HP e Deloitte colaboram na impressão 3D

8 09 2017

Fonte: www.computerworld.com.pt

 

A HP e Deloitte Consulting anunciaram uma parceria para acelerar a transformação digital do sector da indústria fabril à escala mundial. As duas empresas vão colaborar na implementação dos sistemas de impressão 3D da HP em ambientes de produção de grande dimensão, aplicando a sua experiência sobre operações digitais.

O valor acrescentado proposto inclui a aceleração de processos de desenho e produção de artigos, a criação de uma cadeia de abastecimento mais versátil, o aumento da eficiência em todo o ciclo de vida da produção.

 

Resultado de imagem para hp deloitte

 

A parceria irá associar as soluções e ferramentas da tecnologia Jet Fusion 3D Printing da HP, ao ecossistema de parceiros e às capacidades de condução de transformações industriais digitais da Deloitte. As soluções de impressão 3D da HP, estão melhorar as operações de uma crescente lista de empresas líderes mundiais, incluindo o BMW Group, a Jabil, a Johnson & Johnson, a Nike entre muitas outras, bem como uma grande variedade
de agências de serviços de produção na América do Norte, Europa e Ásia-Pacífico, diz um comunicado.

A impressão em 3D dá liberdade ao design e permite, à partida, uma maior personalização de produtos. Ao mesmo tempo pode servir para criar uma linha digital de transformação das cadeias de abastecimento e abrir portas à fabricação distribuída, afirma John Dulchinos, vice-presidente de fabricação digital da Jabil.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Blocks Zero

7 08 2017

Encontrei este excelente review (em português) da impressora 3D Blocks Zero, no blog As TIC em 3D/Fab@rts, que agora partilho. Este artigo de opinião foi escrito em contexto pedagógico de utilização desta impressora, nomeadamente nas escolas. O blog em questão é um projeto desenvolvido no Agrupamento de Escolas Venda do Pinheiro e pretende explorar o tema das potencialidades da tecnologia 3D na educação, mas também da robótica, programação, utilização de drones entre outras tecnologias.

O blog As TIC em 3D/Fab@rts é definitivamente um ponto de paragem para todos os aficionados pela impressão 3D. Existem muitos conteúdos relacionados com esta tecnologia, deste análise a equipamentos, modelação 3D, vídeos, apresentação de Workshops, etc..

 

Fonte: http://3dalpha.blogspot.pt/2017/05/blocks-zero.html

 

 

Passámos a última semana a testar e experimentar uma impressora 3D Blocks Zero. Pelo preço e tamanho, pareceu-nos ser uma boa solução para aumentar o parque de impressoras e ter um equipamento fácil de transportar para workshops e sessões de divulgação. Não que as impressoras da Beeverycreative não sejam também fáceis de transportar, mas não nos cabem na mala do carro… pelo menos em pé, e nós somos muito cuidadosos com o seu transporte.

Este teste foi possibilitado pela ANPRI, que nos cedeu temporariamente esta impressora. Calhou-nos o seu unboxing.

 

 

A Blocks Zero é uma impressora de kit, mas a que experimentámos vinha já montada. Felizmente. Sem querer desvalorizar as impressoras de kit, como professores o que queremos é trabalhar competências de modelação 3D e explorar projectos. Do nosso ponto de vista, o tempo gasto em assemblar impressoras de kit é tempo perdido, que atrasa a implementação de projetos pedágógicos. É um ponto de vista, sublinhamos. A montagem de uma impressora 3D, com a aprendizagem rigorosa e experimental que requer, pode também ser um excelente projeto.

 

 

E, logo a seguir, imprimir? Não, não é bem assim. A Blocks Zero é uma impressora cartesiana normal, sem o nível de integração e usabilidade a que estamos habituados na Beeverycreative. Não há um software especializado que simplifica o processo de impressão, ou perfis específicos de filamento. A impressão faz-se através de um cartão SD (também nos pareceu ser possível com ligação USB ao computador, mas suspeitámos que esta impressora não tinha modo de impressão autónomo e não quisemos empatar o nosso computador numa impressão), com ficheiros Gcode gerados pelo Cura. Não estando tão simplificado como o Beesoft, o Cura pode parecer intimidante a quem se inicia na impressão 3D, mas tem algum cuidado em simplificar o processo para os menos conhecedores como um modo simples. Os mais conhecedores podem gerir, testar e modificar todos os parâmetros no modo avançado.

Imprimir para a Blocks Zero requer configurar o Cura com as dimensões da impressora, carregar os perfis de filamento generalistas disponíveis na página da Blockstec, importar os ficheiros STL, e gravar o Gcode para o cartão de memória. Depois, tudo o resto é passado na impressora. Utilizámos o Cura 2.4.

Ao contrário das Bees a que estamos habituados, o controlo da Zero é feito na própria impressora. É uma vantagem, parece-nos, acelera um pouco o processo de iniciar o dia (ou o trabalho) de impressão. As informações e comandos são acessíveis pela combinação de display LCD e botão. Um interface que se revelou estranho para os nossos alunos, cuja tentação, mal vêem um ecrã, é tocar nele.

Carregar e descarregar filamento é um processo simples, basta dar essas ordens à impressora e colocar o filamento na entrada do extrusor. A Zero não tem um extrusor direto, usa o sistema bowden, o que significa que o filamento é empurrado a alguma distância para o hotend.  O extrusor fica mais leve, o que nos pareceu ser bem aproveitado na rapidez de impressão, mas é algo apoquentador pensar o que poderá acontecer em caso de entupimento ou quebra do filamento após entrada no extrusor.

Inicialmente, o processo de carregamento pareceu-nos gastar demasiado filamento. Após o início da descarga, a impressora continuava a deitar filamento, e se não estivéssemos com atenção depressa ficaríamos com uma bola de plástico à volta do nozzle.. Contactámos a Blocks, e disseram-nos que a versão mais recente do firmware resolvia essas questões. Essa instalação obrigou-nos a reverter o Cura para uma versão anterior, a recomendada para atualização do firmware da Blocks Zero. Após atualização, verificámos que o processo de carregamento/descarregamento ficou optimizado, com menos filamento desperdiçado no carregamento, e um descarregamento totalmente automatizado.

Imprimir é um processo simples, basta selecionar o ficheiro gcode do modelo no interface da impressora. No entanto, aquele interface de botão giratório é capaz de complicar se tivermos mais do que dois ou três ficheiros no cartão SD.

 

Imprimindo apenas em resolução média, com os perfis genéricos de PLA da Blocks, a Zero deu-nos consistentemente bons resultados.

 


 

Leia o resto deste artigo »





Polícia de Segurança Pública testa arma produzida numa Impressora 3D

4 04 2017

Fonte: Exame Informática

 

Vídeos:

imageimage

 

(carregue nas imagens para as abrir em tamanho maior)

IMG_5017

IMG_5018

IMG_5020

Leia o resto deste artigo »





BQ apresenta Witbox Go!, a primeira impressora 3D Android do mundo

15 03 2017

Fonte: BQ

 

Imprime com um único toque a partir do telemóvel e é a primeira impressora 3D do mundo com processador Qualcomm.

É leve, de design minimalista e fabricada em Espanha.

 

Lisboa, 15 de março de 2017

A BQ apresentou hoje a sua nova impressora 3D, a Witbox Go!. Com ela, a empresa tecnológica espanhola tira a impressão 3D do nicho de utilizadores avançados ou profissionais e procede à sua democratização, levando-a a todos os públicos, graças a um ecossistema de hardware e software que permite imprimir com um único clique. A Witbox Go! é produzida na fábrica da BQ em Noáin (Navarra), onde a empresa tecnológica prepara todos os seus produtos de impressão 3D e robótica. “As impressoras 3D têm o potencial de se transformar em ferramentas tão indispensáveis quanto os computadores chegaram a ser, mas, primeiro, temos de aproximar esta tecnologia das pessoas. Com a Witbox Go!, qualquer utilizador com entusiasmo pela impressão 3D pode a partir de agora utilizá-la.”, comenta Rodrigo Del Prado, Diretor-Geral Adjunto da BQ. A empresa é uma das que mais vende impressoras 3D no mundo e a terceira com mais vendas na Europa, o seu principal mercado.

 

image

 

 

Uma impressora inteligente

A BQ levou os seus conhecimentos na área da tecnologia móvel para a sua impressora: é a primeira a ter um processador Qualcomm® SnapdragonTM, concretamente o SD410 Quad Core. Além disso, é a primeira impressora do mundo com sistema Android. Isto permite ao utilizador imprimir a partir do seu smartphone e, além disso, revoluciona a experiência de utilização porque melhora a conectividade Wi-Fi, incorpora a tecnologia NFC e facilita o processo de atualizações porque o dispositivo recebe-as por OTA. A Witbox Go! incorpora componentes de última geração (que asseguram uma impressão de alta qualidade), reduzindo ao mínimo as definições que o utilizador tem de fazer e automatiza a maioria dos processos para que imprimir seja algo muito simples. É tão fácil de utilizar que o utilizador só demora 15 minutos a lançar ça sua primeira impressão, enquanto que nas outras impressoras a média é de 2 horas. Por exemplo, se a base não estiver perfeitamente acoplada, o sensor da base impede a impressão; o sensor do extrusor coloca a impressão em pausa se o hotend estiver obstruído e o sensor da presença de filamento interrompe a impressão se o filamento tiver terminado. Além disso, não exige a definição de parâmetros porque, através da tecnologia NFC, a informação das bobinas de PLA é transferida diretamente para a impressora.

 

 

Leia o resto deste artigo »





QUERES PARTICIPAR NUM WORKSHOP DE IMPRESSÃO 3D?

25 02 2017

Fonte: BEEVERYCREATIVE

 

Vem descobrir o fascinante mundo da Impressão 3D connosco!
Para saberes mais, clica aqui: https://goo.gl/vAB2Ej

 

Calendário de Atividades do BEElab.UA – 1º semestre 2017

 

Como a Impressão 3D nos apaixona, a BEEVERYCREATIVE quer partilhar conhecimento e experiência enriquecedoras contigo!

À semelhança dos workshops que desenvolvemos anteriormente, preparámos uma série de workshops gratuitos para os próximos meses que te permitirão saber mais sobre a Impressão 3D e as suas potencialidades!

image

Leia o resto deste artigo »





Personalizar objetos 3D para impressão

28 01 2017

 

A impressão 3D é um “novo” mundo que traz possibilidades infinitas à nossa imaginação. Milhares de modelos estão disponíveis para impressão na Internet, em sites como www.thingiverse.com e https://pinshape.com. À distancia de um clique pode descarregar um modelo e materializar o mesmo. Este é normalmente o caminho inicial de qualquer entusiasta da impressão 3D: descarregar um modelo e imprimir. Posteriormente o passo intermédio é personalizar modelos já construídos. Por último, para utilizadores mais avançados: desenhar de raiz os seus próprios modelos e imprimir.

Neste artigo vou exemplificar como é possível, facilmente e sem grandes conhecimentos técnicos, personalizar modelos existentes. Para o efeito, vou exemplificar como personalizar uma capa para um smartphone (iPhone 5, 5s, 5c, SE), quer ao nível do modelo propriamente dito, quer nas cores utilizadas na impressão.

 

 

O modelo em questão está disponível gratuitamente em:

 http://www.thingiverse.com/thing:30973

image

 

 

Após descarregar o ficheiro stl (formato normalmente utilizado em impressão 3D), é necessário importar o mesmo para o www.tinkercad.com . Esta ferramenta online(gratuita), da AutoDesk (mesmo fabricante do famoso AutoCAD), é executada no navegador Web (necessita de conexão com a Internet) e permite de uma forma fácil e extremamente simplificada modelar (desenhar) em 3D. Por esse motivo o Tinkercad tem ganho cada vez mais adeptos, sendo um aliado perfeito da impressão 3D. Algo que, para o utilizador comum, num software convencional como o AutoCAD, poderá ser complexo e moroso de executar, no Tinkercad, por norma, poderá conseguir o mesmo resultado numa fração do tempo, com muito menos complexidade e com custo 0. Em contrapartida, o Tinkercad, na medida em que é muito acessível e com complexidade muito reduzida, tem as suas limitações e logicamente não permite criar objetos mais complexos, já que está orientado para modelos geométricos.

 

 

Tinkercad – Dicas e funcionalidades :

  • Pressione o botão direito do rato numa área vazia da área de trabalho e sem deixar o botão e mova o rato permite altear a perspectiva de visualização.
  • O scroll do rato vai ser necessário para fazer zoom.
  • O navegador recomendado para executar o Tinkercad é o Chrome.
  • Existem várias combinações de teclas que pode utilizar, já conhecidas do WIndows, como ctrl+c para copiar, ctrl+v para colar, ctrl+z para desfazer, etc..
  • Se pretender poderá alterar para português a língua do Tinkercad, no canto inferior direito da página principal.

 

 

SNAGHTML46f4f9c

 

Com o Tinkercad é possível importar um ficheiro stl. Após a importação, poderá adicionar “objetos” ao modelo principal, como texto, números, um cubo, cone, retângulo, símbolos, etc.

Neste exemplo vamos personalizar a capa do smartphone com um texto lateral (o nome do proprietário). Para o efeito vamos localizar em Basic Shapes, a opção Text, e pousar o cursor na área de trabalho. É imediatamente aberto um assistente que permite introduzir o texto pretendido, assim como definir a sua altura entre outras características relacionadas com a sua dimensão.

Dependendo do que é pretendido, podem existir várias formas de alterar a dimensão do objeto, mover, rodar, etc. A simplicidade do Tinkercad permite que não seja necessário explicar o que cada “quadradinho” e seta faz. O utilizador de forma fácil e intuitiva percebe imediatamente quais as funcionalidades existentes e como as utilizar.

SNAGHTML4b8ab16

 

 

É pretendido que a traseira da capa tenha as iniciais “CR”. O passo para criar um objeto de texto é o mesmo que o anterior. Posteriormente é necessário rodar 180 graus o texto.

image

Leia o resto deste artigo »





Blocks Zero-Uma pequena grande impressora 3D

17 01 2017

A Blocks é uma startup portuguesa que desenvolve impressoras 3D e presta serviços relacionados com esta tecnologia. Recentemente esta empresa lançou no mercado uma nova impressora 3D, de baixo custo, extremamente apelativa pela sua relação qualidade/preço. A Blocks Zero tem um tamanho  e peso reduzido (cerca de 5 KG), o  que permite facilmente transportar a impressora e colocar a mesma em qualquer mesa ou secretária.

 

image

 

Esta impressora tem o custo de 350 EUR (em KIT) em compra direta à Blocks. Se pretender pode comprar com um valor inferior, na plataforma de financiamento colaborativo no Indiegogo.

Por este preço, as poucas impressoras que se encontram no mercado são, por norma, modelos de inferior qualidade, em KIT, com origem na China, sendo que neste caso é necessário comprar através de um dos muitos sites como o AliExpress por exemplo, e aguardar vários dias ou semanas até receber o produto.

É possível comprar a Blocks Zero quer em KIT (em peças), como já montada. Relativamente à primeira opção, no caso de utilizadores menos experientes, poderá ser uma escolha menos acertada. Embora exista um manual de montagem (muito bem elaborado), esta tarefa exige algum tempo para ser concluída, assim, como é lógico, alguma destreza por parte do utilizador. Ainda assim, montar a Blocks Zero é extremamente fácil e rápido (a Blocks refere que é são apenas necessárias cerca de 2:30 h), quando comparado com a montagem da Anet A8 (mais de 12 horas para montar e calibrar). Pode ainda equacionar participar num workshop onde pode construir Blocks Zero a partir de um kit (mais informações aqui).

 

blocks-zero

A impressora não tem mesa aquecida, no entanto este não é um impedimento para imprimir nos materiais mais conhecidos, como PLA e similares. A área de impressão é de 12x14x12 cm o que permite imprimir a maior parte dos objetos disponíveis em plataformas como o Thinghiverse.

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: