Publicidade

7 12 2016

untitled

Interessado em promover a sua empresa ou os seus produtos neste espaço? Carregue em “Leia o resto deste artigo”

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Vantagens da Faturação Eletrónica

11 11 2017

Segundo a YET | Your Electronic Transactions, empresa do grupo PRIMAVERA especializada em soluções de transações eletrónicas (EDI), o tratamento manual de uma fatura representa, em média, um custo unitário superior a 1,50 EUR. Este valor, que logicamente é uma estimativa, representa o somatório dos custos relacionados com papel, impressão, envelope, expedição e custos administrativos de processamento (tempo).

Não é por acaso que grande parte das empresas que fornecem serviços que utilizamos no dia-a-dia, como a MEO, EDP, Vodafone entre outras, oferecem descontos e vantagens na adesão à faturação eletrónica. Estas empresas poupam muito dinheiro pelo simples facto de deixarem de enviar milhões de faturas em papel a cada ano.

 

Resultado de imagem para fatura eletrónica

 

A faturação eletrónica tem o mesmo valor que a faturação “em papel” e está disponível até em muitas das aplicações de faturação mais básicas que podemos encontrar no mercado como o Vendus, Moloni, Jasmin, InvoiceXpress, entre outras. É necessário ter em conta que a faturação eletrónica tem que obedecer a certos e determinados requisitos técnicos e legais definidos pela Autoridade Tributária. Na prática é um formalismo técnico que permite assinar digitalmente o documento PDF, através de um certificado digital, garantindo assim a autenticidade da origem e a integridade do seu conteúdo.

Para além da rapidez e comodidade na entrega da fatura, poupando dessa forma tempo (por exemplo na deslocação aos CTT), de não ter custos com papel, impressão, envelopagem e expedição, a faturação eletrónica evita ainda ainda os típicos problemas associados à não entrega de correspondência (desvios de correspondência e morada insuficiente por exemplo). A adoção da faturação eletrónica faz ainda transparecer modernidade junto dos seus clientes já que permite aumentar a produtividade e eficiência administrativa. Ao mesmo tempo, o arquivo e posterior consulta das faturas eletrónicas, por parte do cliente, fica facilitada. Porque não conceder um desconto a clientes que aceitem passar a receber documentos de faturação (eletrónica) por email?

 

 

Em baixo pode consultar parte de um interessante artigo sobre o tema. O artigo integral pode ser consultado aqui.

 

 

Fonte: www.jasminsoftware.com

A fatura electrónica veio mudar o paradigma do que outrora era burocracia em papel para, atualmente, se transformar num recurso valioso em diversos negócios.

Antes, o processo de organizar, carimbar, assinar e emitir faturas exigia muito tempo e disponibilidade por parte dos administradores. Hoje em dia, o potencial da tecnologia veio permitir aos administradores de empresas obter recursos mecanizados que facilitam algumas das suas tarefas, simplificando assim os processos de faturação.

 

O que é a fatura eletrónica?

A fatura eletrónica é um documento comercial semelhante a uma fatura convencional em papel, cuja principal vantagem é a de chegar instantâneamente ao consumidor através do e-mail.

A sua autenticidade é garantida por um certificado digital que satisfaz todos os requisitos legais da assinatura digital que assegura a identificação da entidade que faz o seu envio. Assim, em termos legais, tanto o seu valor como a sua validade em nada diferem aos de uma fatura em papel.

A fatura eletrónica facilita o processo de faturação que passa a ser automático. Passa a ser apenas necessário dar a ordem de envio para o consumidor que, ao receber a fatura por e-mail, facilmente consegue aceder ao ficheiro em qualquer lugar.

Além da poupança de tempo, a fatura eletrónica permite aos administradores manter o foco nas tarefas que são primordiais para a rentabilidade dos seus negócios.

Leia o resto deste artigo »





Webinar Alvo-Conheça o Novo Módulo Gestão de Penhoras da Primavera

10 11 2017

Fonte: Alvo

Webinar Novo Módulo Gestão de Penhoras da Primavera

 

3ªfeira, 14 de novembro 2017 | 11h

Boa tarde,

A Alvo, tem o prazer de o convidar para o Webinar Gratuito sobre o Novo Módulo de Gestão de Penhoras da Primavera

O software Gestão de Penhoras e Adiantamentos da Primavera permite efetuar automaticamente o processamento, pagamento e gestão de penhoras, cumprindo as exigências legais de forma simples, rápida e integrada.

 

Neste webinar iremos falar sobre:

  • A vantagem de utilização do Módulo de Gestão de Penhoras
  • Regras de Cálculo utilizadas
  • Demonstração do produto
  • Esclarecimento de dúvidas

Leia o resto deste artigo »





HansaWorld Standard Accounts-Aplicação de Faturação e Contabilidade gratuita para todos os tipos de negócio

9 11 2017

A HansaWorld é uma empresa Irlandesa que produz software empresarial para várias áreas de negócio. Especificamente para o mercado português é disponibilizada a suite Standard Accounts, gratuita, embora com funcionalidades Premium que são pagas em regime de subscrição. Mais recentemente foram disponibilizadas aplicações no mesmo modelo de licenciamento do Standard Accounts:  o Standard Hotel, para gestão de unidades hoteleiras e o Standard CRM para gestão de relacionamento com clientes.

 

http://standard-accounts.com/por

 

image

 

O Standard Accounts tem os módulos de Faturação (compras e vendas) e Contabilidade. A aplicação é certificada pela AT, exporta o ficheiro SAFT e ficheiro de Inventário para comunicação à Autoridade Tributária, assim como cumpre com outros requisitos legais como a comunicação de documentos de transporte à AT (funcionalidade paga). Muito provavelmente esta aplicação será caso único no mercado português, uma vez que disponibiliza os  módulos de faturação (compras e vendas) e contabilidade, de forma gratuita e sem limite de transações. A qualquer momento é possível evoluir para o Standard ERP, sem qualquer perda de dados, que é orientado para organizações de maiores dimensões com outras necessidades.

 

 

Algumas imagens do Standard Accounts

Ficha de entidade

image

 

 

Ficha de artigo

image

 

 

Documento de venda

image

 

 

Layout de documento de venda

image

 

 

Plano de Contas da Contabilidade

image

 

 

Registo de documento contabilístico

image

 

 

Balancete analítico

image

 

 

Assistente de comunicação do Inventário à AT

image

Leia o resto deste artigo »





SVAT-Certificação dos programas de contabilidade

6 11 2017

Fonte: Jornal de Negócios | Jorge Carrapiço | 10 de outubro de 2017 às 20:10

  

Jorge CarrapiçoA prestação de contas das empresas vai ter uma revolução para o período em curso (2017), a cumprir já durante o envio das declarações no próximo ano.

Esta alteração foi promovida pelo legislador no âmbito do Programa Simplex+ 2016. Tendo várias vertentes, foi realizada com vista, essencialmente, à obtenção de informação contabilística e fiscal de uma forma automática e normalizada, mediante a utilização do ficheiro SAF-T (PT).

Em primeiro lugar, a partir do período de tributação de 2017, passou a ser obrigatório que a contabilidade das empresas seja efetuada através de programas informáticos que tenham a capacidade de gerar o referido ficheiro de auditoria fiscal.

A implementação desta obrigação teve como principal propósito obrigar a que as empresas com contabilidade organizada, nomeadamente sociedades comerciais e empresários em nome individual, passem a efetuar o preenchimento dos anexos A e I da IES, automaticamente, mediante a submissão à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) do ficheiro SAF-T (PT) gerado a partir do programa informático da contabilidade.

 

Finanças

 

Para que fosse possível essa autonomização com o pré-preenchimento dos anexos A e I da IES, através da mera submissão do referido ficheiro de auditoria fiscal, foram criados os Códigos de Taxonomias, a associar ao Plano de Contas da contabilidade das empresas.

Essas taxonomias permitem uma codificação específica dos valores das operações e factos patrimoniais da empresa, que irão ser imputados a cada rubrica das demonstrações financeiras da prestação de contas.

A realização com sucesso da prestação de contas das empresas para o período em curso está, assim, também dependente da correta extração e informação constante do ficheiro SAF-T (PT) da contabilidade, além da necessidade do cumprimento dos normativos contabilísticos e fiscais.

 

 

Validação não obrigatória

Esta importância acrescida do referido ficheiro de auditoria fiscal, nomeadamente para a prestação de contas, motivou o legislador a criar um procedimento de certificação, ou antes, de validação dos programas informáticos de contabilidade.

Esta validação visa principalmente a verificação de que cada programa de contabilidade extrai o ficheiro SAF-T (PT) com a qualidade necessária e com os elementos previstos para as diferentes necessidades, nomeadamente para o pré-preenchimento dos anexos A e I da IES.

A referida validação dos programas de contabilidade não é obrigatória, podendo ser requerida pelas empresas produtoras desses softwares, sendo-lhe atribuído um Selo de Validação AT (SVAT).

Consultor da Ordem dos Contabilistas Certificados

Artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

 

 

 

Páginas relacionadas:

http://info.portaldasfinancas.gov.pt/pt/apoio_contribuinte/SAF_T_PT/SVAT.htm

https://dre.pt/web/guest/pesquisa/-/search/108238712/details/maximized?p_p_auth=X7le9ksB

http://pt.eticadata.com/noticias/SVAT

http://www.pontualsoftware.com/pt/selo-validacao-at-svat/

http://ceteconta.pt/geral/novo-selo-de-certificacao-para-programas-de-contabilidade.olv/

https://ind.millenniumbcp.pt/pt/geral/fiscalidade/Pages/atualidades_legais/2017/10/Atribuicao-de-Selo-de-Validacao.aspx

http://mrg-sroc.com/homepage-pt/criacao-do-selo-validacao-autoridade-tributaria-svat/

http://www.mindafil.pt/updates/812-selo-de-validacao-at-svat

http://www.virtual.pt/noticia?id=7798

http://clubedostoc.blogspot.pt/2017/10/svat-selo-de-validacao-at-vai.html





E.FREE Eticadata

6 11 2017

Conforme publicado anteriormente neste artigo, a Eticadata disponibilizou recentemente o E.FREE, um software de faturação sem custos de licenciamento, orientado para as micro e pequenas empresas. Trata-se de uma aplicação desktop (não disponível em ambiente Cloud) que tem como limite de faturação anual o valor de 35.000 Euros e limite de uma empresa por sistema. Para além de Portugal, o E.FREE está igualmente disponível para outros mercados como Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Cabo Verde, Colômbia, Espanha e S. Tomé e Príncipe.

Ainda que o software possa ser bom (não testei…), todo o processo que vai desde preencher o formulário para demonstrar o interesse na aplicação, ser contactado pela Eticadata e posteriormente por um parceiro, até começar a utilizar a aplicação pode ser moroso e complexo para o utilizador comum (no caso de não ter ajuda do parceiro).  Podem ainda existir custos relacionados com a instalação, configuração e formação (conforme está explícito na página do produto) que podem inviabilizar todo o processo no caso de o utilizador considerar o custo proposto como sendo elevado e não justificado.

 

 

Ao contrário da tendência da industria que tem evoluído para o software alojado na Cloud, que entre outras vantagens, dispensa instalação e reduz o tempo necessário para começar a utilizar as aplicações (Jasmin e Wintouch Cloud são dois bons exemplos-possuem planos gratuitos), assim como de outras aplicações de faturação, em ambiente Desktop e a custo 0, disponibilizadas por outras empresas, como por exemplo o Primavera Express, XD STARTUP, Projecto Colibri FREE, que são simples de instalar, atualizar e utilizar e não implicam o contacto com um parceiro (pelo menos numa primeira fase), nem exigem conhecimentos avançados, o E.FREE tem grau de exigência muito maior para que possa começar a utilizar o software.

 

Num cenário em que são disponibilizados (por um parceiro Eticadata) ao utilizador todos os instaladores (SQL Server e ERP) e outros ficheiros que eventualmente sejam necessários, muito dificilmente este consegue colocar o software a funcionar sem necessitar de ajuda. Por norma o utilizador final não tem conhecimentos suficientes, nem disponibilidade de tempo para o fazer. É necessário instalar o ERP e também o SQL Server, de forma manual e desintegrada. Posteriormente é necessário inicializar a plataforma e muito provavelmente será necessário criar uma nova empresa (base de dados) e efetuar várias configurações iniciais. A “alternativa”, conforme a Eticadata indica, implica que o utilizador eventualmente tenha custos relacionados com a instalação, configuração e formação, após contactar um parceiro deste fabricante. Muito provavelmente também será necessário contactar um parceiro Eticadata para instalar atualizações sempre que estas sejam disponibilizadas, mais uma vez com a probabilidade de existirem custos associados.

Leia o resto deste artigo »





Primavera Express–Nova atualizaçao importante

4 11 2017

Foi disponibilizada ontem uma nova versão do Primavera Express (07.6000.1287) que traz consigo o novo certificado emitido pela AT (o certificado atual é válido até dia 18-11-2017). O certificado em questão é apenas utilizado em clientes que comuniquem documentos de venda e/ou transporte diretamente à AT, em tempo real, via web service. A comunicação de dados via ficheiro SAFT não sofre qualquer impacto derivado da expiração do certificado que atualmente está em vigor.

 

Para a esmagadora maioria dos utilizadores do Primavera Express a nova versão criará certamente mais impacto no facto de, a partir de agora, e dando resposta à Portaria 302/2016 de 2 de dezembro de 2016, passarem a estar sujeitos às regras da certificação de software novos tipos de documentos como Orçamento, Fatura Pró-Forma, Cotação e outros documentos que possam ser equivalentes. Após a instalação da última versão, deixará de poder alterar determinados dados de documentos já gravados (preços, descontos, quantidades, etc.), tal como já acontecia anteriormente com os documentos financeiros.

 

No Primavera Express, em Tabelas > Vendas > Documentos, poderá consultar em cada documento qual o seu tipo. São afetados por esta alteração documentos com o campo “Tipo Doc.” definido como “Pedido Cotação” e “Cotação”.

Capture

 

 

Comunicado da Primavera enviado dia 03-11-2017

Fonte: PrimaveraBSS

 

Atualize o PRIMAVERA EXPRESS até 18/11/2017!

Caro(a) Cliente,

A PRIMAVERA informa que deverá atualizar a versão do PRIMAVERA EXPRESS por duas razões:

1) Para proceder à atualização do Certificado emitido pela Autoridade Tributária até 18/11/2017, data a partir da qual expira o certificado atualmente em vigor. Caso esta data de validade seja ultrapassada, o PRIMAVERA Express não será capaz de efetuar a comunicação online de faturas nem a emissão de documentos de transporte.

2) Para dar resposta à Portaria 302/2016 de 2 de dezembro de 2016, que prevê um novo formato de assinatura e comunicação de documentos do tipo Working Documents (Pedido de Cotação e Cotação).

No ponto 2, informamos que estas alterações têm implicações apenas nesses tipos de documentos, onde os mesmos passam a ser sempre assinados e cumprem com os pressupostos definidos pela Autoridade Tributária (AT) no que respeita à assinatura de documentos, tal como já acontece com os documentos Financeiros.

Como na mesma série não podem coexistir documentos assinados e documentos não assinados, irá implicar a criação de novas séries para estes tipos de documentos. Pode consultar o artigo de ajuda para criação de séries aqui.

Poderá efetuar a atualização do seu software, seguindo a mensagem que será disponibilizada diretamente no produto, tal como ilustrado abaixo.

 

Leia o resto deste artigo »





Poly!-A micro Impressora 3D versátil, made in Italy

2 11 2017

Enquanto os fabricantes ligados à impressão convencional, como por exemplo a HP, Epson, Canon, entre outros, não entram no mercado de Impressão 3D “de consumo”, isto é, segmento doméstico, várias empresas por todo o mundo, muitas delas startups, vão explorando e desenvolvendo a tecnologia de impressão 3D trazendo-a até aos consumidores finais e às suas casas.

 

Por razões históricas a HP é, para muitas pessoas, sinónimo de impressoras (embora fabrique muitos outros produtos). Este fabricante  atua desde há vários anos na área do 3D, mas apenas no segmento empresarial (mais detalhes aqui). Foi precisamente uma Impressora 3D da HP, do tamanho de um frigorifico, que cativou toda a minha atenção e entusiasmo, numa feira de tecnologia, SIMO, que visitei seguramente há mais de 10 anos em Madrid. Cativou a minha atenção e seguramente a de muitos outros visitantes da feira, que acompanhavam com “olhos de criança que assiste a um espetáculo de magia”, todo o processo de impressão, em que  camada a camada, a impressora estava a construir, se não estou em erro, uma maquete de uma casa.

 

 

Nas grandes cadeias de distribuição de informática de consumo, como por exemplo a Worten, Media Markt, Fnac, não encontramos “ainda” Impressoras 3D desenvolvidas pelos mesmos fabricantes das impressoras comuns (papel), mas começamos a encontrar, de forma muito discreta e com pouca oferta, impressoras e filamentos de empresas mais recentes e menos conhecidas da globalidade dos consumidores. No dia em que a HP colocar no mercado uma Impressora 3D “de levar para casa”, aí sim, certamente irá ser o momento em que a revolução 3D irá acelerar provavelmente a passos largos. Neste momento o crescimento e a propagação desta tecnologia no segmento domestico é lento uma vez que é uma tecnologia que ainda não é para as massas mas sim principalmente para os makers/curiosos e para profissionais que necessitam de alguma forma de efetuar prototipagem rápida a baixo custo.

 

Em Portugal temos o exemplo a BEEVERYCREATIVE e a Blocks Technology que desenvolvem produtos e serviços de excelência, mas de certa forma semelhantes e equivalentes. Em Espanha, a BQ têm evoluído muito na área 3D, com uma gama ampla de produtos 3D, não só impressoras mas também filamentos. Um pouco por todo o mundo outras startups tentam ir mais além e destacar-se com produtos diferenciadores, com custos cada vez mais baixos e cada vez menos complexos. Um desses exemplos é o caso da 3DRap, uma empresa Italiana, sediada em Avellino, que está a desenvolver a Poly! Conheci esta impressora numa das visitas que fiz à feira Technology Hub que tem decorrido anualmente em Milão. Em 2018 esta feira irá ter lugar de 17 a 19 de Maio.

 

 

A Poly! é uma (micro) impressora construída com algumas peças impressas em outra Impressora 3D, portátil (pesa menos de 1 Kg), que para além de imprimir em 3D, pode ser utilizada (após a troca de determinado(s) componente(s)) para gravação a laser (para gravar em madeira e papel por exemplo), impressão com chocolate em vez de plástico, desenho em papel (utilizando uma caneta). Conta ainda com uma bateria que permite utilizar a impressora sem uma tomada de energia por perto. A dimensão da área de impressão, como seria de esperar, é de apenas 66mm x 60mm x 60mm. Permite imprimir por exemplo porta-chaves, legos e outros projetos de dimensão reduzida. Seguramente não será o suficiente para imprimir uma capa para telemóvel, um suporte para sabonetes ou uma jarra para colar na sala (que seja minimamente visível).

Placeholder

Resultado de imagem para Poly! 3d printer

 

Não sendo uma impressora em KIT (o que obrigaria a montar a impressora peça a peça), a Poly! tem como desígnio ser uma impressora para todos, desde os entusiastas, curiosos, crianças, designers, makers, e obviamente para o sector da Educação. A Poly!  tem conectividade com o computador, tem ainda um interface micro SD e também pode receber ordens de impressão via smartphone (apenas Android) já que está equipada com um interface Bluetooth. A Poly! conta ainda com um sistema magnético (pouco comum em impressoras de baixo custo) que vai permitir trocar de forma fácil e rápida o(s) componente(s) que permitem que a impressora assuma as várias funcionalidades que anteriormente indiquei.

 

Resultado de imagem para Poly! 3drap

 

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: