Prepare-se para a nova estrutura de dados SAF-T (PT)

4 01 2017

Fonte: www.computerworld.com.pt

 

O catálogo de produtos e tipos de serviços utilizados no sistema de facturação tem de ser adaptados para gerar os ficheiros de acordo com as novas normas a partir de 1 de Julho de 2017.

 

Gestao-documental_Keep-It-Safe-IT-420x288

A portaria n.º 302/2016, de 2 de Dezembro, que redefine a estrutura de dados do ficheiro SAF-T (PT), está em vigor desde domingo. A estrutura de dados prevista no diploma tem de ser aplicada a partir de 1 de julho de 2017.

 

Com base nas novas regras, foi necessário “proceder ao ajustamento da estrutura do ficheiro SAF -T (PT) com a criação de taxonomias (…) que permitam a caracterização das contas de acordo com o normativo contabilístico (…) permitindo simplificar o preenchimento dos Anexos A e I da IES”, explica a portaria.

Foram ainda acrescentados “novos campos relativos aos Impostos Especiais de Consumo (IABA, ISP, IT) e aos Impostos Aduaneiros”, assinala a consultora Baker Tilly.

As empresas estão familiarizadas com os ficheiros SAF-T (PT), em utilização há cerca de uma década, e que se tem revelado um instrumento “excelente para a obtenção de informação pelos serviços de inspecção e cuja estrutura de dados tem vindo a ser adaptada em função das alterações de natureza contabilística ou fiscal”, consideram as autoridades fiscais na portaria.

A experiência obrigou agora à renovação da estrutura do ficheiro para permitir “uma completa compreensão e controlo da informação relativa à contabilidade, em virtude da flexibilidade existente na utilização das contas pelas diferentes entidades”, nota o diploma.

Deste modo, segundo  a portaria, o preenchimento do ficheiro SAF-T (PT) terá de ser efectuado com referência às taxonomias constantes dos anexos II e III. Estas taxonomias definem, designadamente, o catálogo de produtos e tipos de serviços utilizados no sistema de facturação que foram objecto de movimentação pela empresa, e os registos movimentados no período de tributação.

A Baker Tilly alerta  que a aplicação daqueles anexos varia consoante os registos efectuados pela empresa durante o período de tributação.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




XD STARTUP-Review

6 10 2016

 

imageA XD é uma empresa portuguesa, sediada no Porto, com filiais em Espanha e no Brasil, marcando presença no mercado dos PALOP. Desenvolve software de gestão e está focada nos sectores do retalho, restauração e similares, apostando igualmente em outras áreas de negócio (stands, oficinas, empresas de informática e reparações).

Procurando constantemente a inovação, algumas aplicações estão disponíveis para vários sistemas operativos, como Windows, Linux e OS X, Android e iOS.

Ao nível da tecnologia de bases de dados as soluções da XD estão preparadas para utilizar Sqlite, MySQL e MariaDB.

 

Uma das soluções disponibilizadas pela XD é o XD STARTUP, versão gratuita para empresários com faturação trimestral até 7.500€  e máximo de 30.000€ / ano.

Trata-se de uma aplicação monoposto, mono-utilizador e funciona exclusivamente com base de dados local.

Ao nível das funcionalidades não inclui Avenças, Configurador de Documentos, Comissões e Séries de Documentos. Em contrapartida, e em comparação com outras aplicações gratuitas, gere Fornecedores e Compras.

Faça o download do software aqui. Poderá também solicitar a licença, através de preenchimento do formulário. A licença é necessária para a utilização da aplicação em modo “real”. Após o download, a instalação da aplicação é muito simples, até porque instala de forma integrada o motor da base de dados. No assistente de instalação, para utilizadores menos experientes, todas as opções apresentadas não devem ser alteradas.

 

 

 

Passo 1

Após a instalação escolher o idioma da aplicação.

image

 

 

Passo 2

Escolher o template da empresa.

image

 

 

Passo 3

Partindo do principio que não existiram alterações às opções presentes no assistente de instalação, é efetuada a conexão com o servidor de base de dados.

image

 

 

Passo 4

Escolher um utilizador e alterar a password.

image

 

 

Passo 5

Deve permitir o acesso caso surja uma mensagem da Firewall do Windows.

image

 

 

Passo 6

Poderá surgir uma outra mensagem relacionada com o facto de o Active Protection não estar ativo, uma vez que a aplicação ainda não está licenciada. Basta fechar este aviso no canto superior direito.

image

Assim que a licença for importada, o serviço XD ACTIVE PROTECION ficará ativo por um ano, o que permitirá atualizar a aplicação, quer para receber novas funcionalidades “funcionais” e fiscais, assim como atualizações que incorporam resolução de anomalias e melhorias.

 

Por fim, tem agora acesso ao ambiente de trabalho da aplicação, que de resto é muito agradável e intuitivo.

image

Leia o resto deste artigo »





Webinar gratuito sobre comunicação de inventários e certificação de software

18 01 2015

Fonte: PrimaveraBSS

Com a aprovação do Orçamento de Estado para 2015 entrou em vigor a obrigatoriedade de comunicação eletrónica de inventários à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).

Até 31 de janeiro de 2015, a maioria das empresas portuguesas terá que enviar o ficheiro informático respeitante ao exercício anterior.

Assista ao webinar gratuito que a PRIMAVERA irá promover no próximo dia 21 de janeiro e saiba o que deve fazer na sua empresa para cumprir esta obrigatoriedade. Ao participar na sessão ficará ainda a par de outras alterações de âmbito fiscal e como responder às mesmas com o apoio do software de gestão PRIMAVERA.

Webinar gratuito

21 de janeiro

15h00 (hora de Portugal Continental)

30 min

Leia o resto deste artigo »





Primavera Technical Post – Comunicação dos Inventários

18 11 2014

Fonte: PrimaveraBSS

ENQUADRAMENTO
A proposta de Lei do Orçamento do Estado (OE) para 2015 inclui uma alteração ao Decreto-Lei nº 198/2012, de 24 de Agosto que obriga à comunicação até 31 de janeiro, por transmissão eletrónica de dados, do inventário respeitante ao último dia do exercício anterior. Esta nova obrigação será aplicável às empresas ou pessoas singulares que preencham os seguintes requisitos:

 

• Tenham sede, estabelecimento estável ou domicílio fiscal em território português;
• Disponham de contabilidade organizada;
• Estejam obrigados à elaboração do inventário;
• Cujo volume de negócios do exercício anterior ao da referida comunicação exceda 100.000€.
Leia o resto deste artigo »





AT deixa de aceitar ficheiro SAFT versão 1.01_01 a partir de 31 de Março de 2014

12 03 2014

Até à presente data a AT tem vindo a aceitar que o ficheiro SAFT seja submetido em versões anteriores à versão mais recente (Portaria n.º 274/2013-versão 1.03_01). A partir do próximo dia 31 de Março de 2014, irá deixar de ser possível submeter o ficheiro SAFT na versão 1.01_01.

 

image

Leia o resto deste artigo »





Portaria nº 340/2013-Identificação única dos documentos

1 01 2014

 

A Portaria nº 340/2013 que entra em vigor a 1 de Janeiro de 2014, estipula que, para além da introdução de novas regras relativamente obrigatoriedade de utilização de programas informáticos de faturação certificados, os documentos assinados (certificados) devem adicionalmente conter impressa a identificação única dos documentos.

 

Impressão de um documento certificado A4 – Primavera Express

image

Não é necessária nenhuma alteração ao nível dos mapas do Primavera Express (A4), nem relativamente aos mapas de impressão do POS (formato ticket), uma vez que o identificador único é inserido de forma automática.

 

 

A identificação única do documento de venda, documentos de movimentação de mercadorias e documentos de conferência é constituída sequencialmente pelos seguintes elementos:

Código interno do tipo de documento atribuído pela aplicação+ESPAÇO+identificador da série do documento+/+numero do documento.

 

Dois exemplos de 2 documentos gravados no Primavera Express, e a respectiva identificação única dos documentos, conforme o SAFT:

01-01-2014 16-47-14

4.1.4.1 (documento de venda)

4.2.3.1 (documento de movimentação de mercadorias)

4.3.4.1 (documento de conferencia)

Leia o resto deste artigo »





Primavera Express 7.5–Séries de Documentos

1 01 2014

 

Este artigo, é uma revisão/actualização do artigo Primavera Express – Séries de Documentos, já desactualizado tendo em conta as diferenças entre a versão 6.4 e 7.5 do Primavera Express.

 

image

 

No Primavera Express, o conceito de séries de documentos, tem como objectivo agrupar documentos, seja temporalmente, por tipos de vendas, pontos de venda, departamentos, áreas de negócio, ou outro tipo de agrupamento, permitindo que cada série tenha a sua própria numeração e configuração. Além disso, as séries são uma exigência da legislação em vigor, quanto a aplicações informáticas de facturação.

 

Alguns exemplos de utilização de Séries:

Várias séries para agrupar tipos de vendas, pontos de venda, departamentos, áreas de negócio, ou outro tipo de informação.

Exemplos:

– Série 2014 (série para o ano de 2014)

– Série FOR (formação)

– Série REC (revenda)

– Série VRL (loja Vila Real)

– Série SVR (serviços)

 

 

A vantagem de ter várias séries é separar documentos, para mais rapidamente poder filtrar e comparar a informação entre das diversas séries, e ter uma percepção mais detalhada sobre os mesmos. Existem também cenários onde é necessário ter mais do que uma série para o mesmo documento e período temporal, como por exemplo, para a integração de documentos emitidos manualmente (consultar artigo Primavera Express v7-Como proceder em caso de inoperacionalidade da aplicação). No caso de documentos de transporte, pode também existir a necessidade de configurar várias séries, para comunicação via Web Service, comunicação via SAFT, comunicação manual e outra série onde não é efectuada a comunicação.

 

Por defeito, o Primavera Express tem séries já definidas, delimitadas por ano, e é este o esquema utilizado pela maior parte das organizações. Finalizado cada ano é necessário criar novas séries para o ano seguinte.

 

 

Séries com identificador genérico, não delimitadas por cada ano

Sendo o Primavera Express um produto dirigido a micro empresas, onde é privilegiada a simplicidade de utilização da aplicação, o utilizador poderá, se assim o entender, criar uma única série para todos os documentos com um limite muito alargado de datas. Embora não exista nenhum impedimento, esta configuração deverá preferencialmente ser efectuada antes do inicio de utilização da aplicação, ou no inicio de cada ano civil, já que não será muito lógico e coerente alterar a numeração e as séries depois de ter documentos já emitidos.

 

Nas bases de dados criadas mais recentemente, as séries têm o identificador “A”, no entanto podem estar delimitadas pela data 31-12-2013. Se esta for a configuração das séries do seu sistema, e se quiser manter para o futuro (continuar a utilizar a série A, sem criar novas séries), deverá percorrer todos os documentos, de vendas, stocks, contas correntes e tesouraria e para cada Documento/Série, alterar a Data Final para uma data que compreenda vários anos, como por exemplo 31-12-2100. Desta forma, não é necessário efectuar qualquer operação nos anos seguintes. Deixa assim de ter no futuro qualquer preocupação com a configuração da série existente e de novas séries.

image

 

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: