Controle vários equipamentos ligados à sua Smart TV apenas com um comando

9 08 2018

Através de diferentes tecnologias é possível utilizar apenas um comando, o da TV, para controlar diversos equipamentos conectados à Televisão. Neste artigo vou explicar como controlar quer a MEOBox quer o Raspberry Pi  com o comando de uma Smart TV Samsung. Designado de Samsung One Remote, pela pouca informação técnica que consegui apurar, este possui várias tecnologias de comunicação, como infravermelhos (IR), radiofrequência (RF) e/ou Bluetooth (BT). Em relação ao Bluetooth consulte informações adicionais no final deste artigo.

 

Através do sistema Samsung Universal Remote e do HDMI-CEC, 2 tecnologias distintas, é possível controlar os dispositivos que estejam conectados à televisão. Com o One Remote, também designado por Smart Remote ou Smart Control, controlo não só a TV, mas também a MEOBox e o Raspberry Pi, um mini computador que está a correr o PiPplware, um sistema operativo para o Raspberry Pi baseado em Linux que inclui software de entretenimento como o KODI. Desta forma passei a utilizar um só comando para a TV, para a BOX da MEO e para o Raspberry Pi. É muito prático.

 

 image

 

 

Para este artigo foram utilizados os seguintes equipamentos:

  • MEOBox (modelo ARRIS VIP2262 V2)
  • Smart TV Samsung (modelo UE49MU6505U)
  • Comando da TV Samsung (modelo RMCSPM1AP1)
  • RaspBerry Pi 2 (modelo B)

 

 

O comando, que é bastante ergonómico, minimalista e prático, inclui um microfone para o utilizador, após pressionar um botão, dar instruções de voz para a TV como mudar de canal, alterar o volume, play, pause, alterar o source, etc.. Suponho que a não seja possível comunicar grandes quantidades de dados, nomeadamente voz, por infravermelhos, e provavelmente por causa disso o comando também utiliza tecnologia de radiofrequência. Outra vantagem da utilização da radiofrequência é que ao contrário da comunicação por infravermelhos, não tem que existir contacto visual entre o comando e a TV, para além do raio de ação ser maior.

 

IMG_2887

 

Com o One Remote não é possível efetuar todas as operações que são são possíveis com o comando da MEO, no entanto, tem as funcionalidades que utilizamos na maior parte das vezes, como mudar de canal, alterar o volume, aceder às gravações e ao guia da TV. Conseguirá até mesmo ligar a BOX da MEO com o comando da TV.

 

 

 

 

Configuração do sistema Universal Remote na Smart TV Samsung

Aparentemente, pelo que pude apurar em pesquisas, as BOXs da MEO não suportam HDMI-CEC. O sistema Samsung Universal Remote não utiliza o HDMI-CEC, mas sim o próprio emissor de infravermelhos do comando, no caso de comunicação com a MEO Box. Assim, este sistema é compatível com receptores de TV, DVD e Blu-ray Players, sistemas de Home Theatre, Apple TV, Google Chromcast, XBOX, PlayStation, etc.. Alguns dispositivos externos podem não suportar esta funcionalidade.

Para iniciar o assistente de configuração selecione na TV o dispositivo que pretende controlar com o comando da TV e escolha, carregando  no botão para cima no teclado direcional (roda), a opção Universal Remote.

IMG_2890

  

 

Carregue em Start.

IMG_2891

Leia o resto deste artigo »





Evento Linux 2013

31 08 2013

35Irá decorrer em Lisboa, dia 26 de Setembro de 2013, no Pólo Tecnológico de Lisboa – Lispolis, mais uma edição do evento Linux 2013 – XI Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta. Promovido pela Syone SBS Software e Caixa Mágica, este evento conta já com uma série de oradores confirmados.

 

A inscrição é gratuita e obrigatória, e é efectuada nesta página.

 

 

Organizações e oradores confirmados:

Christoph Dressel (Kwamecorp)
No Evento Linux 2013 Christoph Dressel irá falar-nos sobre a estratégia do FairPhone, sobre o smartphone em si e ainda acerca do seu OS aberto e do porquê dessa escolha.

Kim Hansen (Kwamecorp)
No Evento Linux 2013 Kim Hansen irá apresentar os detalhes técnicos do FairPhone e do seu OSS.

Raúl Oliveira (CEO da IPBrick)
Raúl Oliveira irá falar-nos sobre como o Open Source tem vindo a conquistar terreno e a ganhar espaço nas grandes empresas e organizações.

Leia o resto deste artigo »





AirPlay no Raspberry Pi

10 08 2013

imageO Raspberry Pi, já abordado neste artigo, tem a capacidade de receber o streaming de vídeo, música e fotografias entre outros recursos multimédia, via AirPlay para um televisor ou monitor. Esta tecnologia, da Apple, permite enviar a partir de um dispositivo Apple, como iPhone e iPad e iPod (consultar dispositivos compatíveis aqui), conteúdos multimédia, como vídeo, fotos e áudio, para outro dispositivo, pela rede, sem cabos.

 

No Raspberry Pi (que em certo modo pode substituir uma Apple TV) é necessário instalar um dos sistemas XBMC, OpenELEC ou RaspBMC, sendo que apenas é necessário activar a funcionalidade AirPlay, em Sistema > Configurações > Serviços.

 

image

A partir deste momento, se o dispositivo Apple e a aplicação utilizada o permitir, como a App Youtube, ou Photos por exemplo, basta escolher como destinatário do AirPlay o Raspberry Pi. É necessário que ambos os dispositivos estejam na mesma rede, para que a funcionalidade AirPlay fique disponível. Não é necessária nenhuma configuração adicional.

Leia o resto deste artigo »





Raspberry Pi

30 07 2013

O Raspberry Pi (RPi) é um micro-computador de baixo custo, do tamanho de um cartão de crédito, que tem vindo a ganhar muita notoriedade ao longo da sua curta existência. É um projecto que conseguiu sair da fase de protótipo, alcançar a produção em larga escala e neste momento é extremamente fácil encontrar este equipamento no mercado.

 

Desenvolvido e produzido no Reino Unido pela Raspberry Pi Foundation, da qual faz parte a Universidade de Cambridge,  o RPi tem como principal objectivo principal despertar e estimular o interesse pela programação e electrónica, nomeadamente ao nível do ensino escolar. Actualmente existem muitos  projectos à volta desta plataforma, mesmo a nível empresarial, tal é o seu potencial. Inclusive empresas nacionais têm demonstrado o seu interesse em implementar soluções sobre esta plataforma. O GrupoPIE que desenvolve o PingWin e a XDpeople são algumas das empresas que têm demonstrado interesse no desenvolvimento de produtos baseados neste micro-computador.

 

image

 

 

 

O Ziphius é um outro projecto português, de referencia, que faz parte da lista de “case studies” da Raspberry Pi Foundation.

Ziphius: Aquatic Drone

 

 

As possibilidades são infinitas com esta plataforma. Desde construir um media center para a sala de estar, baseado em XBMC até projectos mais complexos que permitem controlar robots, lâmpadas, sensores, etc. Os pinos (GPIO: general purpose input/output) podem ser programados para interagir com outros módulos e componentes electrónicos, permitindo um sem numero de possibilidades.

 

 

 

Neste momento existem 2 modelos do Raspberry Pi, o modelo A e o B. A grande diferença reside no facto de, este último ter mais uma porta USB, totalizando duas,  uma porta Ethernet para ligar um cabo de rede (100 Mbps), para além de ter 512 MB de memória RAM, o dobro do modelo A. Ambos os modelos têm um consumo energético muito reduzido.

 

image

image

Características do RPi (Modelo B)

  • Chip: Broadcom BCM2835 SoC full HD processador de aplicações multimédia
  • CPU: 700 MHz ARM1176JZF-S core (ARM11 family)
  • GPU: Dual Core VideoCore IV® Multimedia Co-Processor, 1080p30 decodificador h.264/MPEG-4 AVC
  • Memória (SDRAM): 512MB RAM
  • Portas USB 2.0: 2 portas USB
  • Saídas de vídeo: HDMI (rev 1.3 & 1.4) Composite RCA (PAL e NTSC)
  • Saídas de áudio: Conector de 3.5 mm, HDMI
  • Armazenamento onboard: SD / MMC / slot para cartão SDIO
  • Rede onboard: 1 porta ethernet
  • Power ratings: 500 mA (2.5 W)
  • Fonte de energia: 5 volt via MicroUSB ou header GPI
  • Tamanho: 85.60 mm × 53.98 mm
  • Sistema Operativo: Linux

 

 

O Raspberry Pi é constituído apenas pela motherboard,  em que o coração é um CPU ARM (ARM1176JZFS) que funciona à velocidade de 700Mhz. A sua capacidade de processamento permite executar aplicações de processamento de texto, cálculo, jogos, assim como vídeo de alta definição. Para colocar o Raspberry Pi em funcionamento é necessário um cartão SD, de 4GB Classe 4 ou superior, uma fonte de energia, e logicamente um teclado e um rato. Existem uma série de outros acessórios como caixas, conversores HDMI para DVI e VGA, adaptador WiFi, câmara, etc que podem ser facilmente encontrados no mercado.

 

 

A InMotion é uma das empresas portuguesas que vendem o RPi, para além de todos os acessórios e periféricos relacionados. Neste momento o valor do RPi, modelo B ronda os 45 Euros, a caixa transparente tem um custo de 10 Euros, assim como o transformador (o conector é mico USB, sendo um vulgar carregador de telemóvel, com pelo menos 700mA/5V serve para o efeito) e o adaptador wireless USB. Adicionalmente um conversor HDMI para VGA  custa cerca de 25 Euros. Quanto ao cartão SD, pode ser encontrado em qualquer loja de electrónica e informática pelo valor de 5 a 15 Euros, dependendo logicamente da marca (é recomendada a utilização de marcas reconhecidas, por, à partida, serem mais fiáveis), tamanho e classe (a classe indica quão rápido o cartão é). Adicionalmente poderá ser ligado um hub USB, com alimentação dedicada por forma a aumentar o numero de portas USB disponíveis.

 

 

O Raspberry Pi assenta sobre a plataforma ARM, o que significa que apenas suporta sistemas operativos baseados em Linux. Tem disponível uma loja de aplicações “Pi Store” onde poderá descarregar aplicações, como o LibreOffice, jogos, aplicações didáticas, etc. Como referido anteriormente, este projecto visa estimular a aprendizagem e o interesse pela tecnologia em geral e pela programação em especifico. A linguagem “oficial” do RPi é o Python, que tem uma curva de aprendizagem baixa.

 

 

 

 

Algumas imagens do RPi

RPi a correr Raspbian (sistema operativo “oficial”, baseado em Debian)

image

Este é um sistema operativo apenas com o essencial para uma primeira experiencia.

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: