Primavera Express–Adicionar exceções no Antivírus e Firewall

11 09 2015

 

Tem acontecido com alguma frequência que os sistemas de antivírus de vários fabricantes, nomeadamente AVAST e Microsoft, com sistema de proteção em tempo real ativada, após receberem determinadas atualizações, identificaram  um ou mais ficheiros necessários ao correto funcionamento de alguns produtos Primavera, nomeadamente Primavera Express, como sendo potencialmente perigosos. Após colocarem esses ficheiros em quarentena,  as aplicações não arrancavam, ficavam instáveis, ou lentas.

 

Mais recentemente, uma atualização ao antivírus Microsoft Security Essentials fazia com que o ERP Primavera tivesse um desempenho muito degradado ao arrancar, e quando arrancava ficava muito instável, sendo praticamente impossível trabalhar normalmente.

 

 

 

Como configurar o antivírus?

Para este exemplo foi utlizado o Microsoft Security Essentials, no entanto em antivírus de outros fabricantes as configurações devem ser equivalentes.

 

Exceção ao nível de ficheiros e pastas:

image

C:\Program Files (x86)\Common Files\PRIMAVERA

C:\Program Files (x86)\PRIMAVERA

Aqui deverá definir o caminho das pastas onde as aplicações se encontram instaladas, assim como a pasta de ficheiros comuns do Primavera (Common Files). Poderá ainda adicionar outras pastas que considere relevantes, como por exemplo a pasta do Microsoft SQL Server (normalmente em “C:\Program Files (x86)\Microsoft SQL Server”) e a pasta System, do Windows, onde o Primavera coloca alguns ficheiros que são necessários para o seu correto funcionamento (normalmente em “C:\Windows\SysWOW64” e/ou “C:\Windows\System32”).

 

 

Leia o resto deste artigo »

Anúncios




Backup de Bases de Dados SQL Server para a Cloud

26 03 2015

Um estudo revela que 85% das PMEs enfrentam problemas com backup e recuperação de dados. A pergunta que se impõe é: “Se neste momento for necessário repor uma cópia de segurança da base de dados do seu ERP ou outro sistema critico, esse backup existe, está acessível e é recente?”.

 

Neste artigo vou explicar como proceder para configurar backups de bases de dados SQL Server para o Dropbox (como exemplo são utilizadas as bases de dados do Primavera Express).

 

image

 

O Dropbox é um dos serviços mais conhecidos e utilizados na Internet para partilha e armazenamento de dados na cloud. Para além de ser um dos pioneiros, é certamente um dos mais utilizados a nível mundial pela sua segurança e confiabilidade.

 

Para este artigo foi utilizada a aplicação SQL Backup Master. Como alternativa existe o SQL Backup And FTP que é muito semelhante, com a desvantagem de na edição gratuita apenas permitir o backup de 2 bases de dados, no entanto com a mais valia de permitir que sejam adicionadas pastas à rotina de backup.

 

Backups para a serviços de cloud storage é apenas mais uma das opções ao dispor para o armazenamento de cópias de segurança, entre Tapes, Unidades Flash, unidades de armazenamento como Discos Rígidos, CD/DVD, NAS (Network-attached storage), etc. Cada um tem os seus pontos fortes e pontos fracos, sendo óbvio os serviços de armazenamento na nuvem têm claras vantagens sobre todos os restantes.

 

 

 

Configuração

Instalar o SQL Backup Master.

Crie uma nova rotina de backup.

image

 

 

 

Selecione o servidor de dados SQL Server, assim como a autenticação para esse mesmo servidor.

image

 

 

 

Selecione a(s) base(s) de dados para as quais vai ser efectuada a cópia de segurança. Podem ser definidas manualmente, ou em alternativa, se ativar a opção “Back up all non-system databases” todas as bases de dados são incluídas, mesmo as que venham a ser criadas posteriormente à gravação desta rotina (excepto as bases de dados de de sistema que são ignoradas).

image

Na edição gratuita do SQL Backup Master não existe limite de bases de dados que podem ser incluídas na rotina de backup agendada (limitado a um servidor/instância de dados).

 

 

Leia o resto deste artigo »





Panda Antivirus – Actualização compromete instabilidade/arranque do Windows

11 03 2015

Não é a primeira, nem será a última vez que um fabricante de software antivirus disponibiliza actualizações que podem em determinados cenários comprometer o arranque e instabilidade dos sistemas operativos.

Diversos sites da especialidade, assim como alguns contactos recebidos durante o dia de hoje indicam que após uma actualização disponibilizada hoje o Panda Antivirus identificou ficheiros críticos do Windows como sendo potenciais riscos de segurança (falsos positivos).

Acompanhe os desenvolvimentos deste incidente no Facebook, Twitter e website da Panda Security:

https://www.facebook.com/PandaSecurity

https://twitter.com/panda_security

http://www.pandasecurity.com/uk/homeusers/support/card?id=100045

Leia o resto deste artigo »





Já há empresas portuguesas a pagar pelo resgate de bases de dados

8 02 2015

Fonte: Exame Informática

Nos últimos seis meses, deram entrada cerca de uma dúzia de queixas de sequestros de bases dados na PJ de Lisboa. Os resgates chegam aos 10 mil euros – e são, em muitos casos, a única forma de recuperar os dados.

 

 

Na PJ, ninguém o diz abertamente, mas há uma elevada probabilidade de as vítimas de hackers que sequestram bases de dados, não terem outra alternativa senão pagar os resgates que lhes são pedidos, caso queiram recuperar os respetivos repositórios. E não adianta culpar a brigada de combate ao cibercrime: as chances de recuperação dos dados dependem apenas e só da cifra usada pelos cibercriminosos. Se a encriptação for a mesma que foi usada nos ataques levados a cabo no final de 2014 nos EUA… o resgate é mesmo a única alternativa.

 

«Nos EUA, houve grandes empresas que pagaram os resgates. Os cibercriminosos usaram cifras muito fortes que poderiam demorar dezenas ou centenas de anos a descobrir as chaves certas, com um sistema de brut force a testar todas as possibilidades», explica José Pina Miranda, especialista em criptografia e professor da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.

Leia o resto deste artigo »





Antivírus AVAST-Relação conflituosa com o Primavera

12 09 2013

Os antivírus, por vezes, identificam ficheiros fidedignos como potenciais riscos de segurança, colocando-os em quarentena ou eliminando-os. Logicamente que isto pode comprometer o correcto funcionamento de aplicações instaladas no sistema, ou mesmo a estabilidade do sistema operativo.

 

A Primavera recentemente emitiu um comunicado técnico que faz referencia ao antivírus AVAST e ao PRIMAVERA Starter Easy, no entanto, outros produtos da Primavera foram, ou podem ser afectados, como o ERP v8. Após uma actualização do antivírus, alguns componentes do ERP são colocados em quarentena, pelo AVAST e removidos da sua localização original, despoletando erros diversos no arranque das aplicações ou no acesso a algumas funcionalidades.

 

Fonte: PrimaveraBSS

Estimado Cliente,

A PRIMAVERA informa que, devido a uma atualização efetuada recentemente no antivírus AVAST, foi detetado um problema na utilização do PRIMAVERA Starter Easy. Se é utilizador deste antivírus poderá deparar-se com o seguinte erro ao iniciar a aplicação:
“Automation Error”

Este problema não é despoletado pelo Starter Easy, mas sim pelo antivírus que identifica, erradamente, um ficheiro do sistema PRIMAVERA como potencialmente perigoso, colocando-o de quarentena.

Para resolver este problema deverá realizar os seguintes passos:
1. Parar o antivírus AVAST a partir do ícone da barra de tarefas;
2. Aceder ao Painel de Controlo e reparar o Starter Easy através da opção dos Programas | Programas e Funcionalidades;
3. No AVAST definir exceções para os directórios PRIMAVERA (c:\programas\common files\primavera e c:\programas\primavera), por forma a evitar uma repetição do mesmo comportamento*;
4. Reiniciar o antivírus AVAST a partir do ícone da barra de tarefas.

Leia o resto deste artigo »





Routers DrayTek-Descobrir as credenciais de acesso

23 05 2013

Por vezes, quando não são conhecidos os dados de acesso a determinado equipamento, por esquecimento ou pelo facto de quem definiu o login não ter disponibilizado e documentado essa informação, repor as definições de fábrica pode não ser uma opção de recurso. O tempo necessário para configurar o equipamento e o facto de não ter acesso às configurações existentes podem ser um entrave, principalmente quando os equipamentos se encontram em produção.

 

Falando de routers em concreto, muitas das vezes a primeira abordagem para aceder à configuração, não conhecendo as credenciais de acesso, passa por consultar o manual para identificar os dados de acesso por defeito à saída de fábrica, já  que muitas das vezes esses dados não são alterados, representando uma falha de segurança. Nos routers DrayTek, por norma o utilizador é admin e a password é admin ou sem password, dependendo do modelo e do firmware. Poderá visualizar uma lista com vários modelos aqui.

 

 

 

No procedimento a seguir demonstrador é utilizada a ferramenta draytools, que permite identificar os dados de acesso. Este método é  válido para alguns routers DrayTek Vigor, nomeadamente modelos 2xxx. Neste artigo foi utilizado o modelo 2820n.

image

Em primeiro lugar é necessário identificar o MAC Address (endereço físico) do router. Este normalmente está disponível numa etiqueta, no próprio router, na documentação ou caixa do equipamento.

 

 

 

É também  possível identificar o MAC Address apenas  com base no IP do router. Para isso na linha de comando do Windows poderá ser utilizado o comando:

arp –a XXX.XXX.XXX.XXX

image

Posteriormente deve descarregar o draytools aqui.

Leia o resto deste artigo »





Windows – Pasta VirtualStore

1 05 2013

imageNo Windows Vista e 7, a pasta VirtualStore é uma pasta especial que pode ser utilizada pelo sistema operativo por razões de segurança, quando um processo ou aplicação tenta gravar dados em pastas protegidas e sensíveis, como por exemplo a pasta e sub-pastas em C:\Programas, sem que o utilizador ou aplicação tenha os privilégios necessários para esse efeito. Neste caso os dados são redireccionados automaticamente para a VirtualStore localizada em C:\Users\XXXXXXXX\AppData\Local\VirtualStore.

 

 

Isto pode levantar vários problemas, especialmente se o utilizador não estiver familiarizado com este comportamento. Como exemplo a aplicação X escreve o ficheiro A na localização por defeito, em c:\programas, e o mesmo ficheiro na pasta VirtualStore. O utilizador não tendo conhecimento deste comportamento altera o ficheiro A em C:\Programas, no entanto a aplicação lê o ficheiro que está na VirtualStore. Deste modo o utilizador pode ser induzido em erro, uma vez que pode estar a abrir ou a alterar um ficheiro numa determinada localização, quando na realidade o ficheiro que está a ser utilizado pela aplicação está na VirtualStore.

 

Pasta VirtualStore no Windows 7

1

 

Leia o resto deste artigo »








%d bloggers like this: