Parrot Swing-Um mini drone divertido

8 01 2019

O Swing faz parte da família dos mini drones da Parrot. Embora seja um modelo que já foi descontinuado pela Parrot, este drone é agora encontrado no mercado, nomeadamente nas grandes cadeias de retalho como a Rádio Popular, Worten e Fnac, a preços muito convidativos. A Radio Popular por exemplo está com uma promoção em vigor que faz com que o Swing tenha o custo 29,99 EUR, já com o comando incluído, denominado de Flypad. É um preço excelente para um drone bastante avançado para a classe onde se insere. Mais ainda quando considerar-mos que só o comando tem o custo de 39,99 EUR e a bateria 14,99 EUR, quando comprados de forma individual.

 

IMG_1330

 

Este drone descola e aterra na vertical (modo quad), como a maioria dos drones, mas no ar tem a possibilidade de voar em modo avião. Neste modo pode atingir a velocidade de 30 km/h. Para além do drone, da bateria e do comando, a caixa traz um cabo USB para carregar o drone e o comando, que também serve para transferência de dados entre o drone o computador. Estão ainda incluídas 4 hélices de substituição, um suporte para o smartphone e os manuais do drone e do comando. Ao contrário de muitos outros drones desta categoria, que são ligados e desligados diretamente através da ligação da bateria ao drone, o Swing tem um botão ON/OFF.

 

Parrot SWING–Vídeo oficial

 

A Rádio Popular vende atualmente dois packs do Swing. Um pack com o drone preto, em que dentro da mesma caixa estão incluídas duas outras caixas mais pequenas, uma com o drone e outra com o comando, e um pack com o modelo branco, em que o drone e comando vêm na mesma em caixas separadas, mas sem a caixa exterior, maior. Não é só a cor que muda entre os 2 packs (pelo menos nos 2 que testei). O preto utiliza um material designado por Polipropileno. O branco utiliza um outro material diferente, em espuma, e tem plástico nos rebordos das asas. Ainda assim ambos os drones têm o mesmo peso, de cerca de 75 gramas. Quer um, quer outro, têm a versão “HW_02” de hardware, portanto à partida as diferenças são apenas as que mencionei anteriormente. O comando do drone preto, para além de outras pequenas diferenças, é bastante mais pesado comparativamente ao comando do pack do drone branco, apesar de ambos terem a mesma autonomia. Esta diferença nos comandos aparentemente está relacionada com o facto de um deles (o que acompanha o drone de cor branca) não vibrar quando o drone está a ficar sem bateria. Apenas o indicador luminoso passa de verde para vermelho (intermitente). No comando mais pesado, que acompanha o drone preto, o mesmo indicador passa para vermelho fixo.

 

 

 

Controlo do Drone

O controlo do drone pode ser efetuado recorrendo ao Parrot Flypad (que é o mesmo comando utilizado nos restantes mini drones da Parrot) ou ao smartphone, existindo ainda a possibilidade de utilizar ambos em conjunto. Neste último caso o controlo é efetuado maioritariamente no comando.

A comunicação com o drone utiliza a tecnologia Bluetooth. O raio de ação é de 20 metros ou 60, no máximo, conforme seja utilizado um smartphone/tablet ou o comando para pilotar o drone. A altura máxima, que pode ser configurada na aplicação gratuita FreeFlight Mini (disponível para smartphone e tablet), que é indispensável para tirar o máximo partido do drone,  pode chegar até aos 25 metros. O controlo do drone é muito preciso, quer se utilize o comando, quer se utilize a aplicação. Aconselho a utilização do comando porque os joysticks permitem uma maior precisão, assim como existem muitos botões com funções associadas. Ao contrário de muitos outros drones de baixo valor, se largar os comandos o drone, este irá permanecer no mesmo sitio, não se despenhando. É aqui que entra o piloto automático, que recorre aos vários sensores para manter a estabilidade e o posicionamento do drone quando o piloto não está aos comandos. É interessante largar o comando e soprar ou empurrar ligeiramente o drone e perceber que ele volta sempre ao ponto onde estava, com algum grau de precisão. É muito fácil pilotar o Swing. Quer esteja em modo quad ou avião, os sensores proporcionam uma pilotagem segura e divertida. Estão disponíveis uma série de acrobacias que vão tornar ainda mais espetacular a experiencia de pilotagem.

O processo de descolar ou aterrar pode ser efetuado automaticamente através de um botão existente no comando e na App. O drone também pode ser lançado da mão diretamente para o ar.

 

 

 

Tecnologia

Apesar de ser um modelo muito pequeno e leve, incorpora diversos sensores e tecnologia para garantir a estabilidade no ar e uma boa experiencia de utilização. A estabilização vertical é assegurada por um sensor de ultrasons e por um sensor de pressão. Para a estabilização horizontal é utilizada uma câmara, que também pode ser utilizada para o registo de imagem, mas apenas para fotografia. Está ainda presente um acelerómetro e giroscópio de 3 eixos.

A comunicação do drone é assegurada por Bluetooth (v4.0 BLE). O drone possui 2 indicadores luminosos frontais que indicam os diversos estados do Swing.

 

 

 

Bateria

A bateria do drone, com capacidade de 550 mAh (LiPo Battery), é carregada em cerca de 30 minutos e permite voar até 7 minutos em modo quad ou 8:30 minutos em modo avião. O máximo de tempo que conseguir voar até ao momento, apenas em modo quad e dentro de casa, foi de 6:24 minutos. Neste teste, apenas carreguei no botão de levantar e não mexi mais nos controlos até o drone aterrar automaticamente.

Depois se inserir a bateria no drone, no compartimento existente para o efeito, e após ligar o cabo USB, é mostrado um led vermelho que existe junto ao conector. Este indicador passa para verde quando a bateria está totalmente carregada. Quando a bateria começar a perder muita autonomia, após vários ciclos de carga/descarga, ou após uma utilização incorreta, esta pode ser facilmente substituída por uma nova.

Untitled

O processo de carregamento poderá ser acompanhado diretamente na App, onde é mostrado o seu estado. Para aceder a esta funcionalidade conecte a App ao drone e avance para o ecrã de pilotagem. Depois coloque a bateria a carregar e carregue na opção CHARGING, que aparece a vermelho na parte superior central da App.

IMG_5079

Como alternativa à bateria que vem de origem, é possível adquirir uma bateria com maior capacidade (660 mAh), que permite aumentar o tempo de voo. Esta bateria pode ser adquirida diretamente na Parrot ou em revendedores como o El Corte Inglés por exemplo. Comparativamente à bateria original, que custa cerca de 15 EUR, esta bateria custa cerca de 2 EUR a mais.

 

 

 

Aplicação

A aplicação FreeFlight Mini, que está disponível para iOS e Android, permite, para além de controlar o drone, ajustar diversas opções do mesmo, assim como atualizar o firmware e aceder dados de voo. Apesar de ser um modelo descontinuado, a Parrot continua a disponibilizar o acesso à última versão do firmware. Portanto, é altamente provável que, se comprar o Parrot Swing, na primeira vez que utilizar a App seja mostrada a indicação que existe uma nova versão do firmware. A atualização pode ser efetuada por Bluetooth (mais demorada) ou diretamente por cabo, através da conexão entre o drone e um computador. É altamente recomendado atualizar o firmware para a última versão antes da utilização do drone.

IMG_5097

O controlo do drone com a aplicação não é tão preciso comparativamente ao controlo com o comando fornecido. Ainda assim é possível controlar o drone com segurança e precisão. Na imagem seguinte temos os 2 joysticks virtuais e no centro temos a opção de alternar entre o modo quad e o modo avião.

Como anteriormente referi, é possível levantar o drone diretamente a partir da mão. Para isso, na App, carregue no botão que tem o desenho de uma mão. O drone liga os motores a baixa rotação e quando o piloto lança o drone para o ar os motores ficam a rodar à rotação normal e o drone fica logo estabilizado e imóvel no ar.

IMG_5081

Na realidade também é possível que o drone descole da mão sem esta funcionalidade. É útil, por exemplo, quando apenas temos o comando Flypad e não temos o smartphone com a App por perto. Basta segurar o drone no centro, pelo corpo, e carregar em descolar, no botão do comando, largando-o (não é necessário lançar para cima) após este ligar os motores. É necessário ter cuidado para não tocar nas hélices. No entanto, ao lançar o drone para o ar desta forma, a contagem da altura à qual o drone está a voar começa do ponto onde o drone foi largado para o ar e não do chão. Se tiver a App configurada para limitar a altura máxima de voo a 2 metros, que é valor mínimo que é possível definir, poderá ter um problema ao voar dentro de casa, já que o drone poderá bater no teto das divisões.

Nas opções da App, em Piloting, poderá configurar os controlos do drone, assim como outras opções como a rapidez dos movimentos do drone nas várias direções.

IMG_5083

Para a utilização dentro de casa aconselho colocar todos os parâmetros em “Very slow” para conseguir pilotar o drone sem grandes preocupações e com maior precisão, já que este se vai mover da forma mais lenta possível.

IMG_5084

No separador Safety é possível configurar a altitude (altura) máxima do drone. Fiz alguns testes dentro e fora de casa, com um limite de 2 metros, e o drone cumpre este parâmetro, embora nem sempre com a mesma precisão.

IMG_5082

É importante referir que este drone, por motivos óbvios, não tem GPS, logo não tem a funcionalidade Return to Home (RTH).

 

 

 

Comando

O Parrot Flypad é muito ergonómico e confortável. Tem vários botões para executar várias funções, e até é possível, através da App, alterar as funções associadas a cada botão.

É compatível com todos os mini drones da Parrot. A duração da bateria (200 mAh LiPo), que demora 2 horas a carregar, é de 6 horas, o que permite umas largas dezenas de voos. A sincronização com o drone é muito rápida e estável. O comando (conforme a versão) vibra quando a bateria do drone está prestes a terminar, ao mesmo tempo que o indicador luminoso passa para vermelho, para alertar o piloto que deve aterrar. Isto também acontece quando estamos a pilotar o drone apenas com o smartphone.

Se o comando ficar sem bateria durante um voo, ou se o desligar propositadamente, o drone permanece imóvel no ar. O mesmo acontece se estiver a utilizar apenas o smartphone. Claro que o drone irá aterrar automaticamente ao esgotar a bateria.

IMG_5342

É possível aterrar de duas formas. Manualmente, em que o piloto traz o drone até ao chão. O Swing irá detetar que aterrou, através dos sensores de estabilização e desliga automaticamente os motores. De forma automática, basta carregar no botão LANDING, na App ou no comando, para aterrar. Durante a aterragem automática o piloto pode interromper este processo, voltando a carregar no botão de levantar/descolar, na App ou no comando, ou, em alternativa, movendo o joystick esquerdo do comando ou da App para cima. Existe ainda uma terceira forma de “aterrar”. Coloquei a palavra aterrar dentro de aspas propositadamente, já que este não é um método anunciado pelo fabricante. Basta agarrar o drone no centro (por cima ou por baixo) enquanto este está a voar, ao mesmo tempo que o agita levemente de forma muito rápida. Ao identificar o impacto o drone desliga os motores. Mais uma vez é necessário ter cuidado para não tocar nas hélices.

IMG_5098

Através do suporte existente para o efeito, é possível pilotar o drone com o comando e ao mesmo tempo aceder aos dados de voo na aplicação. O estado da bateria do drone e do comando, para além do tempo de voo, são os indicadores disponíveis. Neste modo de pilotagem, também é possível, para além de iniciar a aterragem, tirar fotografias e aceder a um menu (botão inferior esquerdo) para fazer acrobacias. No entanto apenas se estiver a voar em modo avião poderá efetuar estas acrobacias.

IMG_5346

 

 

 

Programação

Os mini drones da Parrot são utilizados atualmente em muitas escolas no ensino de programação a crianças. Através da programação por blocos, um método simplificado de programação, é possível programar de forma fácil e rápida os comportamentos do drone. A programação por blocos, e através de outras metodologias, é efetuada em aplicações que comunicam diretamente com o drone, para executar o que foi previamente definido. Existem várias aplicações para programar os mini drones, mas nem todas são compatíveis com todos os drones da Parrot.

A Parrot dedica bastante atenção à educação e por isso criou o Parrot Education, um programa que visa levar às escolas e às crianças a possibilidade de aprenderem mais sobre esta “nova” tecnologia dos drones. Existem KITS específicos para escolas, assim como existem parcerias com várias plataformas e aplicações de aprendizagem de programação. Aqui em Portugal já há escolas que utilizam tecnologia da Parrot no ensino.

IMG_5340

Na imagem anterior foi utilizada a App TYNKER, para programar determinadas ações do drone. Neste caso programei a App para o drone levantar, girar 180 graus à direita, depois 90 graus à esquerda e repetir esta ação 2 vezes, e executar outras ações posteriores. Também é possível pilotar o drone diretamente com o TYNKER, através de um comando virtual muito parecido ao da App oficial.

IMG_1324

Para além da utilização das linguagens de programação e aplicações orientadas para a aprendizagem de crianças, também é possível utilizar JavaScript e Python. A Apple também tem uma App, denominada de SWIFT PLAYGROUND, que permite programar os mini drones na linguagem Swift, no entanto este drone da Parrot não é compatível.

O drone Tello, da DJI (concorrente da Parrot), é um outro mini drone que também permite ser programado e também é utilizado em muitos programas educativos de muitas escolas.

A possibilidade de programar os drones da Parrot é possível porque este fabricante disponibiliza um SDK (Software Development Kit)  que permite que aplicações externas se conectem aos drones para pilotar, receber streaming de vídeo, atualizar o drone, entre outro tipo de interações. Mais informações em Parrot for Developers

 

 

 

Câmara

Como anteriormente referi, o principal propósito da câmara deste drone é atuar como um sensor e assegurar a estabilidade horizontal. No entanto esta também pode ser utilizada para tirar fotografias (qualidade de 300,000 pixeis), que são gravadas na memória do drone e podem ser transferidas para o computador através da ligação do drone com um cabo USB, ou, em alternativa, também podem ser transferidas diretamente para o smartphone. Para registar uma foto basta pressionar no botão que tem o ícone de uma câmara, na App, ou no botão R1 do comando.

Claro que não se pode esperar muito da qualidade das imagens, no entanto, tendo em conta o preço deste drone, não se poderia esperar muito mais. As fotos seguintes são alguns exemplos.

Swing_2019-01-06T153811 0000_5E4268

Swing_2019-01-06T155038 0000_

Swing_2018-12-18T142322 0000_

 

 

 

O drone está indicado para crianças com 14 ou mais anos. Apesar de ser muito fácil de pilotar, acidentes acontecem e o drone inevitavelmente, especialmente em voos dentro de casa, irá colidir com objetos ou com paredes, em que na maior parte das vezes a culpa será atribuída ao piloto. Também ao levantar voo, principalmente quando os motores estão quentes, o drone poderá levantar e logo de seguida virar para a frente ou para trás. Embora raramente, isto aconteceu em vários voos. Num caso ou noutro o drone desliga os motores. Se as hélices saltarem é muito fácil voltar a inserir as mesmas. Basta pressionar com algum cuidado e o drone estará pronto para novo voo. As hélices não são todas iguais e não podem ser encaixadas em qualquer motor, ainda que isso seja possível. Se saltar apenas uma, não existe esse problema, porque é fácil de perceber onde tem que ser inserida. No entanto, se saltarem várias, é necessário ter em conta que das quatro, duas hélices, uma de cada cor, têm uma marcação no centro, de cor cinzenta. Isto indica que estas devem ser colocadas nos motores que também têm uma marcação cinzenta. Se esta regra não for respeitada o drone não deve conseguir levantar voo.

Dado o seu tamanho, é aconselhável transportar o drone dentro da caixa para não o danificar. Se voar fora de casa, não se esqueça que, mesmo sendo considerada uma aeronave brinquedo, porque pesa menos de 250 gramas, terá que cumprir determinadas regras especificadas na legislação. Consulte o site Voa na Boa para mais informações. Também deve ter em conta que se existir vento não deverá levantar voo. Sendo um drone muito pequeno e leve, este irá “lutar” contra o vento para tentar manter a estabilidade. Neste caso provavelmente a bateria será consumida mais rapidamente.

 

 

 

Dicas

  • Deverá ler com atenção todos os manuais do drone, comando e App, para uma utilização correta e segura do equipamento.
  • O drone guarda as definições configuradas pela aplicação. Isto significa que se voar com o smartphone/tablet ou smartphone/tablet em conjunto com o comando, o drone vai guardar as definições utilizadas anteriormente. Assim, ao voar apenas com o comando, o drone vai voar da mesma forma que voou anteriormente.
  • Na página do Parrot Swing poderá comprar peças de substituição, visualizar tutoriais em vídeo, obter suporte, etc..

 

 

Notas

Versão do FreeFlight Mini: 5.5.8

Versão do hardware do drone: HW_02

Versão do firmware do drone: 2.6.11

 

 

PARROT SWING

Anúncios

Ações

Information

One response

30 04 2019
Parrot Bebop 2-Um drone com uma relação qualidade/preço imbatível | ..::invisible flame light::..

[…] dois comandos da Parrot. O Skycontroller 2, que veio com o Parrot Disco, e o Flypad que vinha com o Parrot Swing. O primeiro comando é o mais caro, mas também é o que permite alcançar uma distancia maior, de […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: