Impressão 3D–Lista de recursos

7 12 2017

Neste artigo pretendo reunir e centralizar um conjunto de vários recursos relacionados com a Impressão 3D, desde fabricantes de impressoras e filamentos, sites para descarregar modelos e para modelar, feiras, workshops, entre outros. Principalmente para iniciantes neste mundo que é a impressão 3D este artigo é de leitura obrigatória uma vez que pretende dar a conhecer tudo o que é necessário para a iniciação nesta tecnologia e para potenciar a sua utilização.

 

Resultado de imagem para 3d printing

 

Esta lista não tem por objetivo ser extensa, mas sim uma lista minimalista que procura principalmente divulgar alguns dos recursos com os quais já tive contacto, nomeadamente fabricantes, produtos, feiras, workshops, software, sites, etc..

 

Resultado de imagem para impressão 3d fdm

Os recursos aqui disponibilizados estão relacionados principalmente com a tecnologia de impressão 3D mais comum, FFF (Fused Filament Fabrication), em que é depositado plástico fundido, camada sobre camada, para formar um objeto tridimensional.

 

 

 

O que é a impressão 3D?

Resultado de imagem para impressão 3d fdm

Expresso – Impressão 3D: faça você mesmo

CODI – Impressão 3D

Observador – Vai uma impressão 3D neste Natal?

Wikipédia – Impressão 3D

 

 

 

Fabricantes de impressoras

Resultado de imagem para blockstec 3d

BEEVERYCREATIVE – Fabricante português que desenvolve a premiada impressora BEETHEFIRST, assim como outros modelos que surgiram depois desta. Leia um review à BEETHEFIRST neste artigo.

Blocks Technology – Outro fabricante português que desenvolve impressoras de baixo custo como a BLOCKS ZERO e BLOCKS ONE. Desenvolve ainda impressoras à medida, assim como presta serviços de consultoria. Leia este artigo relacionado com a BLOCKS ZERO.

BQ – A Espanhola BQ foi um dos primeiros fabricantes do mundo a conceber, desenvolver, produzir e comercializar impressoras 3D em larga escala. Atualmente tem disponíveis 4 modelos de impressoras.

MakerBot – Fabricante norte americano que faz parte dos líderes do sector a nível mundial.

Ultimaker – Fabricante holandês que faz parte dos líderes do sector a nível mundial.

Poly! – Sediada em Itália, a Poly ainda não tem um produto no mercado mas espera vir a ter em breve após a campanha de financiamento coletivo que decorre no Kickstarter. A micro impressora destaca-se pelas suas várias facetas que vão para além da impressão 3D. Mais informações aqui.

Anet – Este fabricante asiático é atualmente muito popular entre os entusiastas da impressão 3D, nomeadamente iniciados nesta tecnologia, uma vez que disponibiliza no mercado impressoras com uma impressionante relação qualidade preço. É o caso do modelo Anet A8, uma impressora que “em peças” que o utilizador tem que montar. É possível comprar esta impressora em várias lojas online como na Gearbest, por valores que se sitiam habitualmente entre os 100 e os 150 Euros (com custos de envio reduzidos ou inexistentes). Tem uma área de impressão de 220 x 220 x 240 mm, mesa aquecida, LCD entre outras características normalmente presentes em impressoras mais caras. Mais informações aqui e aqui.

Este excelente guia da 3D Hubs, atualizado frequentemente, organiza várias impressoras em várias categorias, num ranking baseado em vários critérios. Consulta obrigatória que obriga a escolher o modelo ideal com base no que pretende e no orçamento disponível.

 

 

 

Slicing software

Cura – Software gratuito que acompanha as impressoras de alguns fabricantes. Pode ser descarregado no site da Ultimaker.

Simplify3D – Software pago (149 USD) de qualidade excepcional. O numero de configurações impressiona pela positiva. O problema é que nem todos os fabricantes de impressoras disponibilizam perfis (configurações) para este software, o que dificulta ou impossibilita a utilização com impressoras menos conhecidas no mercado. A lista de impressoras compatíveis pode ser consultada aqui.

 

 

 

Fabricantes de filamento

Resultado de imagem para filament bq

BQ – Fabricante espanhol. Apenas fabrica filamento PLA de 1,75 mm em bobinas de 1KG e 300 gramas.

BEEVERYCREATIVE – Fabricante português. Comercializa PLA, Nylon, PETG e TPU-Flex. Apenas disponibiliza filamentos com diâmetro de 1,75 mm.

EUMAKERS – Este fabricante italiano tem a maior variedade de materiais, cores e diâmetros, quando comparado com os 2 anteriores. A oferta de cores e materiais é enorme. Leia este artigo de opinião sobre a Eumakers.

 

 

 

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Eumakers-Fabricante Italiano de Filamento para Impressoras 3D

20 11 2017

Sediada em Itália a Eumakers é um fabricante de filamento para Impressão 3D que se tem destacado pela variedade da sua oferta em relação aos seus concorrentes. Produz 92 filamentos diferentes que se dividem nas categorias Basic (PLA “normal”), Fluorescent, Pearly, Metallized, Metallic, Iridescent, Glossy, Glitter, Photoluminescent e Recycled/Bio. A variedade da oferta é realmente impressionante. Neste momento a Eumakers possui a maior variedade de cores no mercado.

 

EUMAKERS_logo (1)

 

Como termo de comparação, a BEEVERYCREATIVE, fabricante português,  tem disponíveis 13 cores de PLA, 3 de TPU-FLEX, 2 cores PETG e 3 cores de NYLON (no total disponibiliza 21 produtos). A BQ, espanhola, oferece 17 cores de PLA, não produzindo filamento de outros materiais. Estes 2 fabricantes apenas produzem filamento de 1.75mm, algo que é perfeitamente compreensível já que, para além do filamento, desenvolvem e comercializam impressoras que apenas estão preparadas para este diâmetro. A Eumakers mais uma vez se destaca já que para além de 1.75mm, disponibiliza também filamento com diâmetro de 2.85mm. Embora não fabrique, a Eumakers vende impressoras de vários fabricantes como Ultimaker, BQ, BEEVERYCREATIVE e WASP sendo que alguns dos modelos comercializados estão preparadas para utilizar filamento com diâmetro 2.85mm. Outra diferença em relação a outros fabricantes de filamento está no facto de a Eumakers produzir bobinas de PLA Basic com 2 cores (de 500g cada) e com 4 cores (de 250g cada).

 

Outra das particularidades da Eumakers é o facto de parte das peças de algumas bobinas  poderem ser reaproveitadas para construir diversos objetos, juntamente com a impressão de modelos 3D (ficheiros STL) que são disponibilizados. Um conceito muitíssimo interessante que permite dar uma nova vida às bobinas que, sem filamento, têm pouca ou nenhuma utilidade (exemplos na imagem em baixo e também aqui). Outro detalhe que não foi deixado ao acaso é o facto de, para além da saqueta de sílica gel (que é habitual encontrar nas bobinas de outros fabricantes), ser também enviado um saco de armazenamento, com fecho, para colocar a  bobina sempre que esta não for utilizada. O PLA é um material que pode ver as suas propriedades alteradas quer pela temperatura quer pela humidade. A atenção ao detalhe vai ainda mais longe. Existem tabelas com a temperatura ideal a que cada produto deve ser utilizado nas impressoras dos fabricantes Ultimaker e WASP assim como estão disponíveis perfis do Cura, otimizados para a utilização de filamento da Eumakers nas impressoras BQ Witbox e Hephestos.

 

Banner_Facebook_EUMAKEIT_1200x628_rev.01

 

Em Portugal o filamento da Eumakers pode ser encontrado na Ponto Z, think3D, Diverte e na Print4fun3D. Poderá também comprar filamento diretamente à Eumakers, no entanto há que ter em conta o eventual custo dos portes de envio e a demora na entrega (neste momento existe a oferta da entrega no caso da compra de 4 ou mais bobinas).

Na loja online da Eumakers o preço de 1 bobina de PLA Basic (1 Kg) é de 29.50 Euros + impostos o que perfaz o valor de €35.99. Não esquecer que podem ainda ser adicionados a este valor os portes de envio (que variam entre 17.05 e 24.99 Euros no caso de envio para Portugal). Na Ponto Z o valor de cada bobina é de 36.29 Euros. A diferença de valor, que é mínima, acaba por compensar a compra na Ponto Z já que poderá adquirir diretamente na loja (que se situa em Viseu) ou através do envio por transportadora GLS ou CTT, com valor de portes muito inferior ao valor praticado pela Eumakers.

 

11Capture

Leia o resto deste artigo »





Poly!-A micro Impressora 3D versátil, made in Italy

2 11 2017

Enquanto os fabricantes ligados à impressão convencional, como por exemplo a HP, Epson, Canon, entre outros, não entram no mercado de Impressão 3D “de consumo”, isto é, segmento doméstico, várias empresas por todo o mundo, muitas delas startups, vão explorando e desenvolvendo a tecnologia de impressão 3D trazendo-a até aos consumidores finais e às suas casas.

 

Por razões históricas a HP é, para muitas pessoas, sinónimo de impressoras (embora fabrique muitos outros produtos). Este fabricante  atua desde há vários anos na área do 3D, mas apenas no segmento empresarial (mais detalhes aqui). Foi precisamente uma Impressora 3D da HP, do tamanho de um frigorifico, que cativou toda a minha atenção e entusiasmo, numa feira de tecnologia, SIMO, que visitei seguramente há mais de 10 anos em Madrid. Cativou a minha atenção e seguramente a de muitos outros visitantes da feira, que acompanhavam com “olhos de criança que assiste a um espetáculo de magia”, todo o processo de impressão, em que  camada a camada, a impressora estava a construir, se não estou em erro, uma maquete de uma casa.

 

 

Nas grandes cadeias de distribuição de informática de consumo, como por exemplo a Worten, Media Markt, Fnac, não encontramos “ainda” Impressoras 3D desenvolvidas pelos mesmos fabricantes das impressoras comuns (papel), mas começamos a encontrar, de forma muito discreta e com pouca oferta, impressoras e filamentos de empresas mais recentes e menos conhecidas da globalidade dos consumidores. No dia em que a HP colocar no mercado uma Impressora 3D “de levar para casa”, aí sim, certamente irá ser o momento em que a revolução 3D irá acelerar provavelmente a passos largos. Neste momento o crescimento e a propagação desta tecnologia no segmento domestico é lento uma vez que é uma tecnologia que ainda não é para as massas mas sim principalmente para os makers/curiosos e para profissionais que necessitam de alguma forma de efetuar prototipagem rápida a baixo custo.

 

Em Portugal temos o exemplo a BEEVERYCREATIVE e a Blocks Technology que desenvolvem produtos e serviços de excelência, mas de certa forma semelhantes e equivalentes. Em Espanha, a BQ têm evoluído muito na área 3D, com uma gama ampla de produtos 3D, não só impressoras mas também filamentos. Um pouco por todo o mundo outras startups tentam ir mais além e destacar-se com produtos diferenciadores, com custos cada vez mais baixos e cada vez menos complexos. Um desses exemplos é o caso da 3DRap, uma empresa Italiana, sediada em Avellino, que está a desenvolver a Poly! Conheci esta impressora numa das visitas que fiz à feira Technology Hub que tem decorrido anualmente em Milão. Em 2018 esta feira irá ter lugar de 17 a 19 de Maio.

 

 

A Poly! é uma (micro) impressora construída com algumas peças impressas em outra Impressora 3D, portátil (pesa menos de 1 Kg), que para além de imprimir em 3D, pode ser utilizada (após a troca de determinado(s) componente(s)) para gravação a laser (para gravar em madeira e papel por exemplo), impressão com chocolate em vez de plástico, desenho em papel (utilizando uma caneta). Conta ainda com uma bateria que permite utilizar a impressora sem uma tomada de energia por perto. A dimensão da área de impressão, como seria de esperar, é de apenas 66mm x 60mm x 60mm. Permite imprimir por exemplo porta-chaves, legos e outros projetos de dimensão reduzida. Seguramente não será o suficiente para imprimir uma capa para telemóvel, um suporte para sabonetes ou uma jarra para colar na sala (que seja minimamente visível).

Placeholder

Resultado de imagem para Poly! 3d printer

 

Não sendo uma impressora em KIT (o que obrigaria a montar a impressora peça a peça), a Poly! tem como desígnio ser uma impressora para todos, desde os entusiastas, curiosos, crianças, designers, makers, e obviamente para o sector da Educação. A Poly!  tem conectividade com o computador, tem ainda um interface micro SD e também pode receber ordens de impressão via smartphone (apenas Android) já que está equipada com um interface Bluetooth. A Poly! conta ainda com um sistema magnético (pouco comum em impressoras de baixo custo) que vai permitir trocar de forma fácil e rápida o(s) componente(s) que permitem que a impressora assuma as várias funcionalidades que anteriormente indiquei.

 

Resultado de imagem para Poly! 3drap

 

Leia o resto deste artigo »





HP e Deloitte colaboram na impressão 3D

8 09 2017

Fonte: www.computerworld.com.pt

 

A HP e Deloitte Consulting anunciaram uma parceria para acelerar a transformação digital do sector da indústria fabril à escala mundial. As duas empresas vão colaborar na implementação dos sistemas de impressão 3D da HP em ambientes de produção de grande dimensão, aplicando a sua experiência sobre operações digitais.

O valor acrescentado proposto inclui a aceleração de processos de desenho e produção de artigos, a criação de uma cadeia de abastecimento mais versátil, o aumento da eficiência em todo o ciclo de vida da produção.

 

Resultado de imagem para hp deloitte

 

A parceria irá associar as soluções e ferramentas da tecnologia Jet Fusion 3D Printing da HP, ao ecossistema de parceiros e às capacidades de condução de transformações industriais digitais da Deloitte. As soluções de impressão 3D da HP, estão melhorar as operações de uma crescente lista de empresas líderes mundiais, incluindo o BMW Group, a Jabil, a Johnson & Johnson, a Nike entre muitas outras, bem como uma grande variedade
de agências de serviços de produção na América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico, diz um comunicado.

A impressão em 3D dá liberdade ao design e permite, à partida, uma maior personalização de produtos. Ao mesmo tempo pode servir para criar uma linha digital de transformação das cadeias de abastecimento e abrir portas à fabricação distribuída, afirma John Dulchinos, vice-presidente de fabricação digital da Jabil.

Leia o resto deste artigo »





Blocks Zero

7 08 2017

Encontrei este excelente review (em português) da impressora 3D Blocks Zero, no blog As TIC em 3D/Fab@rts, que agora partilho. Este artigo de opinião foi escrito em contexto pedagógico de utilização desta impressora, nomeadamente nas escolas. O blog em questão é um projeto desenvolvido no Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro e pretende explorar o tema das potencialidades da tecnologia 3D na educação, mas também da robótica, programação, utilização de drones entre outras tecnologias.

O blog As TIC em 3D/Fab@rts é definitivamente um ponto de paragem para todos os aficionados pela impressão 3D. Existem muitos conteúdos relacionados com esta tecnologia, deste análise a equipamentos, modelação 3D, vídeos, apresentação de Workshops, etc..

 

Fonte: http://3dalpha.blogspot.pt/2017/05/blocks-zero.html

 

 

Passámos a última semana a testar e experimentar uma impressora 3D Blocks Zero. Pelo preço e tamanho, pareceu-nos ser uma boa solução para aumentar o parque de impressoras e ter um equipamento fácil de transportar para workshops e sessões de divulgação. Não que as impressoras da Beeverycreative não sejam também fáceis de transportar, mas não nos cabem na mala do carro… pelo menos em pé, e nós somos muito cuidadosos com o seu transporte.

Este teste foi possibilitado pela ANPRI, que nos cedeu temporariamente esta impressora. Calhou-nos o seu unboxing.

 

 

A Blocks Zero é uma impressora de kit, mas a que experimentámos vinha já montada. Felizmente. Sem querer desvalorizar as impressoras de kit, como professores o que queremos é trabalhar competências de modelação 3D e explorar projectos. Do nosso ponto de vista, o tempo gasto em assemblar impressoras de kit é tempo perdido, que atrasa a implementação de projetos pedágógicos. É um ponto de vista, sublinhamos. A montagem de uma impressora 3D, com a aprendizagem rigorosa e experimental que requer, pode também ser um excelente projeto.

 

 

E, logo a seguir, imprimir? Não, não é bem assim. A Blocks Zero é uma impressora cartesiana normal, sem o nível de integração e usabilidade a que estamos habituados na Beeverycreative. Não há um software especializado que simplifica o processo de impressão, ou perfis específicos de filamento. A impressão faz-se através de um cartão SD (também nos pareceu ser possível com ligação USB ao computador, mas suspeitámos que esta impressora não tinha modo de impressão autónomo e não quisemos empatar o nosso computador numa impressão), com ficheiros Gcode gerados pelo Cura. Não estando tão simplificado como o Beesoft, o Cura pode parecer intimidante a quem se inicia na impressão 3D, mas tem algum cuidado em simplificar o processo para os menos conhecedores como um modo simples. Os mais conhecedores podem gerir, testar e modificar todos os parâmetros no modo avançado.

Imprimir para a Blocks Zero requer configurar o Cura com as dimensões da impressora, carregar os perfis de filamento generalistas disponíveis na página da Blockstec, importar os ficheiros STL, e gravar o Gcode para o cartão de memória. Depois, tudo o resto é passado na impressora. Utilizámos o Cura 2.4.

Ao contrário das Bees a que estamos habituados, o controlo da Zero é feito na própria impressora. É uma vantagem, parece-nos, acelera um pouco o processo de iniciar o dia (ou o trabalho) de impressão. As informações e comandos são acessíveis pela combinação de display LCD e botão. Um interface que se revelou estranho para os nossos alunos, cuja tentação, mal vêem um ecrã, é tocar nele.

Carregar e descarregar filamento é um processo simples, basta dar essas ordens à impressora e colocar o filamento na entrada do extrusor. A Zero não tem um extrusor direto, usa o sistema bowden, o que significa que o filamento é empurrado a alguma distância para o hotend.  O extrusor fica mais leve, o que nos pareceu ser bem aproveitado na rapidez de impressão, mas é algo apoquentador pensar o que poderá acontecer em caso de entupimento ou quebra do filamento após entrada no extrusor.

Inicialmente, o processo de carregamento pareceu-nos gastar demasiado filamento. Após o início da descarga, a impressora continuava a deitar filamento, e se não estivéssemos com atenção depressa ficaríamos com uma bola de plástico à volta do nozzle.. Contactámos a Blocks, e disseram-nos que a versão mais recente do firmware resolvia essas questões. Essa instalação obrigou-nos a reverter o Cura para uma versão anterior, a recomendada para atualização do firmware da Blocks Zero. Após atualização, verificámos que o processo de carregamento/descarregamento ficou optimizado, com menos filamento desperdiçado no carregamento, e um descarregamento totalmente automatizado.

Imprimir é um processo simples, basta selecionar o ficheiro gcode do modelo no interface da impressora. No entanto, aquele interface de botão giratório é capaz de complicar se tivermos mais do que dois ou três ficheiros no cartão SD.

 

Imprimindo apenas em resolução média, com os perfis genéricos de PLA da Blocks, a Zero deu-nos consistentemente bons resultados.

 


 

Leia o resto deste artigo »





Polícia de Segurança Pública testa arma produzida numa Impressora 3D

4 04 2017

Fonte: Exame Informática

 

Vídeos:

imageimage

 

(carregue nas imagens para as abrir em tamanho maior)

IMG_5017

IMG_5018

IMG_5020

Leia o resto deste artigo »





BQ apresenta Witbox Go!, a primeira impressora 3D Android do mundo

15 03 2017

Fonte: BQ

 

Imprime com um único toque a partir do telemóvel e é a primeira impressora 3D do mundo com processador Qualcomm.

É leve, de design minimalista e fabricada em Espanha.

 

Lisboa, 15 de março de 2017

A BQ apresentou hoje a sua nova impressora 3D, a Witbox Go!. Com ela, a empresa tecnológica espanhola tira a impressão 3D do nicho de utilizadores avançados ou profissionais e procede à sua democratização, levando-a a todos os públicos, graças a um ecossistema de hardware e software que permite imprimir com um único clique. A Witbox Go! é produzida na fábrica da BQ em Noáin (Navarra), onde a empresa tecnológica prepara todos os seus produtos de impressão 3D e robótica. “As impressoras 3D têm o potencial de se transformar em ferramentas tão indispensáveis quanto os computadores chegaram a ser, mas, primeiro, temos de aproximar esta tecnologia das pessoas. Com a Witbox Go!, qualquer utilizador com entusiasmo pela impressão 3D pode a partir de agora utilizá-la.”, comenta Rodrigo Del Prado, Diretor-Geral Adjunto da BQ. A empresa é uma das que mais vende impressoras 3D no mundo e a terceira com mais vendas na Europa, o seu principal mercado.

 

image

 

 

Uma impressora inteligente

A BQ levou os seus conhecimentos na área da tecnologia móvel para a sua impressora: é a primeira a ter um processador Qualcomm® SnapdragonTM, concretamente o SD410 Quad Core. Além disso, é a primeira impressora do mundo com sistema Android. Isto permite ao utilizador imprimir a partir do seu smartphone e, além disso, revoluciona a experiência de utilização porque melhora a conectividade Wi-Fi, incorpora a tecnologia NFC e facilita o processo de atualizações porque o dispositivo recebe-as por OTA. A Witbox Go! incorpora componentes de última geração (que asseguram uma impressão de alta qualidade), reduzindo ao mínimo as definições que o utilizador tem de fazer e automatiza a maioria dos processos para que imprimir seja algo muito simples. É tão fácil de utilizar que o utilizador só demora 15 minutos a lançar ça sua primeira impressão, enquanto que nas outras impressoras a média é de 2 horas. Por exemplo, se a base não estiver perfeitamente acoplada, o sensor da base impede a impressão; o sensor do extrusor coloca a impressão em pausa se o hotend estiver obstruído e o sensor da presença de filamento interrompe a impressão se o filamento tiver terminado. Além disso, não exige a definição de parâmetros porque, através da tecnologia NFC, a informação das bobinas de PLA é transferida diretamente para a impressora.

 

 

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: