Publicidade

7 12 2016

Interessado em promover a sua empresa e os seus produtos e serviços neste espaço? Carregue em “Leia o resto deste artigo”.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Parrot Disco FPV–Primeiros voos

14 12 2018

Artigo relacionado: Parrot DISCO FPV–Um drone diferente 

 

Voar  o Parrot Disco é uma experiencia fantástica. Apesar de exigir mais cuidados e preparação comparativamente a um drone multi-rotor, o facto de poder permanecer por muito mais tempo no ar (até 45 minutos com a bateria original) é uma grande vantagem deste drone e de outros de asa fixa. Apesar de este modelo ter sido descontinuado pela Parrot, o interesse continua a ser muito grande uma vez que atualmente o Disco não tem concorrentes no segmento de mercado onde se insere. Entretanto a Yuneec, um outro fabricante de drones “domésticos”, prepara-se para lançar o Firebird FPV, um drone de asa fixa com características semelhantes às do Parrot Disco.

 

IMG_4957

 

Ao contrário dos drones da DJI, a Parrot não implementou (pelo menos até ao momento) um sistema de geofencing no Disco, embora já o tenha feito para o Anafi, um outro drone da Parrot. Este sistema, que é uma barreira virtual, restringe o voo, de forma automática, em locais onde existe regulamentação e onde não é possível voar com total liberdade. Através do sistema GPS o próprio drone sabe se se encontra numa zona restrita, como um aeroporto, uma prisão por exemplo, e impede o voo, ou restringe o mesmo a determinadas condições.

 

A preparação do drone para cada voo deve ser efetuada sem pressas e sem “facilitismos”. O manual tem todo o processo bem explicado. O único procedimento em que tive dificuldades foi na calibração do drone. Este assistente, iniciado através da App FreeFlight Pro, começa por indicar em que posição o drone deve ser posicionado para iniciar a calibração do eixo do X. Inicialmente não estava a entender, mas depois percebi que a câmara deve ser apontada para o chão para o assistente avançar.

 

IMG_1231

 

A descolagem deste drone exige algum espaço. Apesar de o drone ser lançado para o ar, da mão, percorre alguns metros a baixa altitude e pode despenhar-se se não for lançado de um ângulo apropriado e com vento favorável. Muito mais difícil é a aterragem, que exige, para além de muito espaço disponível (a Parrot refere 80 metros de diâmetro), preparação prévia ao nível dos procedimentos a executar pelo operador. Em 3 voos que fiz com o drone, em 2 deles a aterragem não correu da melhor forma. No outro, a descolagem não teve êxito na primeira tentativa. Como o drone tem forma de saber se aterrou de forma programada ou não, neste caso ele emite um sinal sonoro que pode ser útil para o operador tentar encontrar o drone se este cair numa zona fora do contacto visual do operador.

Numa das aterragens uma hélice ficou danificada e que teve que ser trocada. Embora estejam incluídas 2 hélices e os respetivos parafusos, é necessária uma chave Torx T6 para o efeito, que não está incluída.

 

 

 

Fotos

Apesar de não ter voado ainda com o Disco nas condições meteorológicas ideais para a recolha de imagens de maior qualidade, as fotos seguintes (sem qualquer tipo de edição) são um exemplo do que é possível obter.

Ainda enfrento alguma dificuldade em obter fotos minimamente decentes, não só pelas condições de luminosidade derivadas das condições meteorológicas, mas também pelas configurações existentes na App ao nível da exposição e equilíbrio dos brancos.

Quando aos formatos das fotográficas existentes na App, tive alguma dificuldade no inicio em compreender as diferenças, no entanto esta página ajudou bastante.

Disco_20181212110338 0000

Vilar de Maçada – Alijó

Leia o resto deste artigo »





Checklists para operar um drone

8 12 2018

Operar um drone implica que sejam cumpridas uma série de regras de segurança. Para além do valor deste tipo de equipamentos, que podem chegar a custar vários milhares de Euros, a segurança deve ser a principal preocupação de quem coloca um drone a voar. Um drone que tenha um problema no ar e que caia desgovernado, pode ser uma ameaça muito grande no solo, nomeadamente para pessoas e bens. Também no ar um drone pode constituir um perigo para o trafego aéreo, podendo em casos extremos entrar em rota de colisão com com aeronaves tripuladas, pondo em risco vidas humanas e a possibilidade de causar danos materiais avultados.

 

Tal como na industria aeronáutica, em que existem listas de verificação para todos os procedimentos, também a operação de drones, que são aeronaves não tripuladas, se devem reger pelo mesmo rigor. Toda a regulamentação recentemente aprovada em Portugal, nomeadamente a futura obrigatoriedade de registo dos equipamentos e subscrição de seguros, assim como os pedidos de autorização necessários para voar em determinados locais e em determinadas condições, são passos muito importantes para uma correta utilização do espaço aéreo.

 

l_10153260_003

 

O avião é atualmente o meio de transporte mais seguro, muito devido a todos os protocolos e regras cumpridas todas as vezes que uma aeronave está em operação ou reparação. Muitas investigações de acidentes aéreos registados ao longo do tempo revelam que a sua origem esteve quase sempre relacionada com a quebra de protocolos e regras, facilitismo por parte dos profissionais, excesso de confiança e falta de rigor.

 

 

Checklist-1030x687

Leia o resto deste artigo »





Como configurar o seu carro para trancar automaticamente todas as portas ao arrancar

30 11 2018

 

Artigos relacionados:

Adaptador OBD2 Carista (Bluetooth)

Carista-Faça diagnósticos e alterações no seu carro

 

Em alguns países, como no Brasil por exemplo, a incidência de assaltos em carros parados nos semáforos (e em outros locais propícios para os criminosos atuarem) é bastante alta. Tão alta que é prática comum os condutores e motociclistas não pararem nos semáforos em determinadas situações, principalmente de noite e em zonas menos movimentadas das cidades. Embora aqui em Portugal o cenário não seja nem de perto nem de longe tão critico, existem alguns registos de situações de assaltos e carjacking em zonas com semáforos, mesmo fora dos grandes centros urbanos, em cidades mais pequenas do interior.

 

LightsStoppedWomenRobber-806388

 

Existem algumas medidas de segurança que podem ser importantes para minimizar o risco de ser alvo destas ameaças. Circular com o veículo trancado é uma das melhores formas de se proteger. Embora muitos veículos tenham um botão que ao ser pressionado tranca todas as portas, se não existir um automatismo que execute esta operação automaticamente, dificilmente o condutor o irá fazer todas as vezes que iniciar a utilização do carro. Muitas viaturas têm uma funcionalidade para trancar todas as portas quanto o veiculo entra em andamento, após atingir uma determinada velocidade. É o caso do Volkswagen Golf V, o meu carro. Muitos outros veículos têm esta funcionalidade, embora possa estar desativada.

 

Se pretender ativar este sistema de segurança, deve primeiramente tentar saber se o seu carro tem esta funcionalidade. Por vezes a consulta do manual do fabricante não é suficiente para obter a resposta, já que esta funcionalidade, assim como muitas outras, podem não estar documentadas nos manuais do cliente. Após ter a certeza que existe essa possibilidade, verifique se é possível ativar através dos menus do computador de bordo, menus do display do painel de instrumentos, sistema de infoentretenimento, ou através de outra qualquer forma (alguns veículos permitem ativar esta funcionalidade após pressionar durante X segundos no botão de trancar as portas). Outras viaturas vão ainda mais longe ao permitir ainda definir a velocidade à qual todas as portas são automaticamente trancadas.

 

maxresdefault

Leia o resto deste artigo »





Parrot DISCO FPV–Um drone diferente

27 11 2018

Embora a DJI domine por completo o mercado de drones, a Parrot, de origem Francesa, ocupa também um lugar de destaque com uma gama de produtos muito alargada para vários segmentos de mercado. Um dos equipamentos desenvolvidos pela Parrot é o DISCO FPV, um drone mono motor de asa fixa que é diferente dos drones “normais” que estamos habituados a ver, com 3, 4 ou mais motores, discretos, pequenos e facilmente transportáveis.

 

IMG_4607

 

Por ter sido entretanto descontinuado, este produto, que inicialmente chegou (quando foi lançado) a custar cerca de 1300 Euros (exemplo da Chip7 e PC COMPONENTES), pode agora ser encontrado por valores significativamente mais baixos. No meu caso, comprei por 99 Euros (produto novo e selado) numa promoção Black Friday da loja iStore. A loja vendeu rapidamente todo o stock deste artigo da loja online, no entanto ainda consegui uma unidade na loja do Parque Nascente. Um valor impressionante, mais ainda quando este drone, que é relativamente recente (foi anunciado em 2016), não tem concorrente no segmento em que se insere, nem existe ainda nenhuma versão superior.

 

Parrot DISCO FPV – Official Video

 

Neste artigo vou escrever um pouco sobre o produto e as suas características. Apesar de existir muita informação na Internet, em português pouco ou nada existe. Efetivamente este drone é pouco conhecido e pouco popular já que é um produto de nicho. Vou descrever o drone e tudo o que é necessário para o colocar pronto a voar, sem contudo descrever a experiencia de voo, que eventualmente ficará para outro artigo. Vou também indicar algumas informações importantes que recolhi nos mais diversos meios, como no manual do produto, site do fabricante, vídeos do YouTube, grupos do Facebook, entre outras origens.

   

IMG_4611

Leia o resto deste artigo »





Sistemas de Navegação por Satélite

15 11 2018

Ainda que utilizemos o acrónimo GPS, que significa Global Positioning System (em português Sistema de Posicionamento Global), para descrever qualquer dispositivo, funcionalidade ou software que permite obter coordenadas e posicionar-nos num mapa, na realidade o GPS, desenvolvido e operado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos, é apenas uma das tecnologias de localização existentes. Outros sistemas de posicionamento por satélite (Global Navigation Satellite System-GNSS) existem, como o GLONASS, Galileo, entre outros.

 

Galileo

 

Drones, smartphones, carros autónomos, câmaras fotográficas, trackers para animais e objetos são apenas alguns dos equipamentos que utilizamos todos os dias que utilizam tecnologia de geolocalização. Cada vez mais estes equipamentos são capazes de obter dados de localização provenientes de diferentes tecnologias. Esta possibilidade cria uma complementaridade que permite aumentar a precisão da localização, ainda que, como sabemos, a imprecisão de alguns sistemas (como o GPS) possa ser deliberada para utilização civil. Falo em concreto do sistema norte-americano, em que a precisão máxima está reservada para fins militares.

 

Clique na imagem seguinte para abrir em tamanho maior o infográfico que explica o que é o GPS.

How-GPS-Works-01-1

 

Este artigo tem como objetivo evidenciar as diferenças entre os vários sistemas existentes atualmente, sem entrar em detalhes técnicos. Muitos países optam por ter o seu próprio sistema, não ficando assim dependentes de outros países neste domínio. Para o utilizador existem vantagens nesta competição. Não nos podemos esquecer que, se em certas situações ter uma margem de erro de 5 ou 10 metros pode não representar problema algum, noutras circunstâncias, em que é exigida mais precisão, uma margem de erro menor pode ser muito importante. Estou a referir-me à condução autónoma por exemplo, cada vez mais uma realidade na qual a industria automóvel está a apostar. Saber se um veiculo está dentro da faixa de rodagem é algo que exige uma precisão muito maior, comparativamente à navegação turn-by-turn que todos utilizamos no dia a dia para ir de um local para outro, em que uma precisão menor não compromete na maior parte dos casos a funcionalidade à qual se destina um equipamento de GPS comum.
 

 

Sistemas de navegação por satélite:

GPS USA

GLONASS Rússia

Galileo União Europeia

QZSS Japão

BeidouChina

NAVICÍndia

 

 

Na imagem seguinte, retirada da Wikipedia, poderá visualizar uma tabela comparativa dos vários sistemas. Clique na imagem para a abrir em tamanho maior.

image

Leia o resto deste artigo »





2 000 000 views

14 11 2018

Criado em 2006, este Blog atingiu recentemente a marca dos 2 000 000 de views. 863 Posts e 7881 comentários depois, este é um novo marco histórico.

 

001

Leia o resto deste artigo »





XD desenvolve VR-POS, o primeiro software de faturação para o Microsoft HoloLens

19 10 2018

imageA XD People é uma empresa portuguesa sediada no Porto que desenvolve software empresarial para várias áreas de negócio, como restauração, retalho, discotecas, SPA’s, entre outras.

 

Presente também em Espanha e no Brasil, o software desenvolvido pela XD desde cedo se diferenciou no mercado por estar preparado para as 3 plataformas mais utilizadas: Windows, Linux e macOS (leia o artigo que escrevi em 2012: XDPOS e XDREST–Aplicações para Ponto de Venda multiplataforma).

 

Fruto do constante investimento em investigação, a XD desenvolveu o VR-POS, o primeiro software de frente de loja a nível mundial que funciona em ambiente holográfico.  Este software para ponto de venda foi desenvolvido para o inovador sistema de realidade aumentada HoloLens, da Microsoft. Para ser mais exato, a Microsoft designa este sistema de realidade mista, uma vez que existe uma “fusão” do mundo real com o virtual.

 

 

image

 

O HoloLens é considerado uma das maiores inovações tecnológicas dos últimos anos. As suas potencialidades são enormes, nomeadamente em áreas como o entretenimento, medicina, engenharia, design de produto, arquitetura e indústria aeronáutica. A única forma de perceber como o HoloLens funciona é experimentando-o. É uma experiencia única e diferente. Basicamente os óculos, tal como uns óculos normais, permitem ver tudo o que nos rodeia. A magia acontece entre a nossa visão e o ambiente ao nosso redor. Aqui é que a informação é apresentada de forma sobreposta e segue o utilizador para onde quer que ele vá. Não tem qualquer semelhança com óculos de realidade virtual que vemos à venda  nas lojas de retalho e de informática, em que o utilizador deixa de ver o ambiente ao seu redor.

 

 20181012_121124_HoloLens

 

Apesar do seu custo, que atualmente ronda os 5000 Euros, estes óculos têm tido uma aceitação enorme desde o seu lançamento, muito pelas potencialidades criadas pela sua capacidade para gerar hologramas. Existem atualmente muitas aplicações disponíveis para tirar partido de todo o potencial do HoloLens. Muitas destas aplicações estão disponíveis e acessíveis diretamente no HoloLens, através da Microsoft Store. Não sendo propriamente um produto direcionado para o consumidor final (não creio que este produto venha a estar disponível nas prateleiras das grandes cadeias de retalho), muitas têm sido as empresas e outras organizações que decidiram investir nesta plataforma para criar soluções de software únicas, com aplicabilidade e utilidade real em várias áreas.

 

A XD foi uma das empresas que decidiu apostar no Microsoft HoloLens, criando o VR-POS, um produto disruptivo e inovador. O desenvolvimento efetuado pela equipa de R&D, iniciado no final de 2017, recorreu à framework Unity e ao poder da linguagem C#.

 

IMG_4214

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: