Filamento de Impressão 3D Moebyus-Análise

27 08 2018

Moebyus Machines, S.L.A Moebyus, fabricante espanhol de Impressoras 3D, acessórios, componentes e filamento, enviou-me 1 bobina de 500 gramas de filamento PLA (1,75 mm de diâmetro), cor Dark Orange. Utilizei este filamento numa impressora Blocks Zero. O preço deste filamento é de 14,50 EUR. Os portes de envio para Portugal tem o custo de 6,5 EUR.

 

Para além de PLA, o material mais utilizado na Impressão 3D doméstica, a Moebyus também produz filamento de outros materiais como ABS, HIPS, PETG, PVA, TPE, TPU e Wood. Quanto ao diâmetro a Moebyus disponibiliza 1,75mm e 3mm.

 

IMG_2918

 

 

O embalamento do filamento, como é habitual, é efetuado a vácuo, com uma saqueta de sílica para absorver humidade.

IMG_2919

 

O processo de utilizar um novo filamento funciona normalmente pelo método de tentativa e erro até encontrar os parâmetros ideais, como temperatura, velocidade, etc. O intervalo de temperaturas indicadas pelos fabricantes é por norma bastante alargado. Neste caso a Moebyus indica que este filamento deve ser utilizado entre 190º e 230º. No meu caso, entre 235 e 240º verifiquei que a qualidade era satisfatória para mim, por isso imprimi quase sempre neste intervalo de temperaturas, apesar de anteriormente ter tentado outras temperaturas inferiores, com resultados menos positivos. Ao nível da velocidade imprimi quase sempre, em média, a 40mm/s.

 

IMG_2923

Na impressão deste barco, denominado de 3DBenchy e utilizado normalmente para aferir a qualidade da impressão, utilizei primeiramente um outro filamento roxo, e só depois o filamento cor de laranja.

 

O enrolamento do filamento na bobina, apesar de não ser tão perfeito como por exemplo nas bobinas BQ Easy Go, não revelou problema algum e nenhuma impressão das várias dezenas que fiz foi interrompida por problemas desta ordem.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Infinitebook-Análise ao caderno inovador made in Portugal

6 06 2018

Embora algumas pessoas já tenham esquecido os cadernos tradicionais e passado a utilizar quase em exclusivo os equipamentos digitais como tablets e smartphones, os cadernos ainda são amplamente utilizados no nosso dia a dia. São baratos, leves e práticos. Também têm a vantagem de a bateria não acabar, não ficarem sem espaço de armazenamento e também não existirem erros de software :)

 

IMG_1466

 

O Infinitebook (anteriormente denominado de EcoBook) é uma evolução do caderno tradicional. Nunca acaba, podendo ser reutilizado sem limites já que em vez de papel utiliza o mesmo material utilizado pelos quadros brancos, comuns por exemplo nas salas de aula e salas de reuniões. Depois de escrever, com um marcador especial, a tinta, que é à base de água, poderá ser facilmente eliminada. Simples, eficaz, eficiente e ecológico porque permite poupar muito papel.

 

Infinitebook: Um quadro na sua mochila

 

Uma das primeiras coisas em que pensamos quando utilizamos o Infinitebook  é: “mas como é que ninguém se tinha lembrado disto antes?”. Pedro Lopes, co-fundador, com 17 anos, criou uma solução para um problema e daí nasceu este fantástico produto made in Portugal, que viu a luz do dia através do financiamento coletivo (mais conhecido como crowdfunding) e desde então tem evoluído constantemente. O Infinitebook tem tido uma aceitação muito boa quer no mercado nacional quer no exterior. Prova disso são os muitos prémios atribuídos que lhe foram atribuídos.

 

IMG_1467

 

O Infinitebook pode ser utilizado para muitas coisas. Desde desenhar, criar listas de tarefas, listas de compras, anotações, brainstorming, mindmapping, jogos (jogo da forca por exemplo), rascunhos temporários, etc..

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: