Empresários queixam-se de constantes actualizações do sistema de facturação

15 08 2013

Fonte: www.rtp.pt

O Ministério das Finanças está a obrigar as empresas a actualizar o ficheiro informático para a faturação. A exigência implica um gasto extra, agravado pelo facto de que esta é a 3ª vez que o ministério muda as regras em menos de um ano, o que obrigou os empresários a pagar três vezes pelo ficheiro informático da facturação.

 

Clique na imagem para visualizar a reportagem da RTP.

image

Leia o resto deste artigo »





Factura obrigatória-Novo email da AT (Autoridade Tributária e Aduaneira)

4 01 2013

Tal como tem acontecido nos últimos meses, a AT volta a esclarecer os contribuintes, através de um e-mail, sobre as mais recentes alterações quanto à emissão de factura:

 

Exmo.(a) Senhor(a)

XXXXXXXXXXXXXXXXXXX

XXXXXXXXX

A emissão de fatura é obrigatória, mas desde 1 de Janeiro corrente essa obrigatoriedade é reforçada nos seguintes termos:

i) Mesmo nos casos em que os consumidores não a exijam, os comerciantes são obrigados a emiti-la;
ii) O documento emitido deve designar-se “fatura” ou “fatura simplificada”, não podendo ter outra designação;
iii) Quando nelas seja inserido o Número de Identificação Fiscal (NIF) do consumidor, este pode beneficiar de um crédito correspondente a 5% do IVA delas constante, nos termos que já anteriormente referimos.

Quando o comerciante tenha volume de vendas inferior a 10.000 euros anuais, está isento de IVA, pelo que o imposto não consta da fatura ou recibo, mas é sempre obrigatória a emissão de recibo.

Os profissionais livres são obrigados a emitir fatura, ou fatura-recibo correspondente ao antigo recibo verde eletrónico.
As faturas emitidas por empresas com volume de negócios superior a 100.000 euros devem mencionar o número de certificado, do programa informático, emitido pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) e conter um código de 4 carateres.

Se exigir a colocação do seu NIF na fatura, o consumidor pode consultar no Portal das Finanças se o emitente a enviou para a AT. Pode sempre inserir qualquer fatura no mesmo Portal (www.portaldasfinancas.gov.pt, opção “e-fatura”).

Leia o resto deste artigo »





Paulo Núncio: Fisco fará 100 mil inspecções no próximo ano

30 12 2012

FONTE: http://www.dinheirovivo.pt

No ano em que se espera um “enorme” aumento dos impostos, o fisco vai também estar mais atento a incumprimentos e “esquecimentos” das obrigações fiscais. Para enfrentar estas falhas fiscais, está a preparar um enorme aumento dos atos inspetivos. Em 2013, o número de inspeções aos contribuintes vai superar as 100 mil e o valor para a cobrança coerciva de dívidas está fixado em 1,1 mil milhões de euros, revelou ao Dinheiro Vivo o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio.

Leia o resto deste artigo »





Projecto Colibri RCP 8

25 12 2012

Foi disponibilizada ontem, 24 de Dezembro, a versão 8 do Projecto Colibri. Esta nova versão dá resposta às novas regras relativas à Facturação que vão entrar em vigor em 2013.

 

1

 

 

Fonte: Projecto Colibri

Adiantamos desde já o que TODAS AS LICENÇAS (Gratuita, Licenciada e Profissional) irão oferecer:

Normalização de documentos criados por defeito na aplicação:
a) Criação de NOVOS documentos (ex: NOTA de DÉBITO / CRÉDITO).
b) Colocação em estado "INACTIVO" de documentos obsoletos (ex: VENDA a DINHEIRO, AVISOS de LANÇAMENTO).
c) Parametrização automática de documentos existentes (ex: FACTURA, GUIA de REMESSA).

Adequação de tabelas (ex: ISENÇÕES de IVA), novas parametrizações (ex: FISCO), optimização do ficheiro SAF-T-PT (por forma a incluir apenas os artigos e clientes referenciados pelos documentos exportados)

Esteja atento ao fórum e ao aviso de actualização existente na aplicação.

NOTAS:
– O envio de FACTURAS através de Webservice não estará disponível na versão 8.0.
– A implementação do envio de GUIAS está pendente de informação técnica por parte do fisco.
– NÃO está garantida a inclusão do envio de GUIAS em todas as versões (licenças) do Colibri.
– Documentos CRIADOS pelos utilizadores deverão ser revistos manualmente segundo as regras legais impostas.

 

 

www.projectocolibri.com

 

Leia o resto deste artigo »





InvoiceXpress chegou ao iPhone e Windows Phone

17 08 2012

 

O InvoiceXpress está a partir de agora disponível para iPhone (iOS) e Windows Phone. Os utilizadores têm a possibilidade de aceder à facturação, emitir documentos, consultar dados de clientes, entre outras possibilidades, em qualquer lugar e de forma muito simples, recorrendo apenas ao seu smartphone. A aplicação é gratuita em ambas as plataformas, e poderá ser utilizada, mesmo durante o período de testes do InvoiceXpress. Esta é uma mais valia para profissionais em constante movimento.

 

Para já a plataforma Android não foi comtemplada. Quanto a tablets, embora não tenha sido desenhada para iPad, a aplicação também  funciona neste equipamento.

 

 

Algumas imagens do InvoiceXpress retiradas da utilização da minha conta:

 

Ecrã inicial-Dashboard

image

Leia o resto deste artigo »





Qual a diferença entre uma factura e uma venda a dinheiro?

5 08 2012

Fonte: InvoiceXpress – Blog oficial

 

A negociação corre bem e faz a venda (parabéns!).
Agora encontra-se com uma dúvida: emitir uma factura ou venda a dinheiro?

 

Se o pagamento for imediato…

O documento a ser emitido pode ser uma venda a dinheiro, independentemente do método de pagamento.

Neste tipo de documento não é obrigado a identificar o cliente e a venda a dinheiro é habitualmente emitida para o “consumidor final”. Não é um documento equivalente a uma factura e em cenários em que pode emitir a venda a dinheiro existe uma dispensa de facturação (Art.º 40 do CIVA).

Como é emitida apenas nos casos de pagamento imediato, a venda a dinheiro é um documento bastante usado na indústria de bens/produtos.

 

Se o pagamento não for imediato…

Por exemplo, no caso de uma venda a crédito, sugerimos que opte pela emissão de uma factura.

Uma factura é um documento de venda emitido a um cliente. A identificação do cliente é obrigatória, nomeadamente o nome e a identificação fiscal (sugerimos-lhe que identifique o seu cliente da forma mais completa possível).

 

Leia o resto deste artigo »





Quem não emitir facturas poderá pagar até 3750 euros

19 07 2012

Fonte: www.sol.pt

 

A penalização para quem não emita facturas, que passam a ser obrigatórias a partir de 2013, poderá ascender a cerca de 3.750 por infracção, disse hoje o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais.

 

Paulo Núncio, que falava em conferência de imprensa após reunião do Conselho de Ministros, disse que a partir do próximo ano a emissão de facturas é obrigatória, mesmo que o consumidor final ou empresa não o solicite.

 

 

Além disso, «os agentes económicos deixam de poder emitir e entregar documentos que não sejam facturas para titulares de transmissão de bens ou prestações de serviços. A violação desta obrigação fica sujeita a penalidades legais».

 

Questionado sobre o valor da penalização, o secretário de Estado disse que tal «pode ascender a 3.750 euros por infracção».

Lusa/SOL

 

Leia o resto deste artigo »





Nova lei das faturas: o que tem de saber

19 07 2012

Fonte: www.dinheirovivo.pt

Cinco perguntas e respostas sobre a nova medida contra a evasão fiscal que vai permitir às famílias abater no seu IRS até 250 euros do IVA pago na compra de produtos e/ou serviços. Tire as suas dúvidas aqui.

1. O consumidor tem sempre vantagem em ter fatura?
Na esmagadora maioria dos casos, quer o cliente peça ou não a fatura, o IVA está incluído no preço final que paga. E nestes casos passa a haver uma vantagem adicional em guardá-la. Mas subsiste uma franja de atividades em que este “encargo” com o IVA continua a conseguir ser, muitas vezes. contornado. Exemplo: as pequenas obras em casa (em que pode haver a tentação de não pedir fatura para não acrescentar 23% ao orçamento), em reparações “particulares” de carros, entre outros. Uma obra que custe 10 mil euros passa a 12.300 euros com fatura – e o contribuinte só vai reaver 115 euros através da dedução em IRS. Nestes casos, o incentivo é fraco: quem foge ao fisco poupa mais se evitar o IVA logo à cabeça.

2. Quantas faturas preciso de ter para atingir os 250 euros?
Muitas. Nos serviços e produtos sujeitos à taxa de IVA de 23% (que são a maioria), será preciso juntar faturas no valor total de 26.637 euros para conseguir abater ao IRS os 250 euros previstos. De uma forma mais simples: por cada 100 euros de gastos, pode deduzie 94 cêntimos do IVA no IRS. Mas o fisco vai ajudar os contribuintes a fazer as contas porque como passa a ter acesso aos elementos das faturas mensalmente, calcula automaticamente o valor dedutível das faturas emitidas para cada pessoa.

Leia o resto deste artigo »





Primavera Express-Factura/Recibo no mesmo documento

16 03 2011

 

image

Em algumas áreas de negócio, é utilizado o conceito de Factura/Recibo no mesmo documento, sendo emitidos ambos ao mesmo tempo, aquando da impressão da Factura. Imaginemos por exemplo uma empresa de distribuição alimentar, que todos os dias sai com as encomendas para entrega, no entanto, não é sabido à partida quais os clientes que vão pagar no momento da entrega.

 

Existem duas situações possíveis aqui. Ou é emitida logo uma venda-a dinheiro, porem torna-se um risco, no caso de o cliente não pagar, porque a entregar o documento ao cliente,este poderia agir de má fé dizendo mais tarde que teria pago! A segunda situação é emitir uma Factura normal, e, no caso de o cliente querer pagar, e ao mesmo tempo exigir um documento comprovativo do pagamento, o Recibo, não haver forma de o emitir e como tal o cliente negar o pagamento. O conceito Factura/Recibo vem agilizar este processo!

 

 

No PE,  a utilização deste método,  é activada mudando apenas o tipo de relatório associado ao documento de venda, Factura por exemplo.

O cliente paga, é entregue a folha completa, o cliente não paga, recorta-se o recibo e o mesmo apenas será entregue mais tarde, após o pagamento.

image

 

Leia o resto deste artigo »





Obrigatoriedade das facturas e documentos equivalentes

29 10 2010

image

Fonte: http://mariaproiete.com/

Em primeiro lugar gostaria de definir as facturas e os documentos equivalentes:

Factura – Deve ser emitida numa venda a crédito (quando o pagamento não é imediato), quando a mercadoria ou serviços prestados são relacionados com a actividade principal ou secundária do Trabalhador Independente, ou da Empresa. A factura deve ser emitida a um Cliente, que está identificado com a morada, n.º de contribuinte, etc..

 

Nota de Débito – Deve ser emitida, quando a mercadoria ou serviços prestados não são relacionados com a actividade principal ou secundária do Trabalhador Independente, ou da Empresa. Por exemplo, uma empresa cuja actividade é desenvolvimento de software e vai vender a viatura que tem no imobilizado com 4 anos, o documento que deverá utilizar é a Nota de Débito. A Nota de Débito deve ser emitida a um Outro Devedor ou Credor (contabilisticamente falando).

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: