador de tomada UE para EUA
Cabo USB para micro-USB
Peça de teste impressa
Espátula
Guia Rápido e Garantia

OUTROS

Certificações CE, EAC
Atualizações OTA

PESO

Produto: 4,8Kg
Produto e embalagem: 7,5Kg

 

 

 

Sugestões de melhoria

A perfeição é algo que principalmente do ponto de vista dos utilizadores não existe, e nesta máquina muitas são as melhorias que poderiam ter sido efetuadas. O problema é que do ponto de vista dos fabricantes sugestões de melhoria são bem vindas mas na prática são normalmente acompanhadas por aumento dos custos que se refletem no valor final do produto.

  • De base, deveriam ser incluídos mais modelos de teste, para além do habitual barquinho.
  • Faltam aplicações para iOS (iPhone e iPad).
  • Melhorar a plataforma de impressão para conseguir remover alguns objetos.
  • A BQ poderia ter um portal de modelos otimizados e testados pelo próprio fabricante, para que, de forma direta e rápida fosse possível imprimir no smartphone ou tablet.
  • Possibilidade de poder fazer tudo recorrendo apenas ao smartphone ou tablet, incluindo o download de modelos de impressão diretamente dentro do Zetup, escolha da qualidade e preenchimento, suportes, etc.
  • Ficaria excelente ter iluminação led dentro da impressora, para visualizar a impressão em ambientes com pouca luminosidade.
  • Senti falta de um manual com perguntas e respostas, procedimentos recomendados para a resolução de problemas, etc.. Por exemplo, tive que descobrir sozinho que é possível desligar a impressora pressionando o único botão da impressora por vários segundos. Outras perguntas e dúvidas ficariam solucionadas facilmente. Posso desligar logo a impressora no final de cada impressão? Posso utilizar filamento de terceiros? Que materiais? ABS? Apenas PLA? Filamento flexível?
  • Seria interessante poder controlar a impressora, nomeadamente para saber-mos quando um trabalho de impressão terminou, quando fora de casa. A conexão com a impressora atualmente só funciona quando estamos ligados à mesma rede que a impressora.
  • Tal como acontece em outras impressoras mais caras, uma câmara dentro da impressora, para visualizar o desenvolvimento da impressão, seria ótimo. A possibilidade de criar time-lapses de cada impressão também não seria mal pensado.
  • O Zetup necessita de otimizações várias para melhorar a qualidade final de alguns modelos (ver acima).
  • Envio, juntamente com a impressora, de uma pinça, de um alicate de corte e de um suporte para bobinas convencionais. Fundamental.
  • A impressora deveria ter um interface WiFi na banda dos 5Ghz para os casos em que o utilizador apenas tem redes Wireless nessa faixa de frequências.
  • O Zetup tem que melhorar a sua estabilidade (instalação, impressão, mover a aplicação entre janelas, importar modelos, Wizard, etc.).
  • Melhorar o Zetup para que seja melhor na colocação de suportes, rodar objetos (faltam ângulos pré-definidos e possibilidade de o utilizador escrever o ângulo pretendido) e estudar a possibilidade de o Zetup posicionar automaticamente os objetos na mesa para maximizar a qualidade final e evitar utilização de suportes.
  • O Zetup deveria ter tratamento de erros em algumas situações. Ao invés de crashar quando se importa um determinado modelo que é mais complexo ou tem problemas, deveria mostrar uma mensagem amigável ao utilizador que o ajude a ultrapassar o problema.
  • Diminuição de ruído da impressora.
  • Deveria existir um changelog das atualizações do firmware.

 

 

 

 

Esta impressora traz à memória a BEETHEFIRST +, produzida em Portugal, que também tem um design muito atraente (ganhou vários prémios internacionais), é simples de utilizar e transportar mas no entanto tem um custo que é quase o dobro da BQ Witbox Go!. A BEETHEFIRST + possui muito menos tecnologia incorporada. Não tem WiFi, NFC, calibração automática nem outros sensores. Efetivamente a BEETHEFIRST ganha em outros aspectos como por exemplo no software, também proprietário, mas muito mais maduro quando comparado com o Zetup da BQ. A possibilidade de utilizar outros materiais para além do PLA, como Nylon, madeira e filamento flexível também é um outro ponto a favor da BEETHEFIRST +, muito embora isso não seja normalmente relevante para o utilizador doméstico, sendo que para este, a impressão em PLA é normalmente suficiente.

 

A Witbox Go! é uma impressora que vem ocupar um lugar de destaque no segmento das “impressoras prontas a imprimir e fáceis de usar”. A BQ diz que são apenas necessários 15 minutos para começar a imprimir. Não foi o meu caso mas pode muito bem ser o caso de outro utilizador :) Fruto da novidade, da ousadia e do risco que a BQ corre em criar um produto inovador que marca a diferença, ainda tem algum caminho a percorrer para amadurecer, nomeadamente e quase em exclusivo, no que diz respeito ao software. A experiencia com a Witbox Go! foi muito positiva, apesar de alguns problemas que enfrentei e apesar de observar que a qualidade final da impressão de alguns modelos deveria ser melhor.

 

Apreciei a simplicidade de muito rapidamente e com poucos toques no ecrã, dar ordem de impressão a partir de um smartphone ou tablet. Esta é a impressora mais simples que utilizei até ao momento. Pode ser ainda mais simples se a BQ implementar no software várias melhorias que anteriormente referi.

 

Por ser conhecedor e ter experiencia no mundo da impressão 3D, nomeadamente com várias impressoras de vários fabricantes, procurei testar ao máximo todas as funcionalidades deste equipamento evidenciando as características que destacam esta impressora das restantes.

 

 

 

Fórum de apoio da BQ e página de transferências:

http://www.mibqyyo.com/comunidad/categories/witbox-go!

https://www.bq.com/pt/support/witbox-go/support-sheet

 

 

 

Páginas e vídeos relacionados:

https://www.futurebehind.com/bq-witbox-go-apresentacao/

http://exameinformatica.sapo.pt/noticias/hardware/2017-03-15-Witbox-Go-BQ-apresenta-impressora-3D-com-Android

https://pplware.sapo.pt/truques-dicas/impressora-3d-bq-witbox-go-primeiros-passos/

https://pplware.sapo.pt/analises-2/unboxing-impressora-3d-bq-witbox-go/

https://www.facebook.com/exameinformatica/videos/10154870724136036/

https://www.facebook.com/exameinformatica/videos/10154870539721036/

https://www.youtube.com/results?search_query=witbox+go

 

 

 

www.bq.com/pt/witbox-go

Anúncios

Ações

Informação

3 responses

14 02 2018
wdwilsojoseoliveira

Olá!
Visite meu site: https://wdwilson.blog

14 02 2018
wdwilsojoseoliveira

Republicou isto em wdwilson.

26 04 2018
Filamento PLA BQ Easy Go | ..::invisible flame light::..

[…] Suspeito que o objetivo seja, tal como acontece com a impressora BQ Witbox Go!, já analisada neste artigo, que a BQ esteja a projetar novas impressoras que vão permitir que estas novas bobinas […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: