Evento Linux 2013

31 08 2013

35Irá decorrer em Lisboa, dia 26 de Setembro de 2013, no Pólo Tecnológico de Lisboa – Lispolis, mais uma edição do evento Linux 2013 – XI Encontro Nacional sobre Tecnologia Aberta. Promovido pela Syone SBS Software e Caixa Mágica, este evento conta já com uma série de oradores confirmados.

 

A inscrição é gratuita e obrigatória, e é efectuada nesta página.

 

 

Organizações e oradores confirmados:

Christoph Dressel (Kwamecorp)
No Evento Linux 2013 Christoph Dressel irá falar-nos sobre a estratégia do FairPhone, sobre o smartphone em si e ainda acerca do seu OS aberto e do porquê dessa escolha.

Kim Hansen (Kwamecorp)
No Evento Linux 2013 Kim Hansen irá apresentar os detalhes técnicos do FairPhone e do seu OSS.

Raúl Oliveira (CEO da IPBrick)
Raúl Oliveira irá falar-nos sobre como o Open Source tem vindo a conquistar terreno e a ganhar espaço nas grandes empresas e organizações.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Raspberry Pi

30 07 2013

O Raspberry Pi (RPi) é um micro-computador de baixo custo, do tamanho de um cartão de crédito, que tem vindo a ganhar muita notoriedade ao longo da sua curta existência. É um projecto que conseguiu sair da fase de protótipo, alcançar a produção em larga escala e neste momento é extremamente fácil encontrar este equipamento no mercado.

 

Desenvolvido e produzido no Reino Unido pela Raspberry Pi Foundation, da qual faz parte a Universidade de Cambridge,  o RPi tem como principal objectivo principal despertar e estimular o interesse pela programação e electrónica, nomeadamente ao nível do ensino escolar. Actualmente existem muitos  projectos à volta desta plataforma, mesmo a nível empresarial, tal é o seu potencial. Inclusive empresas nacionais têm demonstrado o seu interesse em implementar soluções sobre esta plataforma. O GrupoPIE que desenvolve o PingWin e a XDpeople são algumas das empresas que têm demonstrado interesse no desenvolvimento de produtos baseados neste micro-computador.

 

image

 

 

 

O Ziphius é um outro projecto português, de referencia, que faz parte da lista de “case studies” da Raspberry Pi Foundation.

Ziphius: Aquatic Drone

 

 

As possibilidades são infinitas com esta plataforma. Desde construir um media center para a sala de estar, baseado em XBMC até projectos mais complexos que permitem controlar robots, lâmpadas, sensores, etc. Os pinos (GPIO: general purpose input/output) podem ser programados para interagir com outros módulos e componentes electrónicos, permitindo um sem numero de possibilidades.

 

 

 

Neste momento existem 2 modelos do Raspberry Pi, o modelo A e o B. A grande diferença reside no facto de, este último ter mais uma porta USB, totalizando duas,  uma porta Ethernet para ligar um cabo de rede (100 Mbps), para além de ter 512 MB de memória RAM, o dobro do modelo A. Ambos os modelos têm um consumo energético muito reduzido.

 

image

image

Características do RPi (Modelo B)

  • Chip: Broadcom BCM2835 SoC full HD processador de aplicações multimédia
  • CPU: 700 MHz ARM1176JZF-S core (ARM11 family)
  • GPU: Dual Core VideoCore IV® Multimedia Co-Processor, 1080p30 decodificador h.264/MPEG-4 AVC
  • Memória (SDRAM): 512MB RAM
  • Portas USB 2.0: 2 portas USB
  • Saídas de vídeo: HDMI (rev 1.3 & 1.4) Composite RCA (PAL e NTSC)
  • Saídas de áudio: Conector de 3.5 mm, HDMI
  • Armazenamento onboard: SD / MMC / slot para cartão SDIO
  • Rede onboard: 1 porta ethernet
  • Power ratings: 500 mA (2.5 W)
  • Fonte de energia: 5 volt via MicroUSB ou header GPI
  • Tamanho: 85.60 mm × 53.98 mm
  • Sistema Operativo: Linux

 

 

O Raspberry Pi é constituído apenas pela motherboard,  em que o coração é um CPU ARM (ARM1176JZFS) que funciona à velocidade de 700Mhz. A sua capacidade de processamento permite executar aplicações de processamento de texto, cálculo, jogos, assim como vídeo de alta definição. Para colocar o Raspberry Pi em funcionamento é necessário um cartão SD, de 4GB Classe 4 ou superior, uma fonte de energia, e logicamente um teclado e um rato. Existem uma série de outros acessórios como caixas, conversores HDMI para DVI e VGA, adaptador WiFi, câmara, etc que podem ser facilmente encontrados no mercado.

 

 

A InMotion é uma das empresas portuguesas que vendem o RPi, para além de todos os acessórios e periféricos relacionados. Neste momento o valor do RPi, modelo B ronda os 45 Euros, a caixa transparente tem um custo de 10 Euros, assim como o transformador (o conector é mico USB, sendo um vulgar carregador de telemóvel, com pelo menos 700mA/5V serve para o efeito) e o adaptador wireless USB. Adicionalmente um conversor HDMI para VGA  custa cerca de 25 Euros. Quanto ao cartão SD, pode ser encontrado em qualquer loja de electrónica e informática pelo valor de 5 a 15 Euros, dependendo logicamente da marca (é recomendada a utilização de marcas reconhecidas, por, à partida, serem mais fiáveis), tamanho e classe (a classe indica quão rápido o cartão é). Adicionalmente poderá ser ligado um hub USB, com alimentação dedicada por forma a aumentar o numero de portas USB disponíveis.

 

 

O Raspberry Pi assenta sobre a plataforma ARM, o que significa que apenas suporta sistemas operativos baseados em Linux. Tem disponível uma loja de aplicações “Pi Store” onde poderá descarregar aplicações, como o LibreOffice, jogos, aplicações didáticas, etc. Como referido anteriormente, este projecto visa estimular a aprendizagem e o interesse pela tecnologia em geral e pela programação em especifico. A linguagem “oficial” do RPi é o Python, que tem uma curva de aprendizagem baixa.

 

 

 

 

Algumas imagens do RPi

RPi a correr Raspbian (sistema operativo “oficial”, baseado em Debian)

image

Este é um sistema operativo apenas com o essencial para uma primeira experiencia.

Leia o resto deste artigo »





Instalar o Colibri 7.0.2 no Ubuntu 12.04

10 09 2012

O Sistema Operativo Linux, embora com uma baixíssima quota de mercado, quando comparado com Windows e OS X, no que refere a computadores pessoais, e utilização a nível do desktop empresarial, tem vindo, lentamente, a ganhar alguma notoriedade, impulsionado pelo esforço de algumas empresas como a Canonical, que produz o Ubuntu, que actualmente é das distribuições mais conhecidas e suportadas. Mais concretamente no nosso país, o facto de alguns computadores pessoais, disponibilizados pelos programas e.escola e e.escolinha,  possuírem este sistema instalado, a distribuição nacional Caixa Mágica, e alguns projectos de implementação em grandes organizações, são impulsionadores que suscitam algum interesse e curiosidade junto das pessoas e empresas.

 

Uma das vantagens do Linux é que a grande maioria das distribuições direcionadas para computadores pessoais são completamente gratuitas. Acrescido que é um sistema onde os vírus e outro tipo de malware,  que tanto afecta os sistemas Windows, não serem “ainda” um problema. Além disso, o Linux normalmente requer menos recursos de processamento, o que significa que pode ser utilizado em computadores mais antigos. É um sistema operativo estável, com uma comunidade de utilizadores bastante grande que partilha o seu conhecimento e entreajuda.

 

 

Obviamente também existem  desvantagens quando comparamos o Linux com outros sistemas operativos. Uma dessas desvantagens é o facto de a grande esmagadora das empresas que produzem software não o fazerem para este sistema, por variadíssimos motivos que normalmente se prendem com o facto de este ainda representar uma percentagem muitíssimo pequena no mercado dos sistemas operativos. Quando falamos em software empresarial como ERP e aplicações de facturação, o cenário é ainda pior, existindo um reduzido numero de software-houses que produzem aplicações para esta plataforma.

 

A discussão à volta de qual o melhor sistema operativo, entre Windows, OS X, e Linux levanta frequentemente acesas discussões, entre os utilizadores destes três sistemas. Essencialmente, a questão não é qual o melhor dos três, porque são diferentes e coloca-los na mesma base de comparação é errado. Todos têm os seus pontos fortes e fracos. Cada um pode ser o melhor, tendo em conta as necessidades do utilizador ou de uma organização.

 

Para uma micro ou pequena empresa, que está a iniciar a sua actividade, sem orçamento para investir num computador “de última geração”, numa aplicação de facturação, suite de produtividade (o LibreOffice vem instalado por defeito, e pode ser uma alternativa ao Office da Microsoft), anti-vírus, entre outras aplicações, o Linux, juntamente com o Colibri pode ser uma opção a colocar em cima da mesa. Conseguem, ambos, disponibilizar todas as ferramentas de produtividade mais usuais, como navegação na internet, email, edição de documentos de texto e folhas de cálculo, e efectuar facturação que cumpre com todas as normas em vigor, impostas pela Autoridade Tributária.

 

 

Neste artigo irá ser demonstrado como instalar o Colibri 7.0.2 no Linux, mais concretamente na última versão da distribuição Ubuntu 12.04 – 32 bits (com todas as actualizações instaladas).

900-ambiente de trabalho

 

Leia o resto deste artigo »





Linux Everywhere

1 12 2011

 

Relógio de Ponto Biométrico Safescan TA-850 a correr Linux…

 

IMG00023-20111125-1749





WinRest FrontOffice–Versão Demonstração

14 02 2011

imageO site http://www.winrest.com/ disponibiliza (o download poderá agora ser feito directamente neste link) para download versões de demonstração do reconhecido software WinRest FO (FrontOffice), líder de mercado no sector da restauração (restaurantes, bares, cafés, etc).

 

Este software tem como pontos fortes a sua simplicidade e estabilidade,  sendo por isso utilizado em muitas das principais referências na área da  restauração e similares, presentes quer em Portugal quer noutros países espalhados pela Europa, América do Sul, Ásia e África.

 

 

Alguns pontos interessantes:

  • Extremamente simples de instalar (o instalador da versão Windows tem pouco mais de 2MB). Entre instalar e começar a trabalhar na aplicação demora menos de 1 minuto.
  • É extremamente “leve”, o que permite ser instalado em computadores com recursos extremamente baixos.
  • Existem versões para Windows e Linux (o fabricante tem uma distribuição própria).
  • Utiliza um motor de Base de Dados proprietário, excluindo assim a complexidade  de um servidor SQL, como o SQL Server da Microsoft, com tudo de bom e de mau que isso pode trazer.
  • Interligação com vários periféricos, como por exemplo: sensor de temperatura; máquina de café; gaveta; impressora; balança; visor de cliente; TPA (terminal pagamento automático); câmaras de vídeo-vigilância; comandos; PDA’s,
  • O fabricante do WinRest mantem uma lista de hardware testado garantindo assim a compatibilidade e estabilidade do seu software com os POS’s e demais periféricos.
  • De base, não possui nenhum backoffice, o que implica que todas as operações de criação de tabelas (artigos e colaboradores por exemplo) e todas as configurações sejam feitas no próprio frontoffice, de forma simples e intuitiva, utilizando o ecrã táctil.

 

Download da versão Profissional – 2011/5.12  (certificada pela DGCI)

 

Ecrã principal:

image

 

 

 

Ecrã de Pedidos:

image

 

Leia o resto deste artigo »





Linux Everywhere

16 11 2009

 

Relógio de Ponto Biométrico DIMEP Biolite a correr Linux…

 

PIC_0015

 

PIC_0014








%d bloggers like this: