ESKY 150 V2-Mini helicóptero telecomandado com rotor principal convencional

16 05 2020

Não deixa de ser surpreendente como este “brinquedo” de cerca de 35 gramas consegue replicar quase na totalidade o funcionamento de um helicóptero real. Engenharia de miniaturização ao seu melhor nível. Ao contrário da maioria dos helicópteros telecomandados de baixo custo, que vão aparecendo nas lojas de retalho como Lidl, Worten, Aldi, Fnac, El Corte Inglés e em algumas lojas online, o Esky 150 v2, produzido pela Zonda Hobby não utiliza nem barras estabilizadoras, nem rotor de cauda horizontal, nem sequer um rotor coaxial. Utiliza sim um rotor principal convencional e um rotor de cauda vertical, tal como a maioria dos helicópteros “a sério”.

 

IMG_2407

 

O Esky 150 v2, tal como o nome indica, é a segunda versão de um helicóptero que inicialmente comprei, versão 1, e que devolvi poucos dias depois por apresentar alguns problemas de conexão. Sendo um pouco mais caro, a segunda versão desde heli tem uma série de melhorias comparativamente à versão inicial, nomeadamente na estabilidade em voo. Por cerca de 55 Euros pode adquirir o conjunto pronto a voar (RTF-Ready To Fly): helicóptero e carenagem, bateria, carregador USB e comando. Adicionalmente é incluído um segundo conjunto de pás e um pequeno manual de utilização (em inglês e noutra língua que presumo que seja chinês). Apesar de a caixa referir que estão incluídas as pilhas AA, necessárias para o comando, tal não aconteceu na embalagem que a Zonda Hobby me enviou.

 

IMG_2410

 

 

Tipos de rotores

Nos helicópteros existem vários tipos de rotores. No vídeo em baixo, do Canal VHD, poderá ficar a saber um pouco mais sobre este assunto. Este canal do YouTube, em Português, é dedicado em exclusivo ao mundo dos helicópteros e tem conteúdos sobre uma série de temas relacionados.

image

Em baixo descrevo de uma forma simples dois dos sistemas de rotores mais utilizados pelos fabricantes destas magníficas máquinas.

 

Rotor convencional

Este é o tipo de rotor mais utilizado nos helicópteros. É constituído por um rotor principal e por um rotor de cauda, vertical, que visa compensar o efeito de torque do rotor principal.

image

Em cima um Robinson R66 Turbine, um helicóptero bi-pá de fabrico americano. Na imagem em baixo o ESKY 150 V2, um helicóptero telecomandado, também com duas pás no rotor principal e outras duas no rotor de cauda, tal como o R66.

IMG_2413

Ao contrário de um drone, que normalmente tem 4 ou mais rotores, o ESKY 150 V2 tem apenas 2 rotores. O rotor principal e e o rotor de cauda. Apesar disso também tem 4 motores: 2 para os 2 rotores (principal e cauda) e outros 2 utilizados para fazer mover o sistema do rotor principal para o heli se mover para a frente, trás, esquerda e direita. Além dos 4 motores, este helicóptero tem uma série de peças, nas quais se incluem rolamentos e várias articulações, que se movem entre si, que é onde a magia acontece, através da alteração do ângulo das pás.

IMG_2477

 

Rotor coaxial

Como escrevi no inicio deste artigo, a maior parte dos helicópteros telecomandados de baixo custo utilizam o sistema de rotor coaxial, em que não existe a necessidade de rotor de cauda para contrariar o torque do rotor principal, já que no rotor principal possui 2 rotores, um em cima do outro, que giram em direções opostas.

ilustrativa-kamov-3

Em cima, uma imagem de um Kamov, de fabrico russo, muito utilizado em Portugal no combate aos incêndios e que utiliza o tipo de rotor coaxial. Em baixo, um helicóptero telecomandado, com rotor coaxial, barra estabilizadora e rotor horizontal. Por ser mais simples, este é o sistema de rotores mais utilizado nestes helicópteros baratos.

image

 

 

Neste artigo pretendo fazer uma análise ao Esky 150 v2, focando as suas caracteristicas principais. No site RC HELICOPTER FUN, totalmente dedicado a helicópteros telecomandados, poderá encontrar uma análise mais detalhada a este heli.

 

 

Bateria

A bateria é extremamente leve e compacta. Com capacidade de 150mAh, pode ser carregada através do carregador USB que também é fornecido. O tempo necessário para carregar a bateria na totalidade é de cerca de 40 minutos. Durante o tempo em que está a carregar, o led do carregador mostra uma luz vermelha, que passa a verde quando a bateria estiver totalmente carregada.

IMG_2418

A bateria é fixada no helicóptero através de um sistema de velcro que vem incluído, que se revela simples e leve. Acaba no entanto por ser pouco prático estar constantemente a colocar e a retirar a bateria, ainda mais mais se colocar a carenagem. Penso que seria mais prático haver a possibilidade de a bateria permanecer no helicóptero e ao mesmo tempo ser possível carregar a mesma, mesmo quando a carenagem está colocada.

 

 

Comando

Ao comprar o heli terá que escolher 1 entre 2 comandos diferentes: modo 1 e modo 2. Neste site poderá entender melhor as diferenças entre os 2 modos. Basicamente o que muda é a função de cada um dos 2 joysticks.

O comando, apesar de ser relativamente grande, é ergonómico e leve. Para funcionar necessita de 4 pilhas AA. Para além dos 2 joysticks, tem 4 botões para fazer ajustes (trim’s) nos vários eixos, um botão de ON/OFF e um botão que permite alternar a sensibilidade dos comandos, isto para alternar entre voo interior ou no exterior, o que permite respetivamente alternar entre o modo de iniciado e de piloto avançado. Neste último modo o heli fica mais “acelerado” e responsivo.

O emparelhamento entre o comando e o helicóptero é muito simples e rápido, não existindo problemas de comunicação entre ambos durante o voo.

Existe uma outra versão do Esky, designada por ESKY 150XP2 (W/O Tx and Rx), que não traz o comando, já que permite que o utilizador utilize o seu próprio comando e receptor, desde que seja compatível. Logicamente esta é uma opção para utilizadores mais avançados.

 

 

Autonomia em voo

A autonomia em voo poderá variar, em função de vários factores, entre 4 e 6 minutos. Não é mostrado nenhum alerta de bateria fraca, o que é uma pena. Quando a bateria está a chegar ao fim, o helicóptero simplesmente  começa a perder altura, havendo no entanto tempo suficiente para pousar sem sobressaltos.

IMG_2416

 

 

Licenças para voar (Portugal)

Esta “aeronave pilotada remotamente” (designação oficial tendo em conta a legislação atual) é considerada uma “aeronave brinquedo” pelo facto de ter um peso inferior a 250 gramas. Por isso, e uma vez que não tem câmara para filmar e/ou fotografar, não carece de licença da AAN para voar em algumas zonas e sob algumas condições. Também não irá necessitar nem de registo nem de seguro. Consulte este site da ANAC para mais informações sobre este tema.

 

 

Experiencia de voo

O Esky 150 v2 é um helicóptero muito estável em voo, desde que não haja muito vento. Portanto voar dentro de casa é na maioria das vezes a melhor opção. Levantar, aterrar, subir, descer e descolar o helicóptero no ar é muito simples. A estabilidade que falei inicialmente também é derivada do facto de o helicóptero ter uma controladora de voo, denominada de CC3D que recorre a um ou mais sensores para ajustar e compensar de forma automática o comportamento do helicóptero durante o voo.

IMG_2485

O heli responde rapidamente aos comandos do piloto de forma suave. Apesar da estabilidade em voo, o piloto não poderá distrair-se nem retirar as mãos do comando por muito tempo. A possibilidade de pairar no ar é uma das vantagens do helicóptero como meio de transporte. Fazer o Esky 150 v2 pairar é uma tarefa fácil, no entanto não tão perfeita como alguns drones, como o Parrot Swing, um mini drone sobre o qual também já escrevi no Blog.

Os 3 leds, 2 na frente e um junto ao rotor de cauda, conferem uma aparência mais sofisticada ao helicóptero, principalmente em ambientes pouco iluminados. Estes leds também ajudam a perceber o status do aparelho, nomeadamente se está emparelhado e se está pronto a voar.

 

 

Resistência a impactos

É inevitável que mais tarde ou mais cedo o helicóptero colida com algo ou caia no chão de forma mais abrupta, principalmente ao voar em ambiente indoor. Se comprou um heli e isso ainda não aconteceu é porque ainda voou muito pouco :) Normalmente as extremidades das pás, a cauda ou o trem de aterragem é que vão, de certa forma, sofrer mais com estes impactos. Durante os vários voos que fiz, e apesar das várias colisões, não se verificou nenhum dano. Como o heli é extremamente leve, cair desamparado no chão acaba por não ser muito critico.

 

 

CC3D

Este heli possui uma controladora de voo que é responsável pelo seu funcionamento e pela estabilidade em voo. Para ver de perto este sistema em funcionamento, basta, com o heli ligado mas sem estar a voar (com os rotores parados) pegar no mesmo e inclinar em várias direções. O CC3D irá compensar estes movimentos automaticamente. Irá ver o rotor principal a ajustar o ângulo das pás.

Existe uma porta no heli à qual pode ser ligado um cabo que irá conectar o CC3D ao computador. Penso que será possível efetuar ajustes ao software da controladora de voo.

 

 

Problemas identificados:

  • Numa das vezes em que coloquei a bateria para carregar, o carregador estava a mostrar um led verde, quando eu sabia que a bateria estava descarregada porque tinha feito um voo no dia anterior. Para ultrapassar este problema coloquei a bateria no helicóptero e aguardei, com ele ligado, que fosse totalmente descarregada até ao helicóptero se desligar sozinho. Foi só colocar a bateria a carregar novamente que o estado do carregamento passou a ser vermelho.
  • Com o tempo, após colocar e remover a bateria no helicóptero umas largas dezenas de vezes, verifiquei que o conector da bateria, que vai encaixar no heli, começou a partir. Nada que impeça o seu funcionamento, no entanto penso que este sistema de ligar a bateria ao heli deveria ser mais robusto.

 

 

Peças de substituição

Felizmente o fabricante disponibiliza no site uma série de peças de substituição. O código de cada peça também pode ser encontrado no manual que acompanha o produto.

150vs-exploded-view500px

 

 

A caixa adverte que este heli não é um brinquedo e não deve ser utilizado por crianças com idade inferior a 14 anos. Faz sentido este alerta dado que as pás podem ser perigosas, se em voo se aproximarem do rosto de alguém.

 

 

Links relacionados com helicópteros reais e telecomandados:

Canal VHD

RC Helicopter Fun

 

 

ESKY 150 V2


Ações

Informação

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: